Ao estudarmos João 8, ainda estamos na terceira divisão do livro que denominamos: O Deus encarnado experimenta a oposição dos religiosos. Como sugere Jensen (1980, p. 66), juntamente com o capítulo nove, poderíamos identificar esses capítulos sob o tema “A Luz do Mundo Rejeitada”.

Na sequência do seu relato, João continua apresentando o crescente antagonismo dos judeus para com Jesus e sua missão. Como os sinóticos nos mostram, em muitas ocasiões, os fariseus, os saduceus, os herodianos, ou a união de alguns desses grupos tentavam, de todas as maneiras, apanhar Jesus em alguma cilada para desacreditá-lo diante do povo (conf. Mt 16.1–4; 19.3–12; Mc 11.27–33; 12.13–17; Lc 10.25–37; 11.14–23).

Já corria o semestre de entrega do ano da paixão, conforme a divisão do evangelho de Mateus proposta por Souza (2008, p. 36). Se aproximava a hora de Jesus se entregar por nós, e a oposição aumentava gradativamente.

Ao considerarmos este capítulo, é necessário destacarmos o episódio descrito nos versos 1–11. Esse relato não consta de alguns manuscritos gregos importantes.

Nas diversas versões bíblicas encontramos estes versos entre colchetes ou então no rodapé da página com uma pequena nota dando explicações sobre esse destaque. Inclusive na BÍBLIA de Jerusalém (1985, p. 2005, nota v), literalmente lemos que “sua canonicidade, seu caráter inspirado e seu valor histórico, no entanto, não sofrem qualquer contestação”.

É provável que esta história não fizesse parte do evangelho original de João. Seu estilo é mais sinótico do que joanino. Inclusive, em alguns outros manuscritos, esse relato aparece em Lucas, logo depois de 21.38, dentro da Semana Santa.

Conforme Bruce (2006, p. 351), esses versos não fazem parte do original, mas “… eles formam, de fato, um fragmento de material evangélico autêntico não incluído originalmente em nenhum dos quatro evangelhos. Sua preservação (pela qual devemos ser gratos) deve-se ao fato de que foi inserido em um lugar que não parecia impróprio em João ou Lucas”.

Assim, mesmo com essa ressalva da crítica textual, podemos estudar estes versos e perceber lições preciosas que certamente o Senhor tem para nós.

Esboço de João 8:

João 8.1 – 11: A grande compaixão de Jesus

João 8.12 – 19: “Eu e o Pai Somos Um”

João 8.20 – 36: A Verdadeira Liberdade

João 8.37 – 44: Filhos do Diabo

João 8.45 – 59: Maior Que Abraão

 

João 8.1 – 11: A grande compaixão de Jesus

1 Jesus, porém, foi para o monte das Oliveiras.

2 Ao amanhecer ele apareceu novamente no templo, onde todo o povo se reuniu ao seu redor, e ele se assentou para ensiná-lo.

3 Os mestres da lei e os fariseus trouxeram-lhe uma mulher surpreendida em adultério. Fizeram-na ficar em pé diante de todos

4 e disseram a Jesus: Mestre, esta mulher foi surpreendida em ato de adultério.

5 Na Lei, Moisés nos ordena apedrejar tais mulheres. E o senhor, que diz?

6 Eles estavam usando essa pergunta como armadilha, a fim de terem uma base para acusá-lo. Mas Jesus inclinou-se e começou a escrever no chão com o dedo.

7 Visto que continuavam a interrogá-lo, ele se levantou e lhes disse: “Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra nela”.

8 Inclinou-se novamente e continuou escrevendo no chão.

9 Os que o ouviram foram saindo, um de cada vez, começando pelos mais velhos. Jesus ficou só, com a mulher em pé diante dele.

10 Então Jesus pôs-se em pé e perguntou-lhe: “Mulher, onde estão eles? Ninguém a condenou?”

11 “Ninguém, Senhor”, disse ela. Declarou Jesus: “Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado”.

12 Falando novamente ao povo, Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue, nunca andará em trevas, mas terá a luz da vida”.

João 8. 12 – 19: “Eu e o Pai Somos Um”

13 Os fariseus lhe disseram: “Você está testemunhando a respeito de si próprio. O seu testemunho não é válido!”

14 Respondeu Jesus: Ainda que eu mesmo testemunhe em meu favor, o meu testemunho é válido, pois sei de onde vim e para onde vou. Mas vocês não sabem de onde vim nem para onde vou.

15 Vocês julgam por padrões humanos; eu não julgo ninguém.

16 Mesmo que eu julgue, as minhas decisões são verdadeiras, porque não estou sozinho. Eu estou com o Pai, que me enviou.

17 Na Lei de vocês está escrito que o testemunho de dois homens é válido. 

18 Eu testemunho acerca de mim mesmo; a minha outra testemunha é o Pai, que me enviou.

19 Então lhe perguntaram: “Onde está o seu pai?” Respondeu Jesus: “Vocês não conhecem nem a mim nem a meu Pai. Se me conhecessem, também conheceriam a meu Pai”.

João 8.20 – 36: A Verdadeira Liberdade

20 Ele proferiu essas palavras enquanto ensinava no templo, perto do lugar onde se colocavam as ofertas. No entanto, ninguém o prendeu, porque a sua hora ainda não havia chegado.

21 Mais uma vez, Jesus lhes disse: “Eu vou embora, e vocês procurarão por mim, e morrerão em seus pecados. Para onde vou, vocês não podem ir”.

22 Isso levou os judeus a perguntarem: “Será que ele irá matar-se? Será por isso que ele diz: “Para onde vou, vocês não podem ir”?”

23 Mas ele continuou: Vocês são daqui de baixo; eu sou lá de cima. Vocês são deste mundo; eu não sou deste mundo.

24 Eu lhes disse que vocês morrerão em seus pecados. Se vocês não crerem que Eu Sou, de fato morrerão em seus pecados.

25 “Quem é você?”, perguntaram eles. “Exatamente o que tenho dito o tempo todo”, respondeu Jesus.

26 “Tenho muitas coisas para dizer e julgar a respeito de vocês. Pois aquele que me enviou merece confiança, e digo ao mundo aquilo que dele ouvi.”

27 Eles não entenderam que lhes estava falando a respeito do Pai.

28 Então Jesus disse: Quando vocês levantarem o Filho do homem, saberão que Eu Sou, e que nada faço de mim mesmo, mas falo exatamente o que o Pai me ensinou.

29 Aquele que me enviou está comigo; ele não me deixou sozinho, pois sempre faço o que lhe agrada.

30 Tendo dito essas coisas, muitos creram nele.

31 Disse Jesus aos judeus que haviam crido nele: Se vocês permanecerem firmes na minha palavra, verdadeiramente serão meus discípulos.

32 E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará.

33 Eles lhe responderam: “Somos descendentes de Abraão e nunca fomos escravos de ninguém. Como você pode dizer que seremos livres?”

34 Jesus respondeu: Digo-lhes a verdade: Todo aquele que vive pecando é escravo do pecado.

35 O escravo não tem lugar permanente na família, mas o filho pertence a ela para sempre.

36 Portanto, se o Filho os libertar, vocês de fato serão livres.

João 8.37 – 44: Filhos do Diabo

37 Eu sei que vocês são descendentes de Abraão. Contudo, estão procurando matar-me, porque em vocês não há lugar para a minha palavra.

38 Eu lhes estou dizendo o que vi na presença do Pai, e vocês fazem o que ouviram do pai de vocês.

39 “Abraão é o nosso pai”, responderam eles. Disse Jesus: “Se vocês fossem filhos de Abraão, fariam as obras que Abraão fez.

40 Mas vocês estão procurando matar-me, sendo que eu lhes falei a verdade que ouvi de Deus; Abraão não agiu assim.

41 Vocês estão fazendo as obras do pai de vocês”. Protestaram eles: “Nós não somos filhos ilegítimos. O único Pai que temos é Deus”.

42 Disse-lhes Jesus: Se Deus fosse o Pai de vocês, vocês me amariam, pois eu vim de Deus e agora estou aqui. Eu não vim por mim mesmo, mas ele me enviou.

43 Por que a minha linguagem não é clara para vocês? Porque são incapazes de ouvir o que eu digo.

44 Vocês pertencem ao pai de vocês, o Diabo, e querem realizar o desejo dele. Ele foi homicida desde o princípio e não se apegou à verdade, pois não há verdade nele. Quando mente, fala a sua própria língua, pois é mentiroso e pai da mentira.

João 8.45 – 59: Maior Que Abraão

45 No entanto, vocês não crêem em mim, porque lhes digo a verdade!

46 Qual de vocês pode me acusar de algum pecado? Se estou falando a verdade, porque vocês não crêem em mim?

47 Aquele que pertence a Deus ouve o que Deus diz. Vocês não o ouvem porque não pertencem a Deus.

48 Os judeus lhe responderam: “Não estamos certos em dizer que você é samaritano e está endemoninhado?”

49 Disse Jesus: Não estou endemoninhado! Ao contrário, honro o meu Pai, e vocês me desonram.

50 Não estou buscando glória para mim mesmo; mas, há quem a busque e julgue.

51 Asseguro-lhes que, se alguém obedecer à minha palavra, jamais verá a morte.

52 Diante disso, os judeus exclamaram: Agora sabemos que você está endemoninhado! Abraão morreu, bem como os profetas, mas você diz que se alguém obedecer à sua palavra, nunca experimentará a morte.

53 Você é maior do que o nosso pai Abraão? Ele morreu, bem como os profetas. Quem você pensa que é?

54 Respondeu Jesus: Se glorifico a mim mesmo, a minha glória nada significa. Meu Pai, que vocês dizem ser o seu Deus, é quem me glorifica.

55 Vocês não o conhecem, mas eu o conheço. Se eu dissesse que não o conheço, seria mentiroso como vocês, mas eu de fato o conheço e obedeço à sua palavra.

56 Abraão, pai de vocês, regozijou-se porque veria o meu dia; ele o viu e alegrou-se.

57 Disseram-lhe os judeus: “Você ainda não tem cinquenta anos, e viu Abraão?”

58 Respondeu Jesus: “Eu lhes afirmo que antes de Abraão nascer, Eu Sou!”

59 Então eles apanharam pedras para apedrejá-lo, mas Jesus escondeu-se e saiu do templo.

Referências

  1. Neves, I., & McGee, J. V. (2012). Comentário Bíblico de João. (I. Mazzacorati, Org.) (Segunda edição, p. 143). São Paulo, SP: Rádio Trans Mundial.

4 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here