Josué 10 Estudo: O Sol e a Lua “ficam parados”

Mas o dia da batalha de Bete-Horom continuava e Josué sabia que a perseguição do inimigo seria longa e árdua (Josué 10:12). No máximo, o líder militar tinha 12 horas de luz do dia à sua frente. Ele claramente precisava de mais tempo para perceber o cumprimento da promessa de Deus (v. 8) e ver a total aniquilação de seus inimigos.

Josué, portanto, levou ao Senhor um pedido incomum: “Ó sol, fica parado sobre Gibeão, ó lua, sobre o vale de Aijalom”.

Era meio-dia e o sol quente estava diretamente acima quando Josué proferiu essa oração. A lua estava no horizonte a oeste. A petição foi rapidamente respondida pelo Senhor. Josué orou em fé e um grande milagre resultou (Josué 10:13-15).

Mas o registro deste milagre tem sido chamado o exemplo mais notável de conflito entre Escritura e ciência porque, como é bem conhecido, o sol não se move ao redor da terra causando dia e noite. Em vez disso, a luz e a escuridão vêm porque a Terra gira em torno de seu eixo ao redor do sol.

Por que então Josué se dirigiu ao sol em vez da terra?

Simplesmente porque ele estava usando a linguagem da observação; ele estava falando da perspectiva e aparência das coisas na terra. As pessoas ainda fazem a mesma coisa, mesmo na comunidade científica. Os almanaques e os diários registram as horas do nascer e do pôr do sol, mas ninguém os acusa de erros científicos.

O “dia longo” de Josué 10, no entanto, deve ser explicado. O que realmente aconteceu naquele dia estranho?

As respostas são numerosas (um eclipse, nuvens sobre o sol, refração dos raios solares, etc.). Mas a melhor explicação parece ser a visão de que, em resposta à oração de Josué, Deus fez com que a rotação da Terra diminuísse de modo que fizesse uma rotação completa em 48 horas, em vez de 24.

Parece evidente que essa visão é apoiada tanto por o poema nos versos 12b-13a e a prosa no verso 13b. 

Deus parou os efeitos cataclísmicos que teriam ocorrido naturalmente, como gigantescos maremotos e objetos voando por aí. A evidência de que a rotação da Terra simplesmente diminuiu é encontrada nas palavras finais de Josué 10:13: “O sol atrasou a queda de um dia inteiro”.

O sol estava assim anormalmente lento ou tardio ao chegar ao pôr-do-sol, isto é, sua progressão do meio-dia ao anoitecer era marcadamente letárgica, dando a Josué e seus soldados tempo suficiente para completar sua batalha vitoriosa.

Um fato importante que não deve ser menosprezado é que o sol e a lua eram divindades principais entre os cananeus. Na oração do líder de Israel, os deuses de Canaã foram obrigados a obedecer.

Essa perturbação aos seus deuses deve ter sido terrivelmente perturbadora e assustadora para os cananeus. O segredo do triunfo de Israel sobre a coalizão dos cananeus se encontra nas palavras: “Certamente o SENHOR estava lutando por Israel!”

Em resposta à oração, Israel experimentou a dramática intervenção de Deus em seu favor e a vitória foi assegurada. (1)

Esboço de Josué 10:

10.1 – 6: A associação contra Gibeão

10.7 – 14: O sol e a lua “ficam parados”

10.15 – 27: Os cinco reis são mortos

10.28 – 43: Sete reis são derrotados e mortos 

 

Josué 10.1 – 6: A associação contra Gibeão

1 Sucedeu que Adoni-Zedeque, rei de Jerusalém, soube que Josué tinha conquistado Ai e a tinha destruído totalmente, fazendo com Ai e seu rei o que fizera com Jericó e seu rei, e que o povo de Gibeom tinha feito a paz com Israel e estava vivendo no meio deles.

2 Ele e o seu povo ficaram com muito medo, pois Gibeom era tão importante como uma cidade governada por um rei; era maior do que Ai, e todos os seus homens eram bons guerreiros.

3 Por isso Adoni-Zedeque, rei de Jerusalém, fez o seguinte apelo a Hoão, rei de Hebrom, a Piram, rei de Jarmute, a Jafia, rei de Laquis, e a Debir, rei de Eglom:

4 “Venham para cá e ajudem-me a atacar Gibeom, pois ela fez a paz com Josué e com os israelitas”.

5 Então os cinco reis dos amorreus, os reis de Jerusalém, de Hebrom, de Jarmute, de Laquis e de Eglom reuniram-se e vieram com todos os seus exércitos. Cercaram Gibeom e a atacaram.

6 Os gibeonitas enviaram esta mensagem a Josué, no acampamento de Gilgal: “Não abandone os seus servos. Venha depressa! Salve-nos! Ajude-nos, pois todos os reis amorreus que vivem nas montanhas se uniram contra nós!”

Josué 10.7 – 14: O sol e a lua “ficam parados”

7 partiu de Gilgal com todo o seu exército, inclusive com os seus melhores guerreiros.

8 E disse o Senhor a Josué: “Não tenha medo desses reis; eu os entreguei nas suas mãos. Nenhum deles conseguirá resistir a você”.

9 Depois de uma noite inteira de marcha desde Gilgal, Josué os apanhou de surpresa.

10 O Senhor os lançou em confusão diante de Israel, que lhes impôs grande derrota em Gibeom. Os israelitas os perseguiram na subida para Bete-Horom e os mataram por todo o caminho, até Azeca e Maquedá.

11 Enquanto fugiam de Israel na descida de Bete-Horom para Azeca, do céu o Senhor lançou sobre eles grandes pedras de granizo, que mataram mais gente do que as espadas dos israelitas.

12 No dia em que o Senhor entregou os amorreus aos israelitas, Josué exclamou ao ­Senhor, na presença de Israel: “Sol, pare sobre Gibeom! E você, ó lua, sobre o vale de Aijalom!”

13 O sol parou, e a lua se deteve, até a nação vingar-se dos seus inimigos, como está escrito no Livro de Jasar. O sol parou no meio do céu e por quase um dia inteiro não se pôs.

14 Nunca antes nem depois houve um dia como aquele, quando o Senhor atendeu a um homem. Sem dúvida o Senhor lutava por Israel!

Josué 10.15 – 27: Os cinco reis são mortos

15 Então Josué voltou com todo o Israel ao acampamento em Gilgal.

16 Os cinco reis fugiram e se esconderam na caverna de Maquedá.

17 Avisaram a Josué que eles tinham sido achados numa caverna em Maquedá.

18 Disse ele: Rolem grandes pedras até a entrada da caverna, e deixem ali alguns homens de guarda.

19 Mas não se detenham! Persigam os inimigos. Ataquem-nos pela retaguarda e não os deixem chegar às suas cidades, pois o Senhor, o seu Deus, os entregou em suas mãos.

20 Assim Josué e os israelitas os derrotaram por completo, quase exterminando-os. Mas alguns conseguiram escapar e se refugiaram em suas cidades fortificadas.

21 O exército inteiro voltou então em segurança a Josué, ao acampamento de Maquedá, e depois disso, ninguém mais ousou abrir a boca para provocar os israelitas.

22 Então disse Josué: “Abram a entrada da caverna e tragam-me aqueles cinco reis”.

23 Os cinco reis foram tirados da caverna. Eram os reis de Jerusalém, de Hebrom, de Jarmute, de Laquis e de Eglom.

24 Quando os levaram a Josué, ele convocou todos os homens de Israel e disse aos comandantes do exército que o tinham acompanhado: “Venham aqui e ponham o pé no pescoço destes reis”. E eles obedeceram.

25 Disse-lhes Josué: “Não tenham medo! Não desanimem! Sejam fortes e corajosos! É isso que o Senhor fará com todos os inimigos que vocês tiverem que combater”.

26 Depois Josué matou os reis e mandou pendurá-los em cinco árvores, onde ficaram até a tarde.

27 Ao pôr-do-sol, sob as ordens de Josué, eles foram tirados das árvores e jogados na caverna onde haviam se escondido. Na entrada da caverna colocaram grandes pedras, que lá estão até hoje.

Josué 10.28 – 43: Sete reis são derrotados e mortos

28 Naquele dia Josué tomou Maquedá. Atacou a cidade e matou o seu rei à espada e exterminou todos os que nela viviam, sem deixar sobreviventes. E fez com o rei de Maquedá o que tinha feito com o rei de Jericó.

29 Então Josué, e todo o Israel com ele, avançou de Maquedá para Libna e a atacou.

30 O Senhor entregou também aquela cidade e seu rei nas mãos dos israelitas. Josué atacou a cidade e matou à espada todos os que nela viviam, sem deixar nenhum sobrevivente ali. E fez com o seu rei o que fizera com o rei de Jericó.

31 Depois Josué, e todo o Israel com ele, avançou de Libna para Laquis, cercou-a e a atacou.

32 O Senhor entregou Laquis nas mãos dos israelitas, e Josué tomou-a no dia seguinte. Atacou a cidade e matou à espada todos os que nela viviam, como tinha feito com Libna.

33 Nesse meio tempo Horão, rei de Gezer, fora socorrer Laquis, mas Josué o derrotou, a ele e ao seu exército, sem deixar sobrevivente algum.

34 Josué, e todo o Israel com ele, avançou de Laquis para Eglom, cercou-a e a atacou.

35 Eles a conquistaram naquele mesmo dia, feriram-na à espada e exterminaram os que nela viviam, como ti­nham feito com Laquis.

36 Então Josué, e todo o Israel com ele, foi de Eglom para Hebrom e a atacou.

37 Tomaram a cidade e a feriram à espada, como também o seu rei, os seus povoados e todos os que nela viviam, sem deixar sobrevivente algum. Destruíram totalmente a cidade e todos os que nela viviam, como tinham feito com Eglom.

38 Depois Josué, e todo o Israel com ele, voltou e atacou Debir.

39 Tomaram a cidade, seu rei e seus povoados, e os mataram à espada. Exterminaram os que nela viviam, sem deixar sobrevivente algum. Fizeram com Debir e seu rei o que tinham feito com Libna e seu rei e com Hebrom.

40 Assim Josué conquistou a região toda, incluindo a serra central, o Neguebe, a Sefelá e as vertentes, e derrotou todos os seus reis, sem deixar sobrevivente algum. Exterminou tudo o que respirava, conforme o Senhor, o Deus de Israel, tinha ordenado.

41 os derrotou desde Cades-Barnéia até Gaza, e toda a região de Gósen, e de lá até Gibeom.

42 Também subjugou todos esses reis e conquistou suas terras numa única campanha, pois o Senhor, o Deus de Israel, lutou por Israel.

43 Então Josué retornou com todo o Israel ao acampamento em Gilgal.

 

Referências:

Campbell, D. K. (1985). Joshua. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 350–351). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here