Josué - Bíblia de Estudo Online

O dia da travessia do Jordão, o dia em que Israel deveria entrar em Canaã, finalmente chegou (Josué 3:14-15a). As pessoas dobraram suas tendas e seguiram os sacerdotes que levavam a arca à beira do Jordão.

Era a época da colheita da cevada, o mês de nisã (março-abril), o primeiro mês do ano (4:19). O rio estava em fase de inundação – uma visão pressagiosa para os sacerdotes e as pessoas e um teste severo de sua fé. Eles hesitariam com medo ou avançariam na fé, acreditando que o que Deus havia prometido (sobre a interrupção da água, 3:13) realmente aconteceria?

A Travessia

Coisas dramáticas aconteceram no momento em que os sacerdotes que carregavam a arca da aliança entraram nas águas turvas e turvas (Josué 3:15b-17). A água de montante parou de fluir (cf. verso 13). Empilhando-se em uma cidade chamada Adão, as águas de outros córregos foram completamente cortadas para não entrar no Jordão. Então as pessoas cruzaram em frente a Jericó. Isso é um “tipo” da travessia do Mar Vermelho (cf. Ex. 15: 8; Sl 78:13).

Embora o lugar chamado “Adão” seja encontrado apenas aqui, ele é geralmente identificado com Tell ed-Damiyeh, a cerca de 25 quilômetros ao norte do vau em frente a Jericó. Um trecho largo do leito do rio, portanto, foi secado, permitindo que as pessoas com seus animais e bagagem se apressassem (cf. Josué 4:10).

Como esse evento sensacional poderia ocorrer?

Muitos insistem que isso não foi um milagre, pois o evento pode ser explicado como um fenômeno natural. Eles apontam que em 8 de dezembro de 1907 um terremoto fez com que as altas margens do Jordão entrassem em colapso perto de Tell ed-Damiyeh, represando o rio por cerca de 10 horas.

Em 11 de julho de 1927, outro terremoto perto do mesmo local bloqueou o rio por 21 horas. É claro que essas paradas não ocorreram durante a temporada de cheias. É verdade que Deus poderia ter empregado causas naturais, como um terremoto e um deslizamento de terra, e o momento ainda teria feito uma intervenção milagrosa.

Mas o texto bíblico permite tal interpretação deste evento?

Considerando todos os fatores envolvidos, parece melhor ver essa ocorrência como um ato especial de Deus, causado de uma maneira desconhecida pelo homem (Josué 3:15b-17).

Muitos elementos sobrenaturais foram reunidos:

(1) O evento aconteceu como previsto (3:13, 15);

(2) O tempo foi exato (v. 15);

(3) O evento ocorreu quando o rio estava em fase de inundação (v. 15);

(4) A parede de água foi mantida no local por muitas horas, possivelmente um dia inteiro (v. 16);

(5) O fundo do rio macio e úmido secou imediatamente (v. 17);

(6) A água retornou imediatamente assim que o povo atravessou e os sacerdotes saíram do rio (4:18).

É milagre!

Séculos depois, os profetas Elias e Eliseu cruzaram o mesmo rio em terra seca ao leste (2 Reis 2:8). Logo depois, Eliseu atravessou o rio em seco. Se um fenômeno natural é necessário para explicar a travessia dos israelitas sob Josué, então seria preciso concluir que dois terremotos ocorreram em rápida sequência para Elias e Eliseu, o que parece um pouco presunçoso.

Por este grande milagre, a travessia do rio Jordão em fase de inundação por uma nação de cerca de 2 milhões de pessoas, Deus foi glorificado, Josué foi exaltado, Israel foi encorajado e os cananeus foram aterrorizados.

Para Israel, a travessia do Jordão significava que eles estavam irrevogavelmente comprometidos com uma luta contra exércitos, carruagens e cidades fortificadas. Eles também estavam comprometidos a andar pela fé no Deus vivo e a deixar de andar segundo a carne, como sempre fizeram no deserto.

Para os crentes de hoje, cruzar o Jordão representa passar de um nível da vida cristã para outro. (Não é uma figura de um crente morrendo e entrando no céu. Para os israelitas, Canaã dificilmente era o céu!).

É uma figura de entrar em guerra espiritual para reivindicar o que Deus prometeu. Isto deve significar o fim de uma vida vivida pelo esforço humano e o começo de uma vida de fé e obediência. (1)

Esboço de Josué 3:

3.1 – 6: Preparação para atravessar o Jordão

3.7 – 13: O Senhor fala com Josué

3.14 – 17: Os israelitas atravessam o Jordão 

 

Josué 3.1 – 6: Preparação para atravessar o Jordão

1 De manhã bem cedo Josué e todos os israelitas partiram de Sitim e foram para o Jordão, onde acamparam antes de atravessar o rio.

2 Três dias depois, os oficiais percorreram o acampamento,

3 e deram esta ordem ao povo: Quando virem a arca da aliança do Senhor, o seu Deus, e os sacerdotes levitas carregando a arca, saiam das suas posições e sigam-na.

4 Mas mantenham a distância de cerca de novecentos metros entre vocês e a arca; não se aproximem! Desse modo saberão que caminho seguir, pois vocês nunca passaram por lá.

5 ordenou ao povo: “Santifiquem-se, pois amanhã o Senhor fará maravilhas entre vocês”.

6 E disse aos sacerdotes: “Levantem a arca da aliança e passem à frente do povo”. Eles a levantaram e foram na frente.

Josué 3.7 – 13: O Senhor fala com Josué

7 E o Senhor disse a Josué: Hoje começarei a exaltá-lo à vista de todo o Israel, para que saibam que estarei com você como estive com Moisés.

8 Portanto, você é quem dará a seguinte ordem aos sacerdotes que carregam a arca da aliança: Quando chegarem às margens das águas do Jordão, parem junto ao rio.

9 Então Josué disse aos israelitas: Venham ouvir as palavras do Senhor, o seu Deus.

10 Assim saberão que o Deus vivo está no meio de vocês e que certamente expulsará de diante de vocês os cananeus, os hititas, os heveus, os ferezeus, os girgaseus, os amorreus e os jebuseus.

11 Vejam, a arca da aliança do Soberano de toda a terra atravessará o Jordão à frente de vocês.

12 Agora, escolham doze israelitas, um de cada tribo.

13 Quando os sacerdotes que carregam a arca do Senhor, o Soberano de toda a terra, puserem os pés no Jordão, a correnteza será represada e as águas formarão uma muralha.

Josué 3.14 – 17: Os israelitas atravessam o Jordão

14 Quando, pois, o povo desmontou o acampamento para atravessar o Jordão, os sacerdotes que carregavam a arca da aliança foram adiante.

15 (O Jordão transborda em ambas as margens na época da colheita. ) Assim que os sacerdotes que carregavam a arca da aliança chegaram ao Jordão e seus pés tocaram as águas,

16 a correnteza que descia parou de correr e formou uma muralha a grande distância, perto de uma cidade chamada Adã, nas proximidades de Zaretã; e as águas que desciam para o mar da Arabá, o mar Salgado, escoaram totalmente. E assim o povo atravessou o rio em frente de Jericó.

17 Os sacerdotes que carregavam a arca da aliança do Senhor ficaram parados em terra seca no meio do Jordão, enquanto todo o Israel passava, até que toda a nação o atravessou pisando em terra seca.

 

Referências:

Campbell, D. K. (1985). Joshua. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 333–335). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here