Josué - Bíblia de Estudo Online

Josué sondou com perguntas e os astutos gibeonitas contaram sua história. Eles insistiram que vieram de uma grande distância para mostrar respeito ao poderoso Deus dos israelitas, para poder viver em paz como servos de Israel (Josué 9:8–13).

A notícia chegara até eles do que Deus havia feito pelos israelitas no Egito (provavelmente as pragas e a travessia do Mar Vermelho) e as vitórias de Deus sobre Siom e Ogue (Nm 21: 21-25; Dt 2: 26–3: 11).

Curiosamente, no entanto, eles não mencionaram as recentes vitórias de Israel sobre Jericó e Ai porque, se tivessem vindo de um país distante, não teriam ouvido falar dessas batalhas recentes.

Buscando esse ardil engenhoso, apresentaram suas credenciais – pão mofado, odres remendados, roupas esfarrapadas e sandálias desgastadas – e a suspeita de Josué e dos líderes se dissipou (Josué 9:8–13).

Enganado!

Pego de surpresa pela estratégia astuta dos gibeonitas, os líderes dos israelitas concluíram um tratado formal com eles. Mas Josué e os israelitas cometeram pelo menos dois erros. Primeiro, ao provar suas provisões, eles aceitaram como provas coisas que eram altamente questionáveis (Josué 9:14-15).

Se os visitantes fossem verdadeiros embaixadores com poder para concluir um tratado com outra nação, eles deveriam ter credenciais mais substanciais. Foi tolice de Josué não exigi-los.

A segunda e principal razão para o fracasso de Israel é declarada no verso 14: os líderes não buscaram orientação de Deus. Josué achava as provas tão fora de questão que não precisavam de conselho de Yahweh? Ele achava o assunto muito rotineiro ou sem importância para “incomodar” Deus com isso?

Seja qual for a causa, foi um erro confiar em seu próprio julgamento e fazer seus próprios planos. Isso vale para os crentes de todas as idades (Tiago 4:13-15). (1)

Esboço de Josué 9:

9.1,2: O emprego dos gibeonitas

9.3 – 14: A malícia dos gibeonitas

9.15 – 21: Aliança com os gibeonitas

9.22 – 27: Os gibeonitas são feitos escravos 

 

Josué 9.1,2: O emprego dos gibeonitas

1 E souberam disso todos os reis que viviam a oeste do Jordão, nas montanhas, na Sefelá e em todo o litoral do mar Gran­de, até o Líbano. Eram os reis dos hititas, dos amorreus, dos cananeus, dos ferezeus, dos heveus e dos jebuseus.

2 Eles se ajuntaram para guerrear contra Josué e contra Israel.

Josué 9.3 – 14: A malícia dos gibeonitas

3 Contudo, quando os habitantes de Gibeom souberam o que Josué tinha feito com Jericó e Ai,

4 recorreram a um ardil. Enviaram uma delegação, trazendo jumentos carregados de sacos gastos e vasilhas de couro velhas, rachadas e remendadas.

5 Os homens calçavam sandálias gastas e remendadas e vestiam roupas velhas. Todos os pães do suprimento deles estavam secos e esmigalhados.

6 Foram a Josué, no acampamento de Gilgal, e disseram a ele e aos homens de Israel: “Viemos de uma terra distante. Queremos que façam um acordo conosco”.

7 Os israelitas disseram aos heveus: “Tal­vez vocês vivam perto de nós. Como poderemos fazer um acordo com vocês?”

8 “Somos seus servos”, disseram a Josué. Josué, porém, perguntou: “Quem são vocês? De onde vocês vêm?”

9 Eles responderam: Seus servos vieram de uma terra muito distante por causa da fama do Senhor, o seu Deus. Pois ouvimos falar dele, de tudo o que fez no Egito,

10 e de tudo o que fez aos dois reis dos amorreus a leste do Jordão: Seom, rei de Hesbom, e Ogue, rei de Basã, que reinava em Asterote.

11 E os nossos líderes e todos os habitantes da nossa terra nos disseram: “Juntem provisões para a viagem, vão encontrar-se com eles e digam-lhes: Somos seus servos, façam um acordo conosco”.

12 Este nosso pão estava quente quando o embrulhamos em casa no dia em que saímos de viagem para cá. Mas vejam como agora está seco e esmigalhado.

13 Estas vasilhas de couro que enchemos de vinho eram novas, mas agora estão rachadas. E as nossas roupas e sandálias estão gastas por causa da longa viagem.

14 Os israelitas examinaram as provisões dos heveus, mas não consultaram o Senhor.

Josué 9.15 – 21: Aliança com os gibeonitas

15 Então Josué fez um acordo de paz com eles, garantindo poupar-lhes a vida, e os líderes da comunidade o confirmaram com juramento.

16 Três dias depois de fazerem o acordo com os gibeonitas, os israelitas souberam que eram vizinhos e que viviam perto deles.

17 Por isso partiram de viagem, e três dias depois chegaram às cidades dos heveus, que eram Gibeom, Quefira, Beerote e Quiriate-Jearim.

18 Mas não os atacaram, porque os líderes da comunidade lhes haviam feito um juramento em nome do Senhor, o Deus de Israel. Toda a comunidade, porém, queixou-se contra os líderes,

19 que lhes responderam: Fizemos a eles o nosso juramento em nome do Senhor, o Deus de Israel; por isso não podemos tocar neles.

20 Todavia, nós os trataremos assim: vamos deixá-los viver, para que não caia sobre nós a ira divina por quebrarmos o juramento que lhes fizemos.

21 E acrescentaram: “Eles ficarão vivos, mas serão lenhadores e carregadores de água para toda a comunidade”. E assim se manteve a promessa dos líderes.

Josué 9.22 – 27: Os gibeonitas são feitos escravos

22 Então Josué convocou os gibeonitas e disse: Por que vocês nos enganaram dizendo que viviam muito longe de nós, quando na verdade vivem perto?

23 Agora vocês estão debaixo de maldição: nunca deixarão de ser escravos, rachando lenha e carregando água para a casa do meu Deus.

24 Eles responderam a Josué: Os seus servos ficaram sabendo como o Senhor, o seu Deus, ordenou que o seu servo Moisés lhes desse toda esta terra e que eliminasse todos os seus habitantes da presença de vocês. Tivemos medo do que poderia acontecer conosco por causa de vocês. Por isso agimos assim.

25 Estamos agora nas suas mãos. Faça conosco o que lhe parecer bom e justo.

26 então os protegeu e não permitiu que os matassem.

27 Mas naquele dia fez dos gibeonitas lenhadores e carregadores de água para a comunidade e para o altar do Senhor, no local que o Senhor escolhesse. É o que eles são até hoje.

 

Referências:

Campbell, D. K. (1985). Joshua. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 348–349). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here