Juízes - Bíblia de Estudo Online

Tendo rejeitado o pedido de seus companheiros israelitas (cf. verso 13), os benjamitas mobilizaram 26.000 espadachins, mais 700 homens canhotos de Gibeá, que eram todos especialistas em fundas (Juízes 20:14-16).

Como observado anteriormente (v.2), as 11 tribos tinham a vantagem de um exército muito maior – 400.000 homens. Eles subiram a Betel (que significa “casa de Deus”) para consultar ao Senhor (provavelmente através do Urim e Tumim do sumo sacerdote; cf. Lv 8:8; Nm 27:21; Dt 33:8) sobre o qual tribo deve liderar o ataque contra os benjamitas.

A resposta do Senhor foi: “Judá irá primeiro”. Visto que o tabernáculo (ou santuário central similar onde o sumo sacerdote podia ser consultado) estava localizado em Siló tanto antes (cf. Josué 18:1) como depois (cf. 1 Sm 1:9) deste incidente, alguns estudiosos se referem a “ Betel ”aqui não para a cidade, mas para“ a casa de Deus ”que ficava em Siló (cf. Jud. 18:31,“ a casa de Deus estava em Siló ”).

No entanto, em 18:31 e em outros lugares quando o santuário é chamado de “a casa de Deus” a frase hebraica é bêṯ-hā’ělōhîm, não apenas ḇêṯ-’ēl (como em 20:18, 26). Possivelmente, o santuário central foi movido de um lado para outro entre Shiloh e Bethel, talvez mais de uma vez. Portanto, é preferível considerar Bethel nos versos 18 e 26 como a cidade na rota central da cordilheira a 10 ou 12 milhas ao norte de Jerusalém. (1)

Esboço de Juízes 20:

20.1 – 11: Reunião das tribos

20.12 – 17: A obstinação de Benjamim

20.18 – 25: A derrota inicial de Israel

20.26 – 48: A derrota dos benjamitas

 

Reunião das tribos

1 Então todos os israelitas, de Dã a Berseba, e de Gileade, saíram como um só homem e se reuniram em assembleia perante o Senhor, em Mispá.

2 Os líderes de todo o povo das tribos de Israel tomaram seus lugares na assembleia do povo de Deus, quatrocentos mil soldados armados de espada.

3 (Os benjamitas souberam que os israelitas haviam subido a Mispá.) Os israelitas perguntaram: “Como aconteceu essa perversidade? ”

4 Então o levita, marido da mulher assassinada, disse: Eu e a minha concubina chegamos a Gibeá de Benjamim para passar a noite.

5 Durante a noite os homens de Gibeá vieram para atacar-me e cercaram a casa, com a intenção de matar-me. Então violentaram minha concubina, e ela morreu.

6 Peguei minha concubina, cortei-a em pedaços e enviei um pedaço a cada região da herança de Israel, pois eles cometeram essa perversidade e esse ato vergonhoso em Israel.

7 Agora, todos vocês israelitas, manifestem-se e deem o seu veredicto.

8 Todo o povo se levantou como se fosse um só homem, dizendo: Nenhum de nós irá para casa. Nenhum de nós voltará para o seu lar.

9 Mas é isto que faremos agora contra Gibeá: separaremos, por sorteio, de todas as tribos de Israel,

10 de cada cem homens dez, de cada mil homens cem, de cada dez mil homens mil, para conseguirem provisões para o exército poder chegar a Gibeá de Benjamim e dar a eles o que merecem por esse ato vergonhoso cometido em Israel.

11 E todos os israelitas se ajuntaram e se uniram como um só homem contra a cidade.

A obstinação de Benjamim

12 As tribos de Israel enviaram homens a toda a tribo de Benjamim, dizendo: O que vocês dizem dessa maldade terrível que foi cometida no meio de vocês?

13 Agora, entreguem esses canalhas de Gibeá, para que os matemos e eliminemos esse mal de Israel. Mas os benjamitas não quiseram ouvir seus irmãos israelitas.

14 Vindos de suas cidades, reuniram-se em Gibeá para lutar contra os israelitas.

15 Naquele dia os benjamitas mobilizaram vinte e seis mil homens armados de espada que vieram das suas cidades, além dos setecentos melhores soldados que viviam em Gibeá.

16 Dentre todos esses soldados havia setecentos canhotos, muito hábeis, e cada um deles podia atirar com a funda uma pedra num cabelo sem errar.

17 Israel, sem os de Benjamim, convocou quatrocentos mil homens armados de espada, todos eles homens de guerra.

A derrota inicial de Israel

18 Os israelitas subiram a Betel e consultaram a Deus. “Quem de nós irá lutar primeiro contra os benjamitas? ”, perguntaram. O Senhor respondeu: “Judá irá primeiro”.

19 Na manhã seguinte os israelitas se levantaram e armaram acampamento perto de Gibeá.

20 Os homens de Israel saíram para lutar contra os benjamitas e tomaram posição de combate contra eles em Gibeá.

21 Os benjamitas saíram de Gibeá e naquele dia mataram vinte e dois mil israelitas no campo de batalha.

22 Mas os homens de Israel procuraram animar-se uns aos outros, e novamente ocuparam as mesmas posições do primeiro dia.

23 Os israelitas subiram, choraram perante o Senhor até a tarde, e consultaram o Senhor: “Devemos atacar de novo os nossos irmãos benjamitas? ” O Senhor respondeu: “Vocês devem atacar”.

24 Então os israelitas avançaram contra os benjamitas no segundo dia.

25 Dessa vez, quando os benjamitas saíram de Gibeá para enfrentá-los, derrubaram outros dezoito mil israelitas, todos eles armados de espada.

A derrota dos benjamitas

26 Então todos os israelitas subiram a Betel, e ali se assentaram, chorando perante o Senhor. Naquele dia jejuaram até a tarde e apresentaram holocaustos e ofertas de comunhão ao Senhor.

27 E os israelitas consultaram ao Senhor. (Naqueles dias a arca da aliança estava ali,

28 e Finéias, filho de Eleazar, filho de Arão, ministrava perante ela.) Perguntaram: “Sairemos de novo ou não, para lutar contra os nossos irmãos benjamitas? ” O Senhor respondeu: “Vão, pois amanhã eu os entregarei nas suas mãos”.

29 Então os israelitas armaram uma emboscada em torno de Gibeá.

30 Avançaram contra os benjamitas no terceiro dia e tomaram posição contra Gibeá, como tinham feito antes.

31 Os benjamitas saíram para enfrentá-los e foram atraídos para longe da cidade. Começaram a ferir alguns dos israelitas como tinham feito antes, e uns trinta homens foram mortos em campo aberto e nas estradas, uma que vai para Betel e a outra que vai para Gibeá.

32 Enquanto os benjamitas diziam: “Nós os derrotamos como antes”, os israelitas diziam: “Vamos retirar-nos e atraí-los para longe da cidade, para as estradas”.

33 Todos os homens de Israel saíram dos seus lugares e ocuparam posições em Baal-Tamar, e a emboscada israelita atacou da sua posição a oeste de Gibeá.

34 Então dez mil dos melhores soldados de Israel iniciaram um ataque frontal contra Gibeá. O combate foi duro, e os benjamitas não perceberam que a desgraça estava próxima deles.

35 O Senhor derrotou Benjamim perante Israel, e naquele dia os israelitas feriram vinte e cinco mil e cem benjamitas, todos armados de espada.

36 Então os benjamitas viram que estavam derrotados. Os israelitas bateram em retirada diante de Benjamim, pois confiavam na emboscada que tinham preparado perto de Gibeá.

37 Os da emboscada avançaram repentinamente para dentro de Gibeá, espalharam-se e mataram todos os habitantes da cidade à espada.

38 Os israelitas tinham combinado com os da emboscada que estes fariam subir da cidade uma grande nuvem de fumaça,

39 e então os israelitas voltariam a combater. Os benjamitas tinham começado a ferir os israelitas, matando cerca de trinta deles, e disseram: “Nós os derrotamos como na primeira batalha”.

40 Mas, quando a coluna de fumaça começou a se levantar da cidade, os benjamitas se viraram e viram a fumaça subindo ao céu.

41 Então os israelitas se voltaram contra eles, e os homens de Benjamim ficaram apavorados, pois perceberam que a sua desgraça havia chegado.

42 Assim, fugiram da presença dos israelitas tomando o caminho do deserto, mas não conseguiram escapar do combate. E os homens de Israel que saíram das cidades os mataram ali.

43 Cercaram os benjamitas e os perseguiram, e facilmente os alcançaram nas proximidades de Gibeá, no lado leste.

44 Dezoito mil benjamitas morreram, todos eles soldados valentes.

45 Quando se viraram e fugiram rumo ao deserto, para a rocha de Rimom, os israelitas abateram cinco mil homens ao longo das estradas. Até Gidom eles pressionaram os benjamitas e mataram mais de dois mil homens.

46 Naquele dia vinte e cinco mil benjamitas que portavam espada morreram, todos eles soldados valentes.

47 Seiscentos homens, porém, viraram as costas e fugiram para o deserto, para a rocha de Rimom, onde ficaram durante quatro meses.

48 Os israelitas voltaram a Benjamim e passaram todas as cidades à espada, matando inclusive os animais e tudo o que encontraram nelas. E incendiaram todas as cidades por onde passaram.

 

Referências:

Lindsey, F. D. (1985). Judges. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 412). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here