Juízes - Bíblia de Estudo Online

A história de Gideão é apresentada não por uma afirmação de que “Deus levantou um libertador chamado Gideão”, mas sim por uma narração de como Deus o levantou (Juízes 6:11-12a).

O chamado ou comissão de Gideão resultou de um confronto com o Anjo do SENHOR (que é “o SENHOR”, v. 14), que lhe aparecia como um estrangeiro peregrino e sentou-se sob o carvalho em Ofra, visto que o pai de Gideão, Joás, era abiezrita (um clã de Manassés, Josué 17:2), esta Ofra não era o lugar localizado em Benjamim, mas sim um local do norte possivelmente perto da fronteira de Manassés, no vale de Jezreel.

O ato de Gideão debulhar trigo em um lagar, refletia tanto seu medo da descoberta pelos midianitas quanto a pequenez de sua colheita. Normalmente, o trigo era debulhado (o grão separado dos talos de trigo) em uma área aberta em uma eira (ver 1 Cron. 21:20-23) por bois puxando trenós de debulha sobre os talos.

O comentário introdutório do Anjo afirmava a presença do Senhor com Gideão e  o descreveu como um poderoso guerreiro (“valente homem valente”; KJV; as palavras gibbôr ḥāyil também são aplicadas a Jefté, 11:1; e a Boaz Rute 2:1).

Estou com você!

Embora esta descrição possa ter sido falada em sátira (neste ponto, Gideão era tudo menos um poderoso guerreiro!), Provavelmente refletia a potencialidade de Gideão através da capacitação divina, além de expressar sua notável posição na comunidade.

A resposta inicial de Gideão ignorou o pronome singular “tu” (Juízes 6:12), pois ele respondeu: “Se o SENHOR está conosco” (pl. Pronome). Gideão questionou a promessa divina em vista das atuais circunstâncias de seu povo. Ele concluiu corretamente, porém, que o SENHOR os colocara nas mãos dos midianitas.

“O Anjo do SENHOR” (vv. 11–12) agora falava como o SENHOR e comissionou Gideão para ir e salvar Israel da mão de Midiã (Juízes 6:14). As palavras “a força que você” talvez tenha assumido a presença divina anteriormente mencionada (v. 12).

6:15. Mas, Gideão relutou, “meu clã é o mais fraco e eu sou o menor”. Essa objeção poderia ter se originado da humildade típica do Oriente Próximo, mas talvez também refletisse uma boa quantidade de realidade.

A garantia de Deus reafirmou Sua presença com Gideão (“eu estarei com você”) e a facilidade com a qual ele realizaria a vitória sobre os midianitas (“como se eles fossem apenas um homem”). (1)

Esboço de Juízes 6:

6.1 – 6: A desobediência de Israel e sua pobreza

6.7 – 10: O Senhor envia um Profeta

6.11 – 17: O chamado de Gideão

6.18 – 21: A oferta de Gideão

6.22 – 27: A instrução do Anjo do Senhor

6.28 – 32: O altar de Baal é derrubado

6.33 – 40: Gideão pede um sinal 

 

Juízes 6.1 – 6: A desobediência de Israel e sua pobreza

1 De novo os israelitas fizeram o que o Senhor reprova, e durante sete anos ele os entregou nas mãos dos midianitas.

2 Os midianitas dominaram Israel; por isso os israelitas fizeram para si esconderijos nas montanhas, nas cavernas e nas fortalezas.

3 Sempre que os israelitas faziam as suas plantações, os midianitas, os amalequitas e outros povos da região a leste deles as invadiam.

4 Acampavam na terra e destruíam as plantações ao longo de todo o caminho, até Gaza, e não deixavam nada vivo em Israel, nem ovelhas nem gado nem jumentos.

5 Eles subiam trazendo os seus animais e suas tendas, e vinham como enxames de gafanhotos; era impossível contar os homens e os seus camelos. Invadiam a terra para devastá-la.

6 Por causa de Midiã, Israel empobreceu tanto que os israelitas clamaram por socorro ao Senhor.

Juízes 6.7 – 10: O Senhor envia um Profeta

7 Quando os israelitas clamaram ao Senhor por causa de Midiã,

8 ele lhes enviou um profeta, que disse: Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: “Tirei vocês do Egito, da terra da escravidão.

9 Eu os livrei do poder do Egito e das mãos de todos os seus opressores. Expulsei-os e dei a vocês a terra deles.

10 E também disse a vocês: Eu sou o Senhor, o seu Deus; não adorem os deuses dos amorreus, em cuja terra vivem, mas vocês não me deram ouvidos”.

Juízes 6.11 – 17: O Chamado de Gideão

11 Então o Anjo do Senhor veio e sentou-se sob a grande árvore de Ofra, que pertencia ao abiezrita Joás. Gideão, filho de Joás, estava malhando o trigo num tanque de prensar uvas, para escondê-lo dos midianitas.

12 Então o Anjo do Senhor apareceu a Gideão e lhe disse: “O Senhor está com você, poderoso guerreiro”.

13 “Ah, Senhor”, Gideão respondeu, “se o Senhor está conosco, por que aconteceu tudo isso? Onde estão todas as suas maravilhas que os nossos pais nos contam quando dizem: “Não foi o Senhor que nos tirou do Egito?” Mas agora o Senhor nos abandonou e nos entregou nas mãos de Midiã”.

14 O Senhor se voltou para ele e disse: “Com a força que você tem, vá libertar Israel das mãos de Midiã. Não sou eu quem o está enviando?”

15 “Ah, Senhor”, respondeu Gideão, “como posso libertar Israel? Meu clã é o menos importante de Manassés, e eu sou o menor da minha família.”

16 “Eu estarei com você”, respondeu o Senhor, “e você derrotará todos os midianitas como se fossem um só homem”.

17 E Gideão prosseguiu: Se de fato posso contar com o teu favor, dá-me um sinal de que és tu que estás falando comigo.

Juízes 6.18 – 21: A oferta de Gideão

18 Peço-te que não vás embora até que eu volte e traga minha oferta e a coloque diante de ti”. E o Senhor respondeu: “Esperarei até você voltar”.

19 Gideão foi para casa, preparou um cabrito, e com uma arroba de farinha fez pães sem fermento. Pôs a carne num cesto e o caldo numa panela, trouxe-os para fora e ofereceu-os a ele sob a grande árvore.

20 E o Anjo de Deus lhe disse: “Apanhe a carne e os pães sem fermento, ponha-os sobre esta rocha e derrame o caldo”. Gideão assim o fez.

21 Com a ponta do cajado que estava em sua mão, o Anjo do Senhor tocou a carne e os pães sem fermento. Fogo subiu da rocha, consumindo a carne e os pães. E o Anjo do Senhor desapareceu.

Juízes 6.22 – 27: A instrução do Anjo do Senhor

22 Quando Gideão viu que era o Anjo do Senhor, exclamou: “Ah, Senhor Soberano! Vi o Anjo do Senhor face a face!”

23 Disse-lhe, porém, o Senhor: “Paz seja com você! Não tenha medo. Você não morrerá”.

24 Gideão construiu ali um altar em honra ao Senhor e lhe deu este nome: O Senhor é Paz. Até hoje o altar está em Ofra dos abiezritas.

25 Naquela mesma noite o Senhor lhe disse: Separe o segundo novilho do rebanho de seu pai, aquele de sete anos de idade. Despedace o altar de Baal, que pertence a seu pai, e corte o poste sagrado de Aserá que está ao lado do altar.

26 Depois faça um altar para o Senhor, o seu Deus, no topo desta elevação. Ofereça o segundo novilho em holocausto com a madeira do poste sagrado que você irá cortar.

27 Assim Gideão chamou dez dos seus servos e fez como o Senhor lhe ordenara. Mas, com medo da sua família e dos homens da cidade, fez tudo de noite, e não durante o dia.

Juízes 6.28 – 32: O altar de Baal é derrubado

28 De manhã, quando os homens da cidade se levantaram, lá estava demolido o altar de Baal, com o poste sagrado ao seu lado, cortado, e com o segundo novilho sacrificado no altar recém-construído!

29 Perguntaram uns aos outros: “Quem fez isso?” Depois de investigar, concluíram: “Foi Gideão, filho de Joás”.

30 Os homens da cidade disseram a Joás: “Traga seu filho para fora. Ele deve morrer, pois derrubou o altar de Baal e quebrou o poste sagrado que ficava ao seu lado”.

31 Joás, porém, respondeu à multidão hostil que o cercava: “Vocês vão defender a causa de Baal? Estão tentando salvá-lo? Quem lutar por ele será morto pela manhã! Se Baal fosse realmente um deus, poderia defender-se quando derrubaram o seu altar”.

32 Por isso naquele dia chamaram Gideão de “Jerubaal”, dizendo: “Que Baal dispute com ele, pois derrubou o seu altar”.

Juízes 6.33 – 40: Gideão pede um sinal

33 Nesse meio tempo, todos os midianitas, amalequitas e outros povos que vinham do leste uniram os seus exércitos, atravessaram o Jordão e acamparam no vale de Jezreel.

34 Então o Espírito do Senhor apoderou-se de Gideão, e ele, com toque de trombeta, convocou os abiezritas para segui-lo.

35 Enviou mensageiros a todo o Manassés, chamando-o às armas, e também a Aser, a Zebulom e a Naftali, que também subiram ao seu encontro.

36 E Gideão disse a Deus: Quero saber se vais libertar Israel por meu intermédio, como prometeste.

37 Vê, colocarei uma porção de lã na eira. Se o orvalho molhar apenas a lã e todo o chão estiver seco, saberei que tu libertarás Israel por meu intermédio, como prometeste.

38 E assim aconteceu. Gideão levantou-se bem cedo no dia seguinte, torceu a lã e encheu uma tigela de água do orvalho.

39 Disse ainda Gideão a Deus: “Não se acenda a tua ira contra mim. Deixa-me fazer só mais um pedido. Permite-me fazer mais um teste com a lã. Desta vez faze ficar seca a lã e o chão coberto de orvalho”.

40 E Deus assim fez naquela noite. Somente a lã estava seca; o chão estava todo coberto de orvalho.

 

Referências:

Lindsey, F. D. (1985). Judges. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 391–392). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here