Juízes - Bíblia de Estudo Online

Gideão dividiu seu pequeno grupo em três companhias de homens, cujas armas estratégicas, mas estranhas, eram trompetes e jarros vazios com tochas dentro (Juízes 7:16-22).

Chegaram à beira do acampamento midianita na hora providencial do início da vigília do meio (às dez da noite), logo depois de terem mudado o guarda (quando os guardas que estavam se retirando ainda estariam se aproximando das tendas).

Nos dias de Gideão, a primeira vigília era das 6 da tarde às 10 da noite; a segunda vigília era das 10 da noite às 2 da manhã; e a terceira vigília começava às 2 da manhã indo até às 6 da manhã.

Tocando as trombetas

Nesse momento crítico, os israelitas tocaram as trombetas e quebraram os jarros (ambos fazendo um barulho terrível e revelando as tochas brilhantes) e gritaram alto: “Uma espada para o Senhor e para Gideão!”. Esse grito de guerra indicava sua confiança no Senhor para lhes dar a vitória e também os identificava para os midianitas e despertava medo neles.

A palavra para trombetas é šôp̱ārôṯ, “feita de chifres de animais”; Eles deram um som alto e agudo. Os jarros eram jarros provavelmente feitos de barro. A confusão no acampamento midianita era inacreditável, pois imaginavam uma força israelita muito maior atacando-os e, como talvez, confundiram seus próprios guardas aposentados com os israelitas.

Essa confusão divinamente planejada fez com que os midianitas se voltassem uns contra os outros com suas espadas, enquanto os israelitas aparentemente observavam em segurança ao redor do acampamento (Juízes 7:16-22).

O exército midianita fugiu para o sudeste, para Bete-Sita (um local de campo imediato) e Abel-Meolá para o rio Jordão. Abel-Meolá talvez fosse Tell Abu Sus, cerca de 38 quilômetros ao sul do mar de Kinnereth (Galiléia). Abel-Meolá era o lugar onde Eliseu vivia quando Elias o chamou para ser seu protegido, 1 Reis 19:16.

O exército aparentemente fugiu naquela direção para cruzar o Jordão para chegar a Zererá e Tabate. (1)

Esboço de Juízes 7:

7.1 – 8: Deus orienta Gideão

7.9 – 15: Deus encoraja Gideão

7.16 – 22: O Senhor dá vitória a Gideão

7.23 – 25: A fuga dos derrotados 

 

Deus orienta Gideão

1 De madrugada Jerubaal, isto é, Gideão, e todo o seu exército acampou junto à fonte de Harode. O acampamento de Midiã estava ao norte deles, no vale, perto do monte Moré.

2 E o Senhor disse a Gideão: Você tem gente demais, para eu entregar Midiã nas suas mãos. A fim de que Israel não se orgulhe contra mim, dizendo que a sua própria força o libertou,

3 anuncie, pois, ao povo que todo aquele que estiver tremendo de medo poderá ir embora do monte Gileade. Então vinte e dois mil homens partiram, e ficaram apenas dez mil.

4 Mas o Senhor tornou a dizer a Gideão: “Ainda há gente demais. Desça com eles à beira d’água, e eu separarei os que ficarão com você. Se eu disser: Este irá com você, ele irá; mas, se eu disser: Este não irá com você, ele não irá”.

5 Assim Gideão levou os homens à beira d’água, e o Senhor lhe disse: “Separe os que beberem a água lambendo-a como faz o cachorro, daqueles que se ajoelharem para beber”.

6 O número dos que lamberam a água levando-a com as mãos à boca foi de trezentos homens. Todos os demais se ajoelharam para beber.

7 O Senhor disse a Gideão: “Com os trezentos homens que lamberam a água livrarei vocês e entregarei os midianitas nas suas mãos. Mande para casa todos os outros homens”.

8 Gideão mandou os israelitas para as suas tendas, mas reteve os trezentos. E estes ficaram com as provisões e as trombetas dos que partiram. O acampamento de Midiã ficava abaixo deles, no vale.

Deus encoraja Gideão

9 Naquela noite o Senhor disse a Gideão: Levante-se e desça ao acampamento, pois vou entregá-lo nas suas mãos.

10 Se você está com medo de atacá-los, desça ao acampamento com o seu servo Pura

11 e ouça o que estiverem dizendo. Depois disso você terá coragem para atacar. Então ele e o seu servo Pura desceram até os postos avançados do acampamento.

12 Os midianitas, os amalequitas e todos os outros povos que vinham do leste haviam se instalado no vale; eram numerosos como nuvens de gafanhotos. Assim como não se pode contar a areia da praia, também não se podia contar os seus camelos.

13 Gideão chegou bem no momento em que um homem estava contando seu sonho a um amigo. “Tive um sonho”, dizia ele. “Um pão de cevada vinha rolando dentro do acampamento midianita, e atingiu a tenda com tanta força que ela tombou e se desmontou.”

14 Seu amigo respondeu: “Não pode ser outra coisa senão a espada de Gideão, filho de Joás, o israelita. Deus entregou os midianitas e todo o acampamento nas mãos dele”.

15 Quando Gideão ouviu o sonho e a sua interpretação, adorou a Deus. Voltou para o acampamento de Israel e gritou: “Levantem-se! O Senhor entregou o acampamento midianita nas mãos de vocês”.

O Senhor dá vitória a Gideão

16 Dividiu os trezentos homens em três companhias e pôs nas mãos de todos eles trombetas e jarros vazios, com tochas dentro.

17 E ele lhes disse: Observem-me. Façam o que eu fizer. Quando eu chegar à extremidade do acampamento, façam o que eu fizer.

18 Quando eu e todos os que estiverem comigo tocarmos as nossas trombetas ao redor do acampamento, toquem as suas, e gritem: Pelo Senhor e por Gideão!

19 Gideão e os cem homens que o acompanhavam chegaram aos postos avançados do acampamento pouco depois da meia-noite, assim que foram trocadas as sentinelas. Então tocaram as suas trombetas e quebraram os jarros que tinham nas mãos;

20 as três companhias tocaram as trombetas e despedaçaram os jarros. Empunhando as tochas com a mão esquerda e as trombetas com a direita, gritaram: “À espada, pelo Senhor e por Gideão!”

21 Cada homem mantinha a sua posição em torno do acampamento, e todos os midianitas fugiam correndo e gritando.

22 Quando as trezentas trombetas soaram, o Senhor fez que em todo o acampamento os homens se voltassem uns contra os outros com as suas espadas. Mas muitos fugiram para Bete-Sita, na direção de Zererá, até a fronteira de Abel-Meolá, perto de Tabate.

A fuga dos derrotados

23 Os israelitas de Naftali, de Aser e de todo o Manassés foram convocados, e perseguiram os midianitas.

24 Gideão enviou mensageiros a todos os montes de Efraim, dizendo: “Desçam para atacar os midianitas e cerquem as águas do Jordão à frente deles até Bete-Bara”. Foram, pois, convocados todos os homens de Efraim, e eles ocuparam as águas do Jordão até Bete-Bara.

25 Eles prenderam dois líderes midianitas, Orebe e Zeebe. Mataram Orebe na rocha de Orebe, e Zeebe no tanque de prensar uvas de Zeebe. E, depois de perseguir os midianitas, trouxeram a cabeça de Orebe e a de Zeebe a Gideão, que estava do outro lado do Jordão.

 

Referências:

Lindsey, F. D. (1985). Judges. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 394). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here