Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Levítico 7 Estudo: Lei da Oferta de Comunhão

Levítico 7 Estudo: Lei da Oferta de Comunhão

Em Levítico 7 vemos às regras referentes à lei de oferta pelo pecado, isto é, como elas deveriam ser oferecidas. É importante ter em mente que em cada uma das ofertas, Deus procura se aproximar do pecador.

No holocausto, que é o primeiro, o pecador procura agradar a Deus e atrair Sua atenção, e na oferta pela culpa, que é a última, o pecador trata dos prejuízos causados pelo pecado.

O grande objetivo, é despertar a consciência do pecador para o pecado, e fazê-lo perceber que o pecado produz inimizade, distância, separação de Deus, sendo necessária uma reaproximação pacífica com Ele.

É exatamente isso que Cristo Jesus faz por nós. Após a ressurreição o Senhor se apresenta aos discípulos e lhes diz: “Paz seja convosco!” (João 20:19).

O apóstolo Paulo nos apresenta a palavra de reconciliação, onde Cristo promoveu a reconciliação de Deus com os crentes. Aos Romanos, Paulo escreve tranquilizando a Igreja, dizendo que agora “Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo…” (Romanos 5:1).

Esboço de Levítico 7:

7.1 – 10: Lei da expiação da culpa

7.11 – 18: Lei da oferta de comunhão

7.19 – 21: Carne contaminada

7.22 – 27: Proibições acerca da gordura e do sangue

7.28 – 34: Sacrifícios de comunhão

7.35 – 38: Ofertas preparadas no fogo

 

Levítico 7.1 – 10: Lei da expiação da culpa

1 Esta é a regulamentação da oferta pela culpa, que é oferta santíssima:

2 O animal da oferta pela culpa será morto no local onde são sacrificados os holocaustos, e seu sangue será derramado nos lados do altar.

3 Toda a sua gordura será oferecida: a parte gorda da cauda e a gordura que cobre as vísceras,

4 os dois rins com a gordura que os cobre e que está perto dos lombos, e o lóbulo do fígado, que será removido juntamente com os rins.

5 O sacerdote os queimará no altar como oferta dedicada ao Senhor, preparada no fogo. É oferta pela culpa.

6 Somente os homens da família dos sacerdotes poderão comê-la, mas deve ser comida em lugar sagrado; é oferta santíssima.

7 A mesma regulamentação aplica-se tanto à oferta pelo pecado quanto à oferta pela culpa: a carne pertence ao sacerdote que faz propiciação pela culpa.

8 O sacerdote que oferecer um holocausto por alguém ficará com o couro do animal.

9 Toda oferta de cereal, assada num forno ou cozida numa panela ou numa assadeira, pertence ao sacerdote que a oferecer,

10 e toda oferta de cereal, amassada com óleo ou não, pertence igualmente aos descendentes de Arão.

Levítico 7.11 – 18: Lei da oferta de comunhão

11 Esta é a regulamentação da oferta de comunhão que pode ser apresentada ao Senhor:

12 Se alguém a fizer por gratidão, então, junto com sua oferta de gratidão, terá que oferecer bolos sem fermento e amassados com óleo, pães finos sem fermento e untados com óleo, e bolos da melhor farinha bem amassados e misturados com óleo.

13 Juntamente com sua oferta de comunhão por gratidão, apresentará uma oferta que inclua bolos com fermento.

14 De cada oferta trará uma contribuição ao Senhor, que será dada ao sacerdote que asperge o sangue das ofertas de comunhão.

Faça parte da nossa comunidade online e tenha acesso a conteúdo exclusivo.

15 A carne da sua oferta de comunhão por gratidão será comida no dia em que for oferecida; nada poderá sobrar até o amanhecer.

16 Se, contudo, sua oferta for resultado de um voto ou for uma oferta voluntária, a carne do sacrifício será comida no dia em que for oferecida, e o que sobrar poderá ser comido no dia seguinte.

17 Mas a carne que sobrar do sacrifício até o terceiro dia será queimada no fogo.

18 Se a carne da oferta de comunhão for comida ao terceiro dia, ela não será aceita. A oferta não será atribuída àquele que a ofereceu, pois a carne estará estragada; e quem dela comer sofrerá as consequências da sua iniquidade.

Levítico 7.19 – 21: Carne contaminada

19 A carne que tocar em qualquer coisa impura não será comida; será queimada no fogo. A carne do sacrifício, porém, poderá ser comida por quem estiver puro.

20 Mas se alguém que, estando impuro, comer da carne da oferta de comunhão que pertence ao Senhor, será eliminado do meio do seu povo.

21 Se alguém tocar em alguma coisa impura, seja impureza humana, seja de animal, seja qualquer outra coisa impura e proibida, e comer da carne da oferta de comunhão que pertence ao Senhor, será eliminado do meio do seu povo.

Levítico 7.22 – 27: Proibições acerca da gordura e do sangue

22 E disse o Senhor a Moisés:

23 Diga aos israelitas: Não comam gordura alguma de boi, carneiro ou cabrito.

24 A gordura de um animal encontrado morto ou despedaçado por animais selvagens pode ser usada para qualquer outra finalidade, mas nunca poderá ser comida.

25 Quem comer a gordura de um animal dedicado ao Senhor numa oferta preparada no fogo, será eliminado do meio do seu povo.

26 Onde quer que vocês vivam, não comam o sangue de nenhuma ave nem de animal.

27 Quem comer sangue será eliminado do meio do seu povo.

Levítico 7.28 – 34: Sacrifícios de comunhão

28 Disse mais o Senhor a Moisés:

29 Diga aos israelitas: Todo aquele que trouxer sacrifício de comunhão ao Senhor terá que dedicar parte dele ao Senhor.

30 Com suas próprias mãos trará ao Senhor as ofertas preparadas no fogo; trará a gordura juntamente com o peito, e o moverá perante o Senhor como gesto ritual de apresentação.

31 O sacerdote queimará a gordura no altar, mas o peito pertence a Arão e a seus descendentes.

32 Vocês deverão dar a coxa direita das ofertas de comunhão ao sacerdote como contribuição.

33 O descendente de Arão que oferecer o sangue e a gordura da oferta de comunhão receberá a coxa direita como porção.

34 Das ofertas de comunhão dos israelitas, tomei o peito que é movido ritualmente e a coxa que é ofertada, e os dei ao sacerdote Arão e a seus descendentes por decreto perpétuo para os israelitas.

Levítico 7.35 – 38: Ofertas preparadas no fogo

35 Essa é a parte das ofertas dedicadas ao Senhor, preparadas no fogo, destinada a Arão e a seus filhos no dia em que foram apresentados para servirem ao Senhor como sacerdotes.

36 Foi isso que o Senhor ordenou dar a eles, no dia em que foram ungidos dentre os israelitas. É um decreto perpétuo para as suas gerações.

37 Essa é a regulamentação acerca do holocausto, da oferta de cereal, da oferta pelo pecado, da oferta pela culpa, da oferta de ordenação e da oferta de comunhão.

38 O Senhor entregou-a a Moisés no monte Sinai, no dia em que ordenou aos israelitas que trouxessem suas ofertas ao Senhor, no deserto do Sinai.

Sobre o autor | Website

ME SIGA NO INSTAGRAM: @diegonascimento316 INSCREVA-SE em meu Canal do YouTube: https://www.youtube.com/jesuseabibliaoficial

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

4 Comentários

  1. aparecido j lange disse:

    Angela Maria Velasque, a oferta em sacrifício de animais tinha o seguinte significado: Quem peca deve morrer, então Deus aceita a oferta de um animal como substituto do homem que pecou – a animal morre no lugar do pecador. Na verdade, quem morreu em lugar do pecador foi o Senhor Jesus Cristo, mas o animal era aceito provisoriamente enquanto Jesus não tinha vindo ainda. Compreende?
    Quanto à queima da gordura, esta era considerada a melhor parte da carne. Sendo assim, não podia ser comida pelo adorador ou pelo sacerdote. Em vez disso, tinha de ser oferecida ao Senhor: o melhor é sempre a medida do que devemos oferecer a Deus.
    Os rins e tudo o que era queimado, subia a fumaça em cheiro suave ao Senhor. Enfim, devemos entender que as ofertas (e os dízimos) não oferecidos aos sacerdotes, mas ao Senhor, e o Senhor direciona parte das ofertas para o sustento dos homens que estão exclusivamente a seu serviço no templo. É como se fosse uma refeição: a porção que queimada era do Senhor, e o restante era concessão de Deus para os sacerdotes e levitas. Hoje, estamos vivendo o Sacerdócio Eterno segundo a ordem de Melquisedeque, em que o sumo sacerdote é o Senhor Jesus Cristo. Hoje não levamos mais animais, nem bolos, nem cereais. Mas levamos dízimos e ofertas ao Senhor do que recebemos: tudo em dinheiro, é claro, então, é pode-se considerar que a construção e manutenção do prédio da igreja, são a porção do Senhor, e a porção do sacerdote e dos levitas são seus salários. Mas se o pastor cobrar valores para pregar ou para cantar, aí já não sei se está correto, deixemos para o Senhor julgar quem estiver profanando o nome do Senhor.

  2. Pedro disse:

    o verso 3 me deixou com duvidas sobre o bolo com fermento, se exigencia sempre foi sem fermento, como explica-se aqui?

  3. angela maria velasque disse:

    Bom dia,pq Deus usada dessa maneira,pq as ofertas tinha que ser carne de animais,o que quer dizer com os rins,gordura pro senhor,pq tinha que queimar no fogo a carne de animais pra oferecer só Senhor

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
});