Bíblia de Estudo Online

Lucas 13 Estudo: A Tragédia e o Pecado

Lucas 13.1 – 5: Muitas pessoas acreditam que a principal razão de toda tragédia, é o pecado. Neste trecho Jesus Cristo nos mostra que não é bem assim.

De fato, todos nós pecamos independente da tragédia. Sendo assim Jesus nos alerta a tomar conta de nossa própria vida. 

Lucas 13.6 – 9: Jesus conta o exemplo de um homem, dono de terra que esperou por três anos que uma figueira desse fruto, mas ela não deu.

Isto fez com que ele decretasse que ela fosse cortada. O servo que cuidava dela pediu um pouco mais de paciência. Foi quando o dono da terra disse: “Se der fruto no ano que vem, muito bem! Se não, corte-a”.

Ou seja, o princípio é que na condição de cristãos precisamos ser frutíferos em todo o tempo, pois o Senhor Deus não tolera a infertilidade por nossa parte.

Lucas 13.10 – 17: Estando na sinagoga em um sábado, Jesus Cristo sente compaixão por uma mulher encurvada e a cura (Ver Milagres de Jesus e Cura Divina). A atitude dele deixa os fariseus muito irritados, pois diziam: “Há seis dias em que se deve trabalhar. Venham para ser curados nesses dias, e não no sábado”.

Isso deixa Jesus Cristo profundamente indignado. Daí ele diz: “Hipócritas! Cada um de vocês não desamarra no sábado o seu boi ou jumento do estábulo e o leva dali para dar-lhe água?”.

Ou seja, para eles cuidar de animais no sábado era lícito, mas cuidar de seres humanos é ilícito. Essa hipocrisia sempre deixava Jesus irritado, e deve nos deixar também.

Eles não entenderam o princípio do sábado e deturparam a Lei de Deus.

Lucas 13.18 – 21: Para saber mais sobre o Reino de Deus veja: Estudo Bíblico Sobre o Reino de Deus.

Lucas 13.22 – 30: Jesus Cristo nos ensina que na vida teremos de fazer escolhas. Sendo assim ele diz as escolhas que levam ao Reino de Deus são as da porta estreita.

Ou seja, é um caminho mais difícil, árduo, doloroso. Contudo, ao final dele encontraremos descanso eterno em Deus.

Em contrapartida a porta larga, oferece opções mais fáceis. Porém ao final dela o que nos aguarda é choro e ranger de dentes, que são a marca do agonizante sofrimento eterno.

Lucas 13.31 – 35: Algumas pessoas vieram dizer a Jesus que Herodes queria matá-lo. A partir daí o Senhor levantou um lamento sobre Jerusalém.

Sua maior dor é que ele já havia tentado de diversas formas cuidar dela e ajuntar seus filhos. Ele fez isso, ao longo dos anos enviando seus profetas. Mas eles mataram a todos.

Jesus Cristo sabia que inclusive ele seria morto por suas mãos. Contudo, sua maior tristeza era saber que a redenção havia chegado e eles não percebiam. (Ver Lucas 12 Estudo)

 

Lucas 13.1 – 5: Relação entre a tragédia e o pecado

1 Naquela ocasião, alguns dos que estavam presentes contaram a Jesus que Pilatos misturara o sangue de alguns galileus com os sacrifícios deles.

2 Jesus respondeu: Vocês pensam que esses galileus eram mais pecadores que todos os outros, por terem sofrido dessa maneira?

3 Eu lhes digo que não! Mas se não se arrependerem, todos vocês também perecerão.

4 Ou vocês pensam que aqueles dezoito que morreram, quando caiu sobre eles a torre de Siloé, eram mais culpados do que todos os outros habitantes de Jerusalém?

5 Eu lhes digo que não! Mas se não se arrependerem, todos vocês também perecerão.

Lucas 13.6 – 9: Parábola da figueira sem figos

6 Então contou esta parábola: Um homem tinha uma figueira plantada em sua vinha. Foi procurar fruto nela, e não achou nenhum.

7 Por isso disse ao que cuidava da vinha: “Já faz três anos que venho procurar fruto nesta figueira e não acho. Corte-a! Por que deixá-la inutilizar a terra?”

8 Respondeu o homem: “Senhor, deixe-a por mais um ano, e eu cavarei ao redor dela e a adubarei.

9 Se der fruto no ano que vem, muito bem! Se não, corte-a”.

Lucas 13.10 – 17: A cura da mulher encurvada

10 Certo sábado Jesus estava ensinando numa das sinagogas,

11 e ali estava uma mulher que tinha um espírito que a mantinha doente havia dezoito anos. Ela andava encurvada e de forma alguma podia endireitar-se.

12 Ao vê-la, Jesus chamou-a à frente e lhe disse: “Mulher, você está livre da sua doença”.

13 Então lhe impôs as mãos; e imediatamente ela se endireitou, e passou a louvar a Deus.

14 Indignado porque Jesus havia curado no sábado, o dirigente da sinagoga disse ao povo: “Há seis dias em que se deve trabalhar. Venham para ser curados nesses dias, e não no sábado”.

15 O Senhor lhe respondeu: Hipócritas! Cada um de vocês não desamarra no sábado o seu boi ou jumento do estábulo e o leva dali para dar-lhe água?

16 Então, esta mulher, uma filha de Abraão a quem Satanás mantinha presa por dezoito longos anos, não deveria no dia de sábado ser libertada daquilo que a prendia?

17 Tendo dito isso, todos os seus oponentes ficaram envergonhados, mas o povo se alegrava com todas as maravilhas que ele estava fazendo.

Lucas 13.18 – 21: O Reino de Deus

18 Então Jesus perguntou: Com que se parece o Reino de Deus? Com que o compararei?

19 É como um grão de mostarda que um homem semeou em sua horta. Ele cresceu e se tornou uma árvore, e as aves do céu fizeram ninhos em seus ramos.

20 Mais uma vez ele perguntou: Com que compararei o Reino de Deus?

21 É como o fermento que uma mulher misturou com uma grande quantidade de farinha, e toda a massa ficou fermentada.

Lucas 13.22 – 30: A porta estreita e a porta larga

22 Depois Jesus foi pelas cidades e povoados e ensinava, prosseguindo em direção a Jerusalém.

23 Alguém lhe perguntou: “Senhor, serão poucos os salvos?” Ele lhes disse:

24 Esforcem-se para entrar pela porta estreita, porque eu lhes digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão.

25 Quando o dono da casa se levantar e fechar a porta, vocês ficarão do lado de fora, batendo e pedindo: “Senhor, abre-nos a porta”. Ele, porém, responderá: “Não os conheço, nem sei de onde são vocês”.

26 Então vocês dirão: “Comemos e bebemos contigo, e ensinaste em nossas ruas”.

27 Mas ele responderá: “Não os conheço, nem sei de onde são vocês. Afastem-se de mim, todos vocês, que praticam o mal!”

28 Ali haverá choro e ranger de dentes, quando vocês virem Abraão, Isaque e Jacó, e todos os profetas no Reino de Deus, mas vocês excluídos.

29 Pessoas virão do oriente e do ocidente, do norte e do sul, e ocuparão os seus lugares à mesa no Reino de Deus.

30 De fato, há últimos que serão primeiros, e primeiros que serão últimos.

Lucas 13.31 – 35: O lamento de Jesus sobre Jerusalém

31 Naquela mesma hora alguns fariseus aproximaram-se de Jesus e lhe disseram: “Saia e vá embora daqui, pois Herodes quer matá-lo”.

32 Ele respondeu: Vão dizer àquela raposa: Expulsarei demônios e curarei o povo hoje e amanhã, e no terceiro dia estarei pronto.

33 Mas, preciso prosseguir hoje, amanhã e depois de amanhã, pois certamente nenhum profeta deve morrer fora de Jerusalém!

34 Jerusalém, Jerusalém, você, que mata os profetas e apedreja os que lhe são enviados! Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram!

35 Eis que a casa de vocês ficará deserta. Eu lhes digo que vocês não me verão mais até que digam: “Bendito o que vem em nome do Senhor”.

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, estudante de Teologia e Administração. Seu amor por Jesus o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.