Lucas 16.1 – 9: Para saber mais leia o Estudo Bíblico Sobre a Parábola do Administrador Infiel.

Lucas 16.10 – 12: O Senhor Jesus Cristo nos ensina sobre a coerência. Ele nos diz que quem não sabe administrar o pouco não conseguirá administrar muito. O contrário é verdade. Quem é fiel no pouco é fiel no muito.

Quem você é hoje não muda com o aumento dos bens. O que acontece é que o seu “eu” de verdade fica em maior evidência.

Lucas 16.13 – 16: Jesus Cristo nos mostra que Deus deseja adoração exclusiva. Ele não tolera a idolatria, seja ao que for: imagens, dinheiro, filhos, família, etc.

Nosso coração deve ter um único altar e deve ser ocupado pelo Senhor. Não há como ser fiel a Deus e ao sistema, pressões, filosofias mundanas, dinheiro, enfim. Ou adoramos só a Deus ou somos idólatras.

Lucas 16.17, 18: O Senhor Jesus Cristo reitera o valor da aliança do casamento e mostra, mais uma vez que o divórcio não é a vontade de Deus.

Lucas 16.19 – 31: Nesta parábola Jesus Cristo mostra a realidade existente após a morte. Dois homens: um muito rico que não temia a Deus e Lázaro que embora fosse muito pobre, temia a Deus.

Vemos que as condições deles aqui na Terra não determinam seu destino após a morte. A riqueza do rico não pode salvá-lo e a pobreza de Lázaro não o privou do céu.

Outro ponto muito interessante é que não há possibilidade de comunicação entre os vivos e os mortos. O rico pede a Abraão que envie Lázaro para alertar aos seus irmãos sobre o tormento eterno.

A resposta de Abraão é: “Eles têm Moisés e os Profetas; que os ouçam”.

Portanto, a questão do espiritismo, reencarnação, psicografia e outros não são obras de Deus(Atos 15 Estudo)

 

Esboço de Lucas 16:

16.1 – 9: Parábola do administrador infiel

16.10 – 12: Fiel no pouco, fiel no muito

16.13 – 16: Os dois senhores

16.17, 18: O divórcio

16.19 – 31: O rico e Lázaro

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here