Bíblia de Estudo Online

Lucas 6 Estudo: O Sentido do Sábado

Lucas 6.1 – 5: Quando os fariseus viram os discípulos de Jesus Cristo apanhando espigas no sábado, eles questionaram: “Por que vocês estão fazendo o que não é permitido no sábado?”

De acordo com eles, Deus não queria que pessoas com fome ao menos providenciasse o que comer no sábado, porque este era o dia do Senhor.

Na resposta, Jesus cita o exemplo de Davi. Este fugindo de Saul com fome e não tendo o que comer, convenceu o sacerdote a deixa-lo comer os pães da proposição.

Esses pães eram considerados sagrados e só podiam ser comidos pelo sacerdote como forma de oferta agradável ao Senhor.

E o que aconteceu a Davi? Ele foi punido por Deus?

Nada aconteceu. Deus não o puniu.

O que Jesus Cristo está nos ensinando é que em determinados momentos, para preservação da vida, do ser, a observação do sagrado pode ser “quebrada”.

Davi não voltou a comer os pães da proposição por mero capricho. Ele comeu uma única vez para salvar vidas e porque estava com fome.

O sábado foi instituído como dia de descanso e culto ao Senhor. O princípio é que no seu dia de culto ao Senhor, você apenas cultue ao Senhor.

A nossa sociedade está organizada de uma maneira diferente. Inúmeras pessoas precisam trabalhar no sábado e no domingo. E agora?

A folga delas pode ser o seu dia de culto. O dia de ir a Igreja. Tomar Santa Ceia. Entregar dízimos e ofertas.

O que não pode acontecer é que o cristão use sua rotina de trabalho para não cultuar ao Senhor. Porque neste caso, o princípio do “sábado” ou descanso e culto ao Senhor está sendo quebrado.

Lucas 6.6 – 11: Os fariseus procuravam motivos para acusar a Jesus Cristo. Em determinado dia de sábado, estando eles na sinagoga, observaram que havia um homem com uma das mãos atrofiadas e queriam saber se Jesus ia curá-lo.

Jesus Cristo chamou o homem para o meio e perguntou: “O que é permitido fazer no sábado: o bem ou o mal, salvar a vida ou destruí-la?”

Mais uma vez Jesus reforça o princípio do sábado e o princípio da vida. Para os fariseus até fazer o bem no sábado ou mesmo salvar uma vida era pecado.

Esse equívoco na interpretação das Sagradas Escrituras faz com que as pessoas fiquem longe de Deus por acharem que ele é um “lunático”, o que de fato ele não é.

O princípio do sábado, que é o de cultuar ao Senhor jamais proibiu alguém de salvar vidas, a hipocrisia sim.

A pergunta de Jesus Cristo deixou todos sem resposta. E em meio ao silêncio ele disse: “Estenda a mão”. Ele a estendeu, e ela foi restaurada”.

Utilize o seu “sábado” para cultuar ao Senhor e para fazer o bem ao seu próximo.

Lucas 6.12 – 16: Antes de nomear os apóstolos o Senhor Jesus Cristo “passou a noite orando a Deus”. Este exemplo nos dá uma grande lição.

Devemos ter uma vida de oração ativa. Diária. Dessa forma, as nossas decisões, mente, alma, espírito e corpo serão influenciados pelo nosso compromisso com Deus.

Nos Evangelhos não são poucas as vezes que observamos Jesus em oração. E aqui, antes de tomar a importante decisão de nomear as pessoas que junto com ele mudariam o mundo, ele ora.

Lucas 6.17 – 23: Para sabre mais sobre as bem-aventuranças leia: Estudo Bíblico Sobre as Bem-Aventuranças – Como Ser Bem-Aventurado em 8 Passos.

Lucas 6.24 – 26: Em paradoxo a proclamação das pessoas que são mais do que felizes (bem-aventuradas), Jesus Cristo proclama “ai” em relação a um outro grupo de pessoas.

Isto porque eles não usavam sua vida e bens para a glória de Deus, nem para aliviar a vida do próximo. Eram egoístas e avarentos.

Lucas 6.27 – 36: Jesus Cristo começa a ensinar qual deve ser o nosso comportamento diante dos conflitos da vida. Ele contradiz a norma usual e estabelece novos princípios para os seus seguidores.

“Amem os seus inimigos, façam o bem aos que os odeiam, abençoem os que os amaldiçoam, orem por aqueles que os maltratam”.

Agora não podemos pagar o mal com a mesma “moeda”. Quando atacados, devemos apresentar o bem.

Lucas 6.37 – 42: Jesus Cristo nos ensina que devemos ter muito cuidado na hora de emitir juízo sobre o próximo. Isto porque com a mesma medida e intensidade que julgarmos seremos julgados.

O melhor caminho a seguir neste trecho é o amor (Ver Estudo Bíblico Sobre o Amor). Não procure defeitos em outras pessoas, e quando elas errarem ponha-se no lugar dela.

Se perceber que a pessoa ama o pecado ore por ela e na medida do possível compartilhe com ela a palavra de Deus.

Emitir julgamento é algo muito forte. Não é nossa responsabilidade. Portanto, tome muito cuidado com ele.

Aconselhar, orientar é uma coisa. Jugar é outra.

Lucas 6.43: Jesus Cristo deixa muito claro que o nosso comportamento falará por nós. Ele faz isso usando o exemplo das árvores: “Nenhuma árvore boa dá fruto ruim, nenhuma árvore ruim dá fruto bom”.

Portanto, a hipocrisia no comportamento do cristão é logo descoberta. Isso porque há práticas que não conseguem ser mascaradas.

Lucas 6.46 – 49: Jesus Cristo encerra seu sermão com uma advertência: “Por que vocês me chamam “Senhor, Senhor” e não fazem o que eu digo?”.

Ele deixa muito claro que de nada adianta ouvir ou conhecer os seus ensinamentos se nós não os colocarmos em prática.

O ouvinte praticante é capaz de suportar todas as dificuldades que combaterem suas convicções. Já o ouvinte esquecido, quando vê as dificuldades ele não suporta a pressão. (Ver Lucas 5 Estudo)

Lucas 6.1 – 5: O verdadeiro sentido do sábado

1 Certo sábado, enquanto Jesus passava pelas lavouras de cereal, seus discípulos começaram a colher e a debulhar espigas com as mãos, comendo os grãos.

2 Alguns fariseus perguntaram: “Por que vocês estão fazendo o que não é permitido no sábado?”

3 Jesus lhes respondeu: Vocês nunca leram o que fez Davi, quando ele e seus companheiros estavam com fome?

4 Ele entrou na casa de Deus e, tomando os pães da Presença, comeu o que apenas aos sacerdotes era permitido comer, e os deu também aos seus companheiros.

5 E então lhes disse: “O Filho do homem é Senhor do sábado”.

Lucas 6.6 – 11: Jesus cura no sábado

6 Noutro sábado, ele entrou na sinagoga e começou a ensinar; estava ali um homem cuja mão direita era atrofiada.

7 Os fariseus e os mestres da lei estavam procurando um motivo para acusar Jesus; por isso o observavam atentamente, para ver se ele iria curá-lo no sábado.

8 Mas Jesus sabia o que eles estavam pensando e disse ao homem da mão atrofiada: “Levante-se e venha para o meio”. Ele se levantou e foi.

9 Jesus lhes disse: “Eu lhes pergunto: O que é permitido fazer no sábado: o bem ou o mal, salvar a vida ou destruí-la?”

10 Então, olhou para todos os que estavam à sua volta e disse ao homem: “Estenda a mão”. Ele a estendeu, e ela foi restaurada.

11 Mas eles ficaram furiosos e começaram a discutir entre si o que poderiam fazer contra Jesus.

Lucas 6.12 – 16: Jesus Cristo vocaciona os apóstolos

12 Num daqueles dias, Jesus saiu para o monte a fim de orar, e passou a noite orando a Deus.

13 Ao amanhecer, chamou seus discípulos e escolheu doze deles, a quem também designou apóstolos:

14 Simão, a quem deu o nome de Pedro; seu irmão André; Tiago; João; Filipe; Bartolomeu;

15 Mateus; Tomé; Tiago, filho de Alfeu; Simão, chamado zelote;

16 Judas, filho de Tiago; e Judas Iscariotes, que veio a ser o traidor.

Lucas 6.17 – 23: As bem-aventuranças

17 Jesus desceu com eles e parou num lugar plano. Estavam ali muitos dos seus discípulos e uma imensa multidão procedente de toda a Judéia, de Jerusalém e do litoral de Tiro e de Sidom,

18 que vieram para ouvi-lo e serem curados de suas doenças. Os que eram perturbados por espíritos imundos ficaram curados,

19 e todos procuravam tocar nele, porque dele saía poder que curava todos.

20 Olhando para os seus discípulos, ele disse: Bem-aventurados vocês, os pobres, pois a vocês pertence o Reino de Deus.

21 Bem-aventurados vocês, que agora têm fome, pois serão satisfeitos. Bem-aventurados vocês, que agora choram, pois haverão de rir.

22 Bem-aventurados serão vocês, quando os odiarem, expulsarem e insultarem, e eliminarem o nome de vocês, como sendo mau, por causa do Filho do homem.

23 Regozijem-se nesse dia e saltem de alegria, porque grande é a sua recompensa no céu. Pois assim os antepassados deles trataram os profetas.

Lucas 6.24 – 26: Jesus Cristo proclama os “Ai”

24 Mas ai de vocês, os ricos, pois já receberam sua consolação.

25 Ai de vocês, que agora têm fartura, porque passarão fome. Ai de vocês, que agora riem, pois haverão de se lamentar e chorar.

26 Ai de vocês, quando todos falarem bem de vocês, pois assim os antepassados deles trataram os falsos profetas.

Lucas 6.27 – 36: O cristão deve contradizer o mundo

27 Mas eu digo a vocês que estão me ouvindo: Amem os seus inimigos, façam o bem aos que os odeiam,

28 abençoem os que os amaldiçoam, orem por aqueles que os maltratam.

29 Se alguém lhe bater numa face, ofereça-lhe também a outra. Se alguém lhe tirar a capa, não o impeça de tirar-lhe a túnica.

30 Dê a todo aquele que lhe pedir, e se alguém tirar o que pertence a você, não lhe exija que o devolva.

31 Como vocês querem que os outros lhes façam, façam também vocês a eles.

32 Que mérito vocês terão, se amarem aos que os amam? Até os pecadores amam aos que os amam.

33 E que mérito terão, se fizerem o bem àqueles que são bons para com vocês? Até os pecadores agem assim.

34 E que mérito terão, se emprestarem a pessoas de quem esperam devolução? Até os pecadores emprestam a pecadores, esperando receber devolução integral.

35 Amem, porém, os seus inimigos, façam-lhes o bem e emprestem a eles, sem esperar receber nada de volta. Então, a recompensa que terão será grande e vocês serão filhos do Altíssimo, porque ele é bondoso para com os ingratos e maus.

36 Sejam misericordiosos, assim como o Pai de vocês é misericordioso.

Lucas 6.37 – 42: O julgamento ao próximo

37 Não julguem, e vocês não serão julgados. Não condenem, e não serão condenados. Perdoem, e serão perdoados.

38 Dêem, e lhes será dado: uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês. Pois a medida que usarem também será usada para medir vocês.

39 Jesus fez também a seguinte comparação: Pode um cego guiar outro cego? Não cairão os dois no buraco?

40 O discípulo não está acima do seu mestre, mas todo aquele que for bem preparado será como o seu mestre.

41 Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho?

42 Como você pode dizer ao seu irmão: “Irmão, deixe-me tirar o cisco do seu olho”, se você mesmo não consegue ver a viga que está em seu próprio olho? Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão.

Lucas 6.43: Árvore boa e ruim

43 Nenhuma árvore boa dá fruto ruim, nenhuma árvore ruim dá fruto bom.

44 Toda árvore é reconhecida por seus frutos. Ninguém colhe figos de espinheiros, nem uvas de ervas daninhas.

45 O homem bom tira coisas boas do bom tesouro que está em seu coração, e o homem mau tira coisas más do mal que está em seu coração, porque a sua boca fala do que está cheio o coração.

Lucas 6.46 – 49: O ouvinte prudente

46 Por que vocês me chamam “Senhor, Senhor” e não fazem o que eu digo?

47 Eu lhes mostrarei com quem se compara aquele que vem a mim, ouve as minhas palavras e as pratica.

48 É como um homem que, ao construir uma casa, cavou fundo e colocou os alicerces na rocha. Quando veio a inundação, a torrente deu contra aquela casa, mas não a conseguiu abalar, porque estava bem construída.

49 Mas aquele que ouve as minhas palavras e não as pratica, é como um homem que construiu uma casa sobre o chão, sem alicerces. No momento em que a torrente deu contra aquela casa, ela caiu, e a sua destruição foi completa.

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, estudante de Teologia e Administração. Seu amor por Jesus o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.