Em Marcos 1, o autor anuncia o princípio do Evangelho de Jesus Cristo. Ao fazê-lo ele apresenta João Batista, como o mensageiro que prepara o caminho do Senhor Jesus.

O testemunho de João Batista as multidões que queriam ouvi-lo é de que, Jesus Cristo é maior do que ele, a tal ponto, que João Batista não se considera digno de encurva-se e amarrar-lhe as sandálias.

Em seguida Jesus Cristo é batizado por João Batista, no rio Jordão e o Espírito Santo desce sobre ele em forma de pomba, e uma voz do céu é ouvida por todos dando testemunho acerca de Jesus.

Após isso, o Espírito Santo conduz Jesus Cristo ao deserto onde ele é tentando pelo Diabo durante quarenta dias.

Jesus vence o Diabo e a tentação, e em seguida ao reunir-se novamente aos seus apóstolo ele fica sabendo da prisão de João Batista.

Para Jesus Cristo isto é um sinal, então ele começa a anunciar que o Reino de Deus é chegado. Neste ponto ele começa a chamar os primeiros apóstolos e a ensiná-los.

O ministério de Jesus Cristo é marcado pelo seu poderoso ensino e por prodígios e maravilhas que apenas ele é capaz de fazer. O final de Marcos 1 apresenta diversos relatos sobre isso.

Esboço de Marcos 1:

Marcos 1.1 – 6: João Batista, o mensageiro

Marcos 1.7,8: O testemunho de João Batista

Marcos 1.9 – 14: Batismo de Jesus, a tentação, e a prisão de João Batista

Marcos 1.15 – 20: O Reino de Deus e os primeiros apóstolos

Marcos 1.21 – 27: Jesus ensina na sinagoga e expulsa demônios

Marcos 1.28 – 31: Jesus cura a sogra de Pedro

Marcos 1.32 – 34: Jesus cura vários doentes e expulsa demônios

Marcos 1.35 – 37: Jesus ora em lugar deserto

Marcos 1.38 – 45: Jesus percorre a Galileia e cura um leproso

 

A Pregação de Jesus Cristo

“E dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos, e crede no evangelho. E, andando junto do mar da Galiléia, viu Simão, e André, seu irmão, que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. E Jesus lhes disse: Vinde após mim, e eu farei que sejais pescadores de homens. E, deixando logo as suas redes, o seguiram”. (Marcos 1:15-18)

João nos apresenta um relato da sua pregação na Judéia, anterior a esta (caps. 2 e 3), que os demais evangelistas omitiram, relatando principalmente o que ocorreu na Galileia, porque isso era menos conhecido em Jerusalém.

Quando Jesus começou a pregar na Galileia: “Depois que João foi entregue à prisão”. Quando João concluiu o seu testemunho, então Jesus começou o seu.

Note que o silenciar dos ministros de Cristo não será a supressão do Evangelho de Cristo; se algum deles for posto de lado, outros se erguerão, talvez mais poderosos do que aquele, para prosseguir no mesmo trabalho.

Qual o Tema da Pregação?

O que Ele pregava: “O Evangelho do Reino de Deus”. Cristo veio para estabelecer o Reino de Deus entre os homens, para que eles pudessem ser levados a se sujeitar ao Reino, e, nele, pudessem obter a salvação.

O Senhor Jesus o estabeleceu por meio da pregação do seu Evangelho, e do poder que o acompanha. As verdades que Cristo pregava. “O tempo está cumprido, e o Reino de Deus está próximo”.

Isto é uma referência ao Antigo Testamento, no qual foi prometido o reino do Messias, e fixado o tempo para a sua apresentação. Eles não eram tão conhecedores dessas profecias, nem observavam tão bem os sinais do tempo, para compreendê-los por si mesmos.

Por isso Cristo lhes dá o aviso. “O tempo pré-determinado é chegado, gloriosas descobertas de luz, vida e amor divinos serão feitas agora; uma nova revelação, muito mais espiritual e celestial do que tiveram até agora, está prestes a começar”.

Deus observa o tempo; quando o tempo se cumpre, é chegado o Reino de Deus, pois a visão é “para o tempo determinado”, que será pontualmente observado, mesmo que ele ocorra após os nossos dias. (Henry, Matthew, Comentário dos Evangelhos)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here