Bíblia de Estudo Online

Marcos 8 Estudo: O Fermento dos Fariseus

Em Marcos 8, Jesus Cristo está ensinando a multidão há três dias e agora ela já não têm o que comer. Ele percebe isso e compartilha o incômodo com os discípulos.

Eles aconselham a fazer o mesmo que na primeira vez: “Onde, neste lugar deserto, poderia alguém conseguir pão suficiente para alimentá-los?”

Jesus Cristo também faz o mesmo que fez na primeira vez: organiza a multidão, pede o que lhe resta e multiplica (Ver Estudo Sobre a Multiplicação de Pães e Peixes).

Em seguida eles parte para outra região e ele ensina aos discípulos que eles devem ter cuidado com o fermento dos fariseus.

Isto porque eles tinham visto dois grandes milagres com relação a provisão de Deus e continuavam preocupados com o que comer. Ou seja, não confiavam em Jesus.

Marcos relata que o Senhor curou um homem cego em Betsaida. Após isso ele faz uma reunião particular com os discípulos e pergunta: “Quem o povo diz que eu sou?”

Os discípulos respondem que a multidão não tem certeza sobre quem ele é, na verdade. Em seguida Jesus Cristo pergunta: “Quem vocês dizem que eu sou?” Pedro respondeu: “Tu és o Cristo”.

Ou seja, a mensagem de Jesus Cristo aos apóstolos estava começando a surtir efeito. A partir disso Jesus aborda pela primeira vez o seu sofrimento (Ver Jesus no Getsêmani e Jesus na Cruz).

Quando Pedro ouve a profecia de Jesus, ele o repreende severamente. Jesus entende que Satanás está usando Pedro e o repreende de volta.

Este episódio nos mostra o quanto somos vulneráveis. Em um instante Deus usa a Pedro, no outro instante ele dá lugar ao Diabo.

A tentativa de Pedro em fazer Jesus sentir pena de si mesmo, inspirou o sermão que encerra Marcos 8.

Jesus Cristo deixa bem claro que qualquer um que quiser segui-lo deve tomar diariamente a sua cruz e segui-lo. Quem tiver vergonha desse estilo de vida ou de seu Mestre, será negado diante de Deus (Ver Marcos 7 Estudo).

Marcos 8.1 – 10: A segunda multiplicação de pães e peixes

1 Naqueles dias, outra vez reuniu-se uma grande multidão. Visto que não tinham nada para comer, Jesus chamou os seus discípulos e disse-lhes:

2 Tenho compaixão desta multidão; já faz três dias que eles estão comigo e nada têm para comer.

3 Se eu os mandar para casa com fome, vão desfalecer no caminho, porque alguns deles vieram de longe.

4 Os seus discípulos responderam: “Onde, neste lugar deserto, poderia alguém conseguir pão suficiente para alimentá-los?”

5 “Quantos pães vocês têm?”, perguntou Jesus. “Sete”, responderam eles.

6 Ele ordenou à multidão que se assentasse no chão. Depois de tomar os sete pães e dar graças, partiu-os e os entregou aos seus discípulos, para que os servissem à multidão; e eles o fizeram.

7 Tinham também alguns peixes pequenos; ele deu graças igualmente por eles e disse aos discípulos que os distribuíssem.

8 O povo comeu até se fartar. E ajuntaram sete cestos cheios de pedaços que sobraram.

9 Cerca de quatro mil homens estavam presentes. E, tendo-os despedido,

10 entrou no barco com seus discípulos e foi para a região de Dalmanuta.

Marcos 8.11 – 17: Jesus e o fermento do fariseus

11 Os fariseus vieram e começaram a interrogar Jesus. Para pô-lo à prova, pediram-lhe um sinal do céu.

12 Ele suspirou profundamente e disse: “Por que esta geração pede um sinal milagroso? Eu lhes afirmo que nenhum sinal lhe será dado”.

13 Então se afastou deles, voltou para o barco e foi para o outro lado.

14 Os discípulos haviam se esquecido de levar pão, a não ser um pão que tinham consigo no barco.

15 Advertiu-os Jesus: “Estejam atentos e tenham cuidado com o fermento dos fariseus e com o fermento de Herodes”.

16 E eles discutiam entre si, dizendo: “É porque não temos pão”.

17 Percebendo a discussão, Jesus lhes perguntou: Por que vocês estão discutindo sobre não terem pão? Ainda não compreendem nem percebem? O coração de vocês está endurecido?

Marcos 8.18 – 21: Jesus fala sobre as duas multiplicações de pães

18 Vocês têm olhos, mas não vêem? Têm ouvidos, mas não ouvem? Não se lembram?

19 Quando eu parti os cinco pães para os cinco mil, quantos cestos cheios de pedaços vocês recolheram?” “Doze”, responderam eles.

20 “E quando eu parti os sete pães para os quatro mil, quantos cestos cheios de pedaços vocês recolheram?” “Sete”, responderam eles.

21 Ele lhes disse: “Vocês ainda não entendem?”

Marcos 8.22 – 26: Jesus cura um cego em Betsaida

22 Eles foram para Betsaida, e algumas pessoas trouxeram um cego a Jesus, suplicando-lhe que tocasse nele.

23 Ele tomou o cego pela mão e o levou para fora do povoado. Depois de cuspir nos olhos do homem e impor-lhe as mãos, Jesus perguntou: “Você está vendo alguma coisa?”

24 Ele levantou os olhos e disse: “Vejo pessoas; elas parecem árvores andando”.

25 Mais uma vez, Jesus colocou as mãos sobre os olhos do homem. Então seus olhos foram abertos, e sua vista lhe foi restaurada, e ele via tudo claramente.

26 Jesus mandou-o para casa, dizendo: “Não entre no povoado!”

Marcos 8.27 – 30: A pergunta de Jesus e o testemunho de Pedro

27 Jesus e os seus discípulos dirigiram-se para os povoados nas proximidades de Cesaréia de Filipe. No caminho, ele lhes perguntou: “Quem o povo diz que eu sou?”

28 Eles responderam: “Alguns dizem que és João Batista; outros, Elias; e, ainda outros, um dos profetas”.

29 “E vocês?”, perguntou ele. “Quem vocês dizem que eu sou?” Pedro respondeu: “Tu és o Cristo”.

30 Jesus os advertiu que não falassem a ninguém a seu respeito.

Marcos 8.31 – 33: Jesus fala sobre seu sofrimento e repreende a Pedro

31 Então ele começou a ensinar-lhes que era necessário que o Filho do homem sofresse muitas coisas e fosse rejeitado pelos líderes religiosos, pelos chefes dos sacerdotes e pelos mestres da lei, fosse morto e três dias depois ressuscitasse.

32 Ele falou claramente a esse respeito. Então Pedro, chamando-o à parte, começou a repreendê-lo.

33 Jesus, porém, voltou-se, olhou para os seus discípulos e repreendeu Pedro, dizendo: “Para trás de mim, Satanás! Você não pensa nas coisas de Deus, mas nas dos homens”.

Marcos 8.34 – 38: O discípulo deve tomar diariamente a cruz

34 Então ele chamou a multidão e os discípulos e disse: Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.

35 Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá; mas quem perder a sua vida por minha causa e pelo evangelho, a salvará.

36 Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?

37 Ou, o que o homem poderia dar em troca de sua alma?

38 Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras nesta geração adúltera e pecadora, o Filho do homem se envergonhará dele quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos.

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, estudante de Teologia e Administração. Seu amor por Jesus o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.