Marcos - Bíblia de Estudo Online

Em Marcos 8, Jesus Cristo está ensinando a multidão há três dias e agora ela já não têm o que comer. Ele percebe isso e compartilha o incômodo com os discípulos.

Eles aconselham a fazer o mesmo que na primeira vez: “Onde, neste lugar deserto, poderia alguém conseguir pão suficiente para alimentá-los?”

Jesus Cristo também faz o mesmo que fez na primeira vez: organiza a multidão, pede o que lhe resta e multiplica (Ver Estudo Sobre a Multiplicação de Pães e Peixes).

Em seguida eles parte para outra região e ele ensina aos discípulos que eles devem ter cuidado com o fermento dos fariseus.

Isto porque eles tinham visto dois grandes milagres com relação a provisão de Deus e continuavam preocupados com o que comer. Ou seja, não confiavam em Jesus.

Marcos relata que o Senhor curou um homem cego em Betsaida. Após isso ele faz uma reunião particular com os discípulos e pergunta: “Quem o povo diz que eu sou?”

A declaração de Pedro

Os discípulos respondem que a multidão não tem certeza sobre quem ele é, na verdade. Em seguida Jesus pergunta: “Quem vocês dizem que eu sou?” Pedro respondeu: “Tu és o Cristo”.

Ou seja, a mensagem de Cristo aos apóstolos estava começando a surtir efeito. A partir disso, Jesus aborda pela primeira vez o seu sofrimento (Ver Jesus no Getsêmani e Jesus na Cruz).

Quando Pedro ouve a profecia, ele o repreende severamente o Mestre. Jesus entende que Satanás está usando Pedro e o repreende de volta. Este episódio nos mostra o quanto somos vulneráveis. Em um instante Deus usa a Pedro, no outro instante ele dá lugar ao Diabo.

A tentativa de Pedro em fazer Jesus sentir pena de si mesmo, inspirou o sermão que encerra Marcos 8. Jesus Cristo deixa bem claro que qualquer um que quiser segui-lo deve tomar diariamente a sua cruz e segui-lo. Quem tiver vergonha desse estilo de vida ou de seu Mestre, será negado diante de Deus.

Esboço de Marcos 8:

8.1 – 10: A segunda multiplicação de pães e peixes

8.11 – 17: Jesus e o fermento do fariseus

8.18 – 21: Jesus fala sobre as duas multiplicações de pães

8.22 – 26: Jesus cura um cego em Betsaida

8.27 – 30: A pergunta de Jesus e o testemunho de Pedro

8.31 – 33: Jesus fala sobre seu sofrimento e repreende a Pedro

8.34 – 38: O discípulo deve tomar diariamente a cruz

 

Advertência Séria

Com o encontro perto de Tiberíades (vv. 11-13) ainda fresco em sua mente, Jesus advertiu (lit., “manteve dando ordens”; cf. 7:36) para que eles estivessem continuamente em guarda contra o fermento dos fariseus e o de Herodes Antipas (Marcos 8:15).

Uma pequena quantidade de fermento pode afetar uma grande quantidade de massa de pão quando eles são misturados. A levedura era uma metáfora judaica comum para uma influência invisível e penetrante.

Muitas vezes, como aqui, conotou uma influência corruptora. Neste contexto, o fermento referiu-se a um aumento gradual da descrença. Isso estava por trás do pedido dos fariseus por um sinal, embora suas mentes já estivessem inventadas (cf. 8: 11-12; 3: 6).

Assim foi com Herodes (cf. 6: 14-16; Lucas 13: 31-33; 23: 8-9). Como indicado pela pergunta de Jesus (Marcos 8:12), essa atitude afetou toda a nação de Israel, e Ele advertiu Seus discípulos contra isso. Em contraste, Ele os chamou para a e entendimento sem sinais (cf. vv. 17-21).

 

Referências:

Grassmick, J. D. (1985). Mark. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 2, p. 137–138). Wheaton, IL: Victor Books..

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here