O evangelho de Marcos foi escrito entre a década de 60 – 70. Período em que os cristãos de Roma eram tratados cruelmente pelo povo e muitos foram torturados e mortos pelo imperador romano, Nero.

Segundo a tradição, entre os mártires cristãos de Roma, nessa década, estão os apóstolos Pedro e Paulo.

Como um dos líderes da igreja em Roma, João Marcos foi inspirado pelo Espírito Santo a escrever este Evangelho, como uma antevisão profética desse período da perseguição, ou como uma resposta pastoral à perseguição.

Sua intenção era fortalecer os alicerces da fé dos crentes romanos e, se necessário fosse, inspirá-lo a sofrer fielmente em prol do Evangelho, oferecendo-lhes como modelo a vida, o sofrimento, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo, o Senhor.

Evangelho de Marcos: Visão Geral

Numa narrativa de cenas rápidas, o autor apresenta Jesus Cristo como o Filho de Deus e o Messias, o Servo Sofredor.

O momento culminante do livro é o episódio de Cesaréia de Filipo, seguido da transfiguração, onde tanto a identidade de Jesus, quanto a sua dolorosa missão plenamente reveladas aos seus doze discípulos.

A primeira metade de Marcos focaliza em primeiro plano os maravilhosos milagres de Jesus Cristo e a sua autoridade sobre doenças e demônios, como sinais de que o Reino de Deus está próximo.

Em Cesáreia de Filipo, no entanto, Jesus declara abertamente aos seus discípulos que “importava que o Filho do Homem padecesse muito, e que fosse rejeitado pelos anciãos, e príncipes dos sacerdotes, e pelos escribas, e que fosse morto, mas que, depois de três dias, ressuscitaria” (Marcos 8.31).

Há numerosas referências em todo o livro de Marcos ao sofrimento como o preço do discipulado.

Apesar disso, o reforço da parte de Deus vem após o sofrimento, por amor à justiça, conforme demonstrou a ressurreição de Jesus.

Capítulos do Evangelho:

Capítulo 1: As Boas Notícias de Jesus

Capítulo 2: Jesus Come Com Pecadores

Capítulo 3: As Multidões Seguem a Jesus

Capítulo 4: Jesus Ensina por Parábolas

Capítulo 5: Jesus Opera 3 Milagres

Capítulo 6: A Morte de João Batista

Capítulo 7: Jesus e a Tradição dos Homens

Capítulo 8: O Fermento dos Fariseus

Capítulo 9: A Transfiguração de Jesus

Capítulo 10: O Perigo do Amor ao Dinheiro

Capítulo 11: Entrada Triunfal em Jerusalém

Capítulo 12: O Maior Mandamento

Capítulo 13: Os Sinais dos Últimos Dias

Capítulo 14: Judas Entrega Jesus

Capítulo 15: Jesus é Condenado e Crucificado

Capítulo 16: A Ressurreição de Jesus 

 

Quem Foi Marcos?

A respeito dessa testemunha. O seu nome é Marcos. Marcos era um nome romano, um nome bastante comum, e ainda que não tenhamos motivo para imaginar isso, ele era, de nascimento, judeu.

Mas assim como Saulo, quando viajou entre as nações, assumiu o nome romano de Paulo, como também era o de Marcos, e o seu nome judeu talvez fosse Mardocai, segundo Grotius.

Nós lemos a respeito de João, cujo segundo nome era Marcos, filho da irmã de Barnabé, e de quem Paulo não gostou no início (Atos 15.37,38), mas por quem, depois, desenvolveu um grande afeto, e não somente ordenou que as igrejas o recebessem (Colossenses 4.10), mas mandou buscá-lo para que viesse ser o seu assistente, com o seguinte elogio: Ele “me é muito útil para o ministério” (2 Timóteo 4.11). Paulo também o menciona entre os seus companheiros cooperadores (Filemom 24).

Nós lemos a respeito de Marcos, a quem Pedro chama de seu filho, pois o apóstolo foi um instrumento da sua conversão (1 Pedro 5.13). Não se sabe se este era o mesmo Marcos citado; se não for, não se sabe qual deles foi o autor deste Evangelho.

É uma tradição muito corrente entre os antigos que Marcos escreveu este Evangelho sob a orientação de Pedro, e que o texto foi confirmado pela autoridade de Pedro. (Henry, Matthew, Comentário dos Evangelhos)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here