Mateus - Bíblia de Estudo Online

Em Mateus 1 o evangelho segundo Mateus, começa apresentando a genealogia de Jesus Cristo, a partir de Abraão passando pelo rei Davi e finalizando em José, o pai terreno de Jesus.

Como todos os seres humanos, o Senhor Jesus teve muita gente em sua árvore genealógica que não era das melhores. Foram quarenta e duas gerações desde Abraão, ou seja é muita história e bastante “ovelha negra”. 

Isso apenas reforça a humanidade dele. Jesus é gente como a gente. Teve que enfrentar os conflitos familiares, tal como nós.

De fato sua vida é uma inspiração, também neste sentido. Jesus não pediu ao pai que excluísse da lista pessoas de reputação duvidosa, ou aqueles que cometeram erros.

Pessoas como Raabe, Roboão e Manassés certamente não deveriam ser mencionada aqui, mas ele não as excluí. Ou seja, servimos a um Deus que não se envergonha de nós. Não se envergonha de nos chamar de irmãos.

O ponto mais intrigante desta história é com certeza o nascimento de JesusCertamente até este ponto o Espírito Santo já havia feito muita coisa, mas virgem ficar grávida por sua atuação, não! Esta era com certeza uma grande novidade.

Chocante também foi a atitude de Maria, ela se colocou à disposição dele para que fosse feito conforme ele achasse melhor. FANTÁSTICO!

Que haja em nós essa mesma disposição e fé. Deus é extremamente criativo e está a procura de pessoas dispostas e com coragem para vivenciar seus planos e projetos mais diversos.

A minha oração é para que o Espírito Santo encontre em nós, a mesma disposição que ele encontrou em Maria, a de deixar ele a vontade para trabalhar.

Esboço de Mateus 1:

1.1 – 17: A genealogia de Jesus Cristo 

1.18 – 25: O Nascimento de Jesus

 

Ele Tem Direito ao Trono

Desde as primeiras palavras do seu Evangelho, Mateus deixa claro o tema central a ser abordado. Jesus Cristo é o personagem principal na apresentação de Mateus, e o versículo de abertura O conectou a duas grandes alianças da história judaica: de Davi (2 Sam. 7) e o Abraão (Gênesis 12; 15).

Se Jesus de Nazaré é o cumprimento dessas duas grandes alianças, esua genealogia comprova, não é mesmo?

Essa é uma pergunta que os judeus teriam feito, então Mateus traçou a linhagem de Jesus em detalhes.

Mateus deu a linhagem de Jesus através de seu pai legal, José (v. 16). Assim, esta genealogia traçou o direito de Jesus ao trono de Davi, que deve vir através de Salomão e seus descendentes (v. 6).

De particular interesse é a inclusão de Jeconias (v. 11), dos quais Jeremias disse: “Registre este homem como se não tivesse filhos” (Jr 22:30). A profecia de Jeremias se relacionava com a ocupação real do trono e a recepção da bênção enquanto estava no trono.

Embora os filhos de Jeconias nunca ocupassem o trono, a linha de governo passou por eles. Se Jesus fosse um físico descendente de Jeconias, Ele não teria sido capaz de ocupar o trono de Davi.

A genealogia de Lucas deixou claro que Jesus era um descendente físico de Davi por meio de outro filho chamado Natã (Lucas 3:31). Mas José, um descendente de Salomão, era o pai legal de Jesus, então o direito de Jesus ao trono foi traçado através de José.

A linhagem de José

Mateus traçou linhagem de José de Jeconias através do filho de Salatiel e neto Zorobabel (Mateus 1:12). Lucas (3:27) também se refere a Salatiel, o pai de Zorobabel, na linhagem de Maria.

O relato de Lucas, então, significa que Jesus era um descendente físico de Jeconias, afinal de contas?

Não, porque segundo Lucas, Salatiel e Zorobabel eram provavelmente pessoas diferentes daquelas duas em Mateus. Em Lucas, Salatiel era o filho de Neri, mas em Mateus, Salatiel era o filho de Jeconias.

As Mulheres

Outro fato interessante sobre a genealogia de Mateus é a inclusão de quatro mulheres do Antigo Testamento: Tamar (Mt 1: 3), Raabe (v. 5), Rute (v. 5) e a mãe de Salomão (v. 6), Bate-Seba.

Todas essas mulheres (assim como a maioria dos homens) eram questionáveis ​​de alguma forma. Tamar e Raabe eram prostitutas (Gênesis 38:24; Josué 2: 1), Rute era uma estrangeira, uma moabita (Rute 1: 4) e Bate-seba cometeu adultério (2Sm 11: 2-5).

Mateus pode ter incluído essas mulheres para enfatizar que as escolhas de Deus ao lidar com as pessoas são todas da Sua graça. Talvez também incluísse essas mulheres para colocar o orgulho judaico em seu lugar.

Quando a quinta mulher, Maria (Mateus 1:16), foi mencionada na genealogia, ocorreu uma mudança importante. A genealogia consistentemente repetida, o pai de, até chegar a Maria. Nesse ponto, Mateus mudou e disse de quem nasceu Jesus. O “de quem” é um pronome relativo feminino (ex hēs), indicando claramente que Jesus era o filho físico de Maria, mas que José não era seu pai físico. Essa concepção e nascimento miraculosos são explicados em Mateus 1: 18–25.

Sucinto

Mateus obviamente não listou todos os indivíduos na genealogia entre Abraão e Davi (vv. 2-6), entre Davi e o Exílio (vv. 6-11) e entre o Exílio e Jesus (v. 12-16). Em vez disso, ele listou apenas 14 gerações em cada um desses períodos de tempo (v. 17).

A contagem judaica não exigia todos os nomes para satisfazer uma genealogia. Mas por que Mateus selecionou 14 nomes em cada período?

Talvez a melhor solução seja que o nome “Davi” na numerologia hebraica tenha chegado a 14. Deve ser notado que no período do exílio até o nascimento de Jesus (vv. 12–16) 13 novos nomes apareceram.

Muitos estudiosos acham que Jeconias (v. 12), embora repetido no versículo 11, fornece o 14º nome neste período final.

A genealogia de Mateus respondeu à importante pergunta que um judeu faria legitimamente sobre quem alegasse ser o rei dos judeus: “Jesus é um descendente de Davi através da linha correta de sucessão?”

Mateus respondeu sim!

7 COMENTÁRIOS

  1. Boa tarde, corrijam a introdução. Não foram 14 gerações de Abraão até Jesus. Foram 42 na verdade. 14 de Abraão até o rei Davi, 14 de Davi até a Babilônia e 14 da babilônia até Jesus. Mt 1:17

    • Sim Maria, existia. Naqueles dias a tradição judaica considerava o noivado uma cerimônia tão importante quanto o casamento. Ele só poderia ser desfeito caso um dos noivos pecasse. Nesse caso, o que pecou teria que ressarcir aquele que foi prejudicado. E dependendo do pecado poderia ser condenado a morte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here