Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Mateus 14 Estudo: A Morte de João Batista

Mateus 14.1 – 12: Herodes Antipas era o tetrarca da Palestina entre 4 a.C a 39 a.D, ou seja ele regia uma quarta parte da Palestina mais a Galileia e a Peréia, herdada de seu pai Herodes o Grande (Mateus 2.1,22), quando este dividiu o reino entre seus muitos filhos.

Após a ascensão do ministério de Jesus, Herodes ficou receoso de que ele fosse a reencarnação de João Batista, o qual ele havia decapitado para satisfazer os caprichos de Herodias, mulher de seu irmão e com ele cometia adultério.

Mateus 14.13 – 21: Ver Estudo Bíblico Sobre a Multiplicação de Pães e Peixes.

Mateus 14.22 – 27: Um dos mais extraordinários milagres da humanidade foi testemunhado pelos apóstolos de Cristo.

Eles embarcaram sem o Mestre, que ficou em terra orando. Altas horas da noite, quando o barco era castigado pela água e pelo vento, eles veem a alguém andando sobre as águas.

A princípio eles acharam que era um fantasma, porém foram surpreendidos quando ele se apresentou como sendo Jesus Cristo.

Mateus 14.28 – 33: Pedro desafia o “fantasma”. Para saber se ele de fato era Jesus. A proposta era ousada: “se és tu, manda-me ir ao teu encontro por sobre as águas”. “Venha”, respondeu ele. Então Pedro saiu do barco, andou sobre as águas e foi na direção de Jesus.

A voz de Jesus é de poder e autoridade. A ordem dele não pode ser contrariada, no sentido de que não há quem resista a ela.

Pedro andou sobre as águas e só afundou quando parou de ouvir a voz de Jesus e passou a maior atenção a força do vento e da água. De toda forma, o Senhor Jesus apresentou-se, segurou a sua mão e o salvou!

Mateus 14.34 – 36: Por onde quer que o Senhor Jesus passe a bênção e o poder de Deus o seguem. Todas! Não apenas algumas, especiais ou escolhidas. Mas todas as pessoas que tocavam no Senhor Jesus eram curadas pelo seu poder.

Esse mesmo poder e autoridade estão à disposição da sua vida hoje (Ver Estudo Bíblico Sobre a Cura Divina). 

Esboço de Mateus 14:

Mateus 14.1 – 12: A morte de João Batista

Mateus 14.13 – 21: A primeira multiplicação de pães e peixes

Mateus 14.22 – 27: Jesus anda sobre o mar

Mateus 14.28 – 33: Pedro obedece a Jesus e anda sobre o mar

Mateus 14.34 – 36: Todos os que tocam em Jesus são curados

 

A Morte de João Batista

Por aquele tempo Herodes, o tetrarca, ouviu os relatos a respeito de Jesus e disse aos que o serviam: “Este é João Batista; ele ressuscitou dos mortos! Por isso estão operando nele poderes miraculosos”. (Mateus 14:1,2)

O relato trazido a Herodes sobre os milagres que Cristo realizou o deixou impressionado. Herodes, o tetrarca, principal governador da Galileia, ouviu falar sobre a fama de Jesus.

Naquela época, enquanto os seus compatriotas o desprezavam, por causa da sua simplicidade e obscuridade, ele começou a ficar famoso na corte. Deus honra aqueles que são desprezados por sua causa. E o Evangelho, como o mar, consegue em um lugar o que perde em outro.

Cristo já estava pregando e realizando milagres há mais de dois anos; ainda assim, aparentemente Herodes não ouvira falar dele até aquele momento, e somente então soube da sua fama.

A infelicidade das pessoas importantes do mundo é que elas não ouvem as melhores coisas (1 Coríntios 1.26); “nenhum dos príncipes deste mundo conheceu” (1 Coríntios 2.8).

Os discípulos de Cristo eram enviados para pregar, e para realizar milagres em seu nome, e isto espalhou a sua fama mais do que nunca, o que era uma indicação de como seria a pregação do Evangelho, por eles, depois da ascensão de Jesus.

O Que Herodes Pensou?

Ele disse aos seus servos que lhe contaram sobre a fama de Jesus: “Este é João Batista; ressuscitou dos mortos”.

O fermento de Herodes não era a doutrina dos saduceus, pois eles diziam que não havia ressurreição (Atos 23.8).

A consciência culpada de Herodes (como é comum com os ateus), nessa ocasião, obteve o controle da sua opinião, e ele concluiu que, quer existisse uma ressurreição geral ou não, João Batista certamente havia ressuscitado, e, portanto, milagres poderosos se manifestavam nele.

João, enquanto viveu, não realizou nenhum milagre (João 10.41); mas Herodes conclui que, tendo ressuscitado os mortos, ele estava revestido de um poder maior do que tinha anteriormente.

E adequadamente ele chama os milagres que imagina que foram realizados por João, não de maravilhas, mas sim de “maravilhas que operam nele”. Considere, a respeito de Herodes, como ele ficou desapontado em relação ao que pretendia quando mandou decapitar João.

Não Deu Certo

Ele pensou que se pudesse tirar aquele impertinente do caminho, poderia continuar com seus pecados, sem que ninguém o perturbasse ou controlasse; tão logo isso aconteceu, ele ouviu de Jesus e seus discípulos pregando a mesma doutrina que João pregava. E, além disso, até mesmo os discípulos confirmando-a por milagres em nome do seu Mestre.

Ministros podem ser silenciados, e aprisionados, expulsos e assassinados, mas a Palavra de Deus não pode ser detida. Os profetas não viveram para sempre, mas sua palavra nos alcança (Zacarias 1.5,6; veja 2 Timóteo 2.9).

Às vezes, Deus levanta muitos ministros fiéis das cinzas de um ministro. Há esperança para as árvores de Deus, mesmo que sejam cortadas (Jó 14.7-9). (Henry, Matthew, Comentário dos Evangelhos)

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
});