Mateus - Bíblia de Estudo Online

Os fariseus e saduceus pedem a Jesus que opere um milagre, apenas para satisfazer o ego deles. No entanto, os milagres do Filho de Deus não têm esse propósito (Mateus 16.1–4)

Por isso o Senhor lhes responde que devem ficar atentos aos sinais. Pois assim com as nuvens dizem se haverá chuva ou não, os milagres mostram que é chegado o Reino de Deus.

O Senhor orienta que seus discípulos tomem cuidado com os ensinos fraudulentos dos fariseus, isso porque a religiosidade e legalismo deles não passa de ego e satisfação pessoal, não visa a glória de Deus (v.v 16.5–12).

O Senhor Jesus não quer que os seus discípulos imitem esse padrão, pelo contrário ele quer que seus pastores amem o povo e lhes ensine a servir sinceramente a Deus.

Em um momento a sós com seus discípulos o Senhor lhes pergunta sobre quem as multidões acreditam que ele seja. Cada um responde, e ao final percebe-se que as pessoas não estão entendendo quem ele realmente é. Por fim, Pedro reponde: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mateus 16.13–20)

Jesus o elogia e diz que essa revelação lhe foi dada por Deus, seu Pai. Crendo dessa maneira Pedro, assim como os outros apóstolos seriam colunas da verdade e como igreja o que eles ligassem na Terra seria ligado no céu.

Após a confissão de Pedro, o Senhor Jesus revela que é necessário ser preso, espancado e crucificado pelas autoridades religiosas de Israel.

Pedro fica espantado com as palavras de Jesus e o “proíbe” de dizer aquilo acerca de si mesmo. Jesus repreende severamente a Pedro por se deixar ser usado por Satanás (v.v 16.21 – 23).

Precisamos estar atentos sobre estas questões. Pedro havia acabado de ser usado por Deus, para confessar que Jesus era o Messias e em seguida é usado pelo Diabo para tentar impedir o propósito de Deus na vida do Senhor Jesus.

O Mestre adverte seus discípulos sobre o rigor da caminhada cristã. É uma renúncia diária, constante aos prazeres do pecado e a ordem estabelecida pelo Diabo no mundo.

Contudo, há recompensa para aqueles que perseverarem em fazer a vontade de Deus. Serão agraciados com uma vida eterna de paz e descanso na presença de Deus.

Esboço de Mateus 16:

16.1 – 4: Fariseus e saduceus pedem um sinal

16.5 – 12: Cuidado com o fermento dos fariseus

16.13 – 20: A confissão de Pedro

16.21 – 23: Pedro é usado pelo Diabo

16.24 – 28: O discípulo deve tomar a sua cruz

 

Tu És o Cristo! (Marcos 8: 27-30; Lucas 9: 18-21)

Jesus e os discípulos se retiraram da região ao redor do mar da Galileia e foram para o norte cerca de 30 milhas até Cesareia de Filipe, isto é, Cesareia na tetrarquia de Herodes Filipe, irmão de Antipas.

Ali Jesus questionou os discípulos sobre sua fé, Nele. O Mestre perguntou o que as pessoas estavam dizendo sobre ele. Suas respostas foram lisonjeiras, pois as pessoas estavam identificando Jesus com João Batista, Elias, Jeremias, ou um dos profetas.

Seus ensinamentos eram certamente semelhantes aos deles. Todas essas respostas, claro, estavam erradas. Ele então perguntou aos discípulos, mas e você? Quem você diz que eu sou?

Representando os discípulos, Pedro falou as suas palavras mais famosas: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Como “o Cristo”, Ele é o Messias. Ho christos é o equivalente do Novo Testamento do Antigo Testamento māšîaḥ, que significa “o Ungido”.

Nele são cumpridas todas as promessas de Deus à nação. E como o Antigo Testamento deixou claro, o Messias é mais que um ser humano; Ele é Deus (Is 9: 6; Jr 23: 5–6; Miqueias 5: 2).

Pedro, assim, reconheceu a divindade de Jesus como o Filho do Deus vivo. Os discípulos chegaram a essa conclusão ao observar o Senhor durante um período de tempo, testemunharam Seus milagres e ouviram Suas palavras.

O Que Vem a Seguir?

As palavras de Pedro trouxeram uma palavra de recomendação do Senhor. Pedro foi abençoado porque chegou a uma conclusão correta sobre a pessoa de Cristo e porque uma grande bênção seria trazida à sua vida.

O Senhor acrescentou, no entanto, que essa não era uma conclusão que Pedro determinara por sua própria habilidade ou por outras. Deus, o Pai no céu, havia revelado isso a ele. Pedro estava fazendo jus ao seu nome (significa “pedra”) porque estava se mostrando uma rocha.

Quando o Senhor e Pedro se encontraram pela primeira vez, Jesus disse que Simão seria chamado Cefas (Aram. Para “rocha”) ou Pedro (Gr .: para “rocha”; João 1: 41–42).

Mas sua declaração sobre a pessoa do Messias levou a uma declaração a missão do Messias. Pedro (Petros, masc.) Era forte como uma rocha, mas Jesus acrescentou que nesta rocha (petra, fem.) Ele edificaria Sua igreja.

Por causa dessa mudança nas palavras gregas, muitos eruditos conservadores acreditam que Jesus está agora construindo Sua igreja sobre Si mesmo. Outros sustentam que a igreja é construída sobre Pedro e os outros apóstolos como as pedras fundamentais do edifício (Ef 2:20; Ap 21:14).

Ainda outros estudiosos dizem que a igreja é construída sobre o testemunho de Pedro. Parece melhor entender que Jesus estava louvando a Pedro por sua declaração precisa sobre Ele, e estava apresentando Sua obra de edificar a igreja sobre Si mesmo (1 Co 3:11).

Construir Sua igreja era uma obra ainda futura de Jesus Cristo, pois Ele ainda não havia iniciado o processo. Ele disse: Eu irei construir (futuro) Minha igreja, mas Seu propósito para a nação de Israel tinha que ser concluído antes que outro proposito pudesse ser posto em ação.

É provavelmente por isso que Jesus disse que nem os portões dos hades superariam esse projeto. Os judeus entenderiam os portões de hades para se referirem à morte física.

Jesus estava, portanto, dizendo aos discípulos que Sua morte não impediria Seu trabalho de edificar a igreja. Mais tarde (Mateus 16:21) Ele falou de sua morte iminente. Ele estava, portanto, antecipando sua morte e sua vitória sobre a morte através da ressurreição.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here