Mateus - Bíblia de Estudo Online

Jesus adverte seus discípulos a cumprirem os ensinamentos dos fariseus, mas os aconselha a não viverem da mesma maneira que eles. Isto porque eles não vivem de acordo com o que ensinam (Mateus 23.1 – 10).

Fome de poder (v.v 23.11,12)

O fariseus e mestres da lei sempre foram famintos por poder, autoridade e notoriedades terrenas. O Senhor Jesus é contrário a essa maneira de pensar e se comportar.

Ele estimula seus discípulos ao serviço, de forma que quem servir mais esse será o maior.

Criticas a hipocrisia (v.v 23.13 – 36)

Jesus separa uma longa seção do seu ensino para criticar a atitude hipócrita e diabólica dos mestres da lei e fariseus.

Jesus mostra sua indignação com quem quer transformar a religião em fonte de prazer pessoal e manipulação de pessoas. Os verdadeiros servos de Deus amam a sua Palavra e vivem de maneira dina do Evangelho.

Lamento sobre Jerusalém (v.v 23.37 – 39)

O Senhor Jesus Cristo em suas últimas semanas faz um lamento sobre a cidade de Jerusalém. Ele mostra como Deus tem tentado, há muito tempo reuni-la debaixo de suas asas mas ela tem rejeitado e assassinado seus mensageiros.

Por fim, o Senhor anuncia profeticamente que isso lhe custará caro. Ao longo dos séculos Jerusalém tem sofrido com sua desobediência. 

Esboço de Mateus 23:

23.1 – 10: Cuidado com os mestres da lei e fariseus

23.11,12: O Maior é o que serve

23.13 – 36: Ai dos mestres da lei e fariseus

23.37 – 39: O lamento de Jesus por Jerusalém

 

Crítica aos religiosos hipócritas

A hipocrisia e incredulidade dos líderes religiosos da nação, evidenciada no capítulo 22, provocaram uma forte mensagem de Jesus. Ele se voltou para as multidões e para Seus discípulos, que estavam no templo ouvindo Seus debates com os vários líderes religiosos.

Ele os avisou sobre seus ensinamentos dizendo que sua autoridade deveria ser reconhecida (eles sentam-se no assento de Moisés, ou seja, eles ensinam a Lei), mas suas práticas, sendo hipócritas, não devem ser seguidas.

Eles colocavam cargas pesadas nas pessoas, mas não eram justos (23: 4). Todas as suas obras foram realizadas para serem observadas pelos homens. Seus filactérios, pequenas bolsas de couro contendo tiras de pergaminho com versos do Antigo Testamento (Êxodo 13: 9, 16; Deuteronômio 6: 8; 11:18), amarrados aos braços e testas esquerdas, eram largos e, portanto, visíveis. E as borlas de seus xales de oração (Nm 15:38) eram longas e notáveis.

Eles amavam lugares de honra e se chamavam rabinos, o que significa que eram eruditos. Tal não era para ser a atitude dos seguidores de Jesus. Títulos (como rabino, pai, professor) e posição não eram para ser procurados; em vez disso, deve haver uma relação fraternal entre os discípulos (Mateus 23: 8).

Entendendo direito

Jesus não estava dizendo que não haveria linhas de autoridade entre eles. Mas Ele estava enfatizando que o serviço para Ele – o único Mestre (didaskalos, lit., “professor”) e um Mestre (kathēgētēs, “um guia autoritário”, usado somente aqui no Novo Testamento) – era mais importante que posições humanas de honra .

Posições de liderança nunca devem ser uma meta em si, mas devem sempre ser vistas como oportunidades para servir aos outros. Os fariseus, que se exaltavam, seriam humilhados, e os seguidores de Jesus, humilhando-se no serviço, um dia seriam exaltados.

Barbieri, L. A., Jr. (1985). Matthew. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 2, p. 73–74). Wheaton, IL: Victor Books.

2 COMENTÁRIOS

  1. Eu quero dizer que gostei muito das explicações e agora quando leio a bíblia todos os dias venho consultar a reflexão através deste link, Jesus e a Bíblia e tem me esclarecido bastante. Sou mt grata por contribuírem com meu aprendizado, Jesus continue os abençoando e tocando para q outros como eu sejam esclarecidos, a paz

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here