Mateus - Bíblia de Estudo Online

A volta de Jesus Cristo é iminente. Não podemos nos acomodar e achar que temos todo o tempo a nossa disposição para estarmos prontos (Mateus 25.1 – 13).

A parábola das dez virgens nos mostra que o tempo de estarmos prontos é hoje. Aqueles que não estiverem prontos no grande dia da volta de Jesus ficarão.

Os talentos (v.v 25.14 – 30)

O Senhor Deus confiou a cada um de nós dons espirituais e talentos para a edificação da igreja e a pregação do Evangelho.

Devemos usá-los com dignidade e compromisso com Deus e amor ao próximo. Não devemos nunca acreditar que somos inúteis ou insignificantes pois no Reino de Deus não há isso.

Gostaria de me conectar mais com você, por isso lhe convido a INCREVER-SE EM NOSSO CANAL (youtube.com/jesuseabibliaoficial) e a ME SEGUIR NO INSTAGRAM (@diegonascimento316)

Ovelhas e Cabras (v.v 25.31 – 46)

Jesus Cristo ilustra, por meio da parábola das ovelhas e as cabras quem são aqueles que o servem de forma digna e honesta. Ele revela qual o serviço agradável a Deus.

É aquele que atinge diretamente ao próximo. Servir ao próximo, ser instrumento de Deus para suprir suas necessidades, se importar com seu estado físico, espiritual e emocional são atitudes que deixam a Deus profundamente feliz.

Tais atitudes serão recompensadas na eternidade, pois ele revela: “Digo-lhes a verdade: O que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram”. 

Esboço de Mateus 25:

25.1 – 13: A parábola das dez virgens

25.14 – 30: A parábola dos talentos

25.31 – 46: Parábola das ovelhas e as cabras

 

Mateus 25.1 – 13: A parábola das dez virgens

1 O Reino dos céus será, pois, semelhante a dez virgens que pegaram suas candeias e saíram para encontrar-se com o noivo.

2 Cinco delas eram insensatas, e cinco eram prudentes.

3 As insensatas pegaram suas candeias, mas não levaram óleo.

4 As prudentes, porém, levaram óleo em vasilhas, junto com suas candeias.

5 O noivo demorou a chegar, e todas ficaram com sono e adormeceram.

6 À meia-noite, ouviu-se um grito: “O noivo se aproxima! Saiam para encontrá-lo!”

7 Então todas as virgens acordaram e prepararam suas candeias.

8 As insensatas disseram às prudentes: “Dêem-nos um pouco do seu óleo, pois as nossas candeias estão se apagando”.

9 Elas responderam: “Não, pois pode ser que não haja o suficiente para nós e para vocês. Vão comprar óleo para vocês”.

10 E saindo elas para comprar o óleo, chegou o noivo. As virgens que estavam preparadas entraram com ele para o banquete nupcial. E a porta foi fechada.

11 Mais tarde vieram também as outras e disseram: “Senhor! Senhor! Abra a porta para nós!”

12 Mas ele respondeu: “A verdade é que não as conheço!”

13 Portanto, vigiem, porque vocês não sabem o dia nem a hora!

Mateus 25.14 – 30: A parábola dos talentos

14 E também será como um homem que, ao sair de viagem, chamou seus servos e confiou-lhes os seus bens.

15 A um deu cinco talentos, a outro dois, e a outro um; a cada um de acordo com a sua capacidade. Em seguida partiu de viagem.

16 O que havia recebido cinco talentos saiu imediatamente, aplicou-os, e ganhou mais cinco.

17 Também o que tinha dois talentos ganhou mais dois.

18 Mas o que tinha recebido um talento saiu, cavou um buraco no chão e escondeu o dinheiro do seu senhor.

19 Depois de muito tempo o senhor daqueles servos voltou e acertou contas com eles.

20 O que tinha recebido cinco talentos trouxe os outros cinco e disse: “O senhor me confiou cinco talentos; veja, eu ganhei mais cinco”.

21 O senhor respondeu: “Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco, eu o porei sobre o muito. Venha e participe da alegria do seu senhor!”

22 Veio também o que tinha recebido dois talentos e disse: “O senhor me confiou dois talentos; veja, eu ganhei mais dois”.

23 O senhor respondeu: “Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco, eu o porei sobre o muito. Venha e participe da alegria do seu senhor!”

24 Por fim veio o que tinha recebido um talento e disse: “Eu sabia que o senhor é um homem severo, que colhe onde não plantou e junta onde não semeou.

25 Por isso, tive medo, saí e escondi o seu talento no chão. Veja, aqui está o que lhe pertence”.

26 O senhor respondeu: “Servo mau e negligente! Você sabia que eu colho onde não plantei e junto onde não semeei?

27 Então você devia ter confiado o meu dinheiro aos banqueiros, para que, quando eu voltasse, o recebesse de volta com juros.

28 “Tirem o talento dele e entreguem-no ao que tem dez.

29 Pois a quem tem, mais será dado, e terá em grande quantidade. Mas a quem não tem, até o que tem lhe será tirado.

30 E lancem fora o servo inútil, nas trevas, onde haverá choro e ranger de dentes”.

Mateus 25.31 – 46: Parábola das ovelhas e as cabras

31 Quando o Filho do homem vier em sua glória, com todos os anjos, assentar-se-á em seu trono na glória celestial.

32 Todas as nações serão reunidas diante dele, e ele separará umas das outras como o pastor separa as ovelhas dos bodes.

33 E colocará as ovelhas à sua direita e os bodes à sua esquerda.

34 Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: “Venham, benditos de meu Pai! Recebam como herança o Reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo.

35 Pois eu tive fome, e vocês me deram de comer; tive sede, e vocês me deram de beber; fui estrangeiro, e vocês me acolheram;

36 necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram”.

37 Então os justos lhe responderão: “Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber?

38 Quando te vimos como estrangeiro e te acolhemos, ou necessitado de roupas e te vestimos?

39 Quando te vimos enfermo ou preso e fomos te visitar?”

40 O Rei responderá: “Digo-lhes a verdade: O que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram”.

41 Então ele dirá aos que estiverem à sua esquerda: “Malditos, apartem-se de mim para o fogo eterno, preparado para o Diabo e os seus anjos.

42 Pois eu tive fome, e vocês não me deram de comer; tive sede, e nada me deram para beber;

43 fui estrangeiro, e vocês não me acolheram; necessitei de roupas, e vocês não me vestiram; estive enfermo e preso, e vocês não me visitaram”.

44 Eles também responderão: “Senhor, quando te vimos com fome ou com sede ou estrangeiro ou necessitado de roupas ou enfermo ou preso, e não te ajudamos?”

45 Ele responderá: “Digo-lhes a verdade: O que vocês deixaram de fazer a alguns destes mais pequeninos, também a mim deixaram de fazê-lo”.

46 “E estes irão para o castigo eterno, mas os justos para a vida eterna”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here