Mateus - Bíblia de Estudo Online

A volta de Jesus Cristo é iminente. Não podemos nos acomodar e achar que temos todo o tempo a nossa disposição para estarmos prontos (Mateus 25.1 – 13).

A parábola das dez virgens nos mostra que o tempo de estarmos prontos é hoje. Aqueles que não estiverem prontos no grande dia da volta de Jesus ficarão.

Os talentos (v.v 25.14 – 30)

O Senhor Deus confiou a cada um de nós dons espirituais e talentos para a edificação da igreja e a pregação do Evangelho.

Devemos usá-los com dignidade e compromisso com Deus e amor ao próximo. Não devemos nunca acreditar que somos inúteis ou insignificantes pois no Reino de Deus não há isso.

Ovelhas e Cabras (v.v 25.31 – 46)

Jesus Cristo ilustra, por meio da parábola das ovelhas e as cabras quem são aqueles que o servem de forma digna e honesta. Ele revela qual o serviço agradável a Deus.

É aquele que atinge diretamente ao próximo. Servir ao próximo, ser instrumento de Deus para suprir suas necessidades, se importar com seu estado físico, espiritual e emocional são atitudes que deixam a Deus profundamente feliz.

Tais atitudes serão recompensadas na eternidade, pois ele revela: “Digo-lhes a verdade: O que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram”. 

Esboço de Mateus 25:

25.1 – 13: A parábola das dez virgens

25.14 – 30: A parábola dos talentos

25.31 – 46: Parábola das ovelhas e as cabras

 

Israel será Julgada

Quando Cristo retornar em glória, mais separações ocorrerão, como indicado pela Parábola das 10 Virgens. Embora várias interpretações tenham sido dadas a essa parábola, parece melhor entendê-la como um julgamento sobre os judeus vivos logo após o retorno do Senhor em glória.

O contexto aponta claramente para esse evento (Mateus 24: 3, 14, 27, 30, 39, 44, 51). O julgamento dos gentios (ovelhas e bodes) ocorrerá quando o Senhor retornar (Mateus 25: 31-46). Também em Seu retorno glorioso, Israel será julgado como uma nação (Ez 20: 33-44; Zc 13: 1).

Israel, portanto, é retratado como 10 virgens que estão aguardando o retorno do noivo. Nos costumes do casamento nos dias de Jesus, o noivo voltava da casa da noiva em uma procissão que levava à sua própria casa, onde um banquete de casamento seria desfrutado.

Na parábola de Jesus, Ele como Rei retornará do céu com Sua noiva, a igreja, para entrar no Milênio. Os judeus da tribulação serão alguns dos convidados privilegiados para participar da festa.

A preparação é necessária

Na parábola, cinco das virgens fizeram preparo adequado, pois possuíam as lâmpadas necessárias e óleo extra em jarros (Mateus 25: 4). Cinco outros tinham lâmpadas, mas nenhum óleo extra. À meia-noite o noivo chegou. As lâmpadas das cinco virgens sem óleo extra estavam saindo.

Então eles tiveram que procurar óleo e perderam a chegada do noivo. Quando retornaram e encontraram a festa de casamento em andamento, eles buscaram admissão, mas foram negados (vv. 10-12).

Israel na Tribulação saberá que a vinda de Jesus está próxima, mas nem todos estarão espiritualmente preparados para isso. Sua vinda será repentina, quando não for esperada (24:27, 39, 50).

Embora essa passagem não interprete especificamente o significado do óleo, muitos comentaristas a veem como representando o Espírito Santo e Sua obra na salvação. A salvação é mais do que mera profissão, pois envolve a regeneração pelo Espírito Santo.

Aqueles que apenas professam ser salvos e não possuem realmente o Espírito, serão excluídos da festa, isto é, do reino. Aqueles que não conseguirem estar prontos quando o Rei vier, não poderão entrar em Seu reino.

Como o dia e a hora de Seu retorno são desconhecidos, os crentes da Tribulação devem vigiar (grēgoreita), isto é, estar alerta e preparado (cf. 24:42).

Barbieri, L. A., Jr. (1985). Matthew. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 2, p. 79–80). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here