marca_final-01

Mateus 28 Estudo: A Ressurreição de Jesus

Em Mateus 28 chegamos à quinta divisão da vida e do ministério de Jesus Cristo. A quarta divisão que nos apresentou o “Ano da Paixão” concluiu com a morte e o sepultamento do Senhor Jesus Cristo. Mas a morte não o pôde detê-lo! Jesus ressuscitou e é esse o conteúdo da quinta divisão que fazemos da vida e obra do Senhor Jesus!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Em Mateus 28, o escritor nos mostra o que aconteceu após a ressurreição de Jesus, no terceiro dia seguinte a crucificação. Coisas realmente extraordinárias esperavam as testemunhas daqueles dias, especialmente aqueles que o seguiam e criam nele.

No último capítulo deste Evangelho vemos a narração do evento mais extraordinário da História da humanidade, a ressureição de Jesus. Esse é o acontecimento que faz do cristianismo uma religião diferente de todas as outras.

Em Efésios 1.19–20, o apóstolo Paulo, inspirado pelo Espírito Santo o chama de “manifestação” grandiosa do poder de Deus na ressurreição de Cristo.

Esse poder mostra que temos sido abençoados por Deus, que não conhece impedimento na realização de todos os seus propósitos.

A ressurreição de Jesus é um dos pilares que compõem as doutrinas fundamentais da fé cristã.

O fato de as mulheres terem ido naquela manhã ao túmulo e o terem encontrado vazio, algo que foi testemunhado inclusive pelos guardas, deve nos servir de esperança e alegria, pois nossa fé não é morta; em Jesus temos uma viva esperança, pois ele ressuscitou.

Tendo vencido a morte, o Senhor Jesus mostrou que nem mesmo a morte o poderia deter, e sob o seu poder, sob a sua autoridade, ele ordenou a nós, seus discípulos de todos os tempos, que continuássemos sua missão, anunciado a mensagem de salvação, fazendo discípulos, com a promessa de estar conosco até o final dos tempos.

Mateus 28 e as provas da ressurreição

A prova da ressurreição de Jesus, em Mateus 28 se dá pelo testemunho do anjo, e do próprio Mestre, no que diz respeito.

Em nosso limitação humana podemos pensar que seria melhor se a sequência dos fatos tivesse sido diferente.

Por exemplo, se um bom número de testemunhas estivesse presente, vendo a pedra sendo tirada pelo anjo, e o corpo morto de Jesus ressuscitando, como aconteceu com Lázaro, é provável que a discussão em torno do fato não seria objeto de tanta discussão.

Mas a infinita Sabedoria de Deus, que ordenou que as testemunhas de sua ressurreição devessem vê-lo ressuscitado, mas não testemunhar o momento em que foi ressuscitado.

A encarnação de Jesus em Mateus 28 é um mistério, da mesma forma, sua ressurreição para este novo corpo e seu estado exaltado.

Ele foi, portanto, formado em segredo.

E como está escrito: “Bem-aventurados aqueles que não viram, e creram”.

Cristo deu provas de sua ressurreição que foram comprovadas pelas Escrituras, e pela palavra que Ele havia falado (conforme se vê em Lucas 24.6,7-44; Marcos 16.7).

Portanto a nossa vocação deve ser em “andar por fé, e não por vista”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Jesus e a Bíblia © 2020. Todos os direitos reservados.

});