Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Neemias 12 Estudo: Dedicação dos Muros

Em Neemias 12, encontramos o registro dos sacerdotes e levitas que vieram com Zorobabel, a Jerusalém e mais uma série de registros importantes para a história, organização e reforma da cidade.

Além disso, há um importante acontecimento: A festa de dedicação dos muros. Todos os sacerdotes e levitas foram convocados, além da participação massiva do povo.

Sem dúvida um momento histórico e emocionante, pois agora não havia mais ruínas, mas esperança e restauração. Servimos a um Deus poderoso e profundo, que refaz a nossa história e nos dá novas oportunidades.

Esboço de Neemias 12:

Neemias 12.1 – 9: O nome dos chefes dos sacerdotes

Neemias 12.10,11: A sucessão dos sumos sacerdotes

Neemias 12.12 – 21: Próxima geração dos chefes dos sacerdotes

Neemias 12.22 – 26: Levitas notáveis

Neemias 12.27 – 43: Dedicação dos muros

Neemias 12.44 – 48: Sacerdotes e levitas no Templo

Consagrada a Deus

“Por ocasião da dedicação dos muros de Jerusalém, os levitas foram procurados e trazidos de onde moravam para Jerusalém para celebrarem a dedicação alegremente, com cânticos e ações de graças, ao som de címbalos, harpas e liras”. (Neemias 12:27)

Devemos perguntar-nos qual era o significado dessa dedicação dos muros. Presumiremos que incluía a dedicação da cidade também, e, portanto, ela não ocorreu até que a cidade estivesse repovoada (capítulo 11).

Era uma gratidão solene a Deus pela sua grande misericórdia para com a conclusão dessa tarefa, pela qual eram tanto mais sensíveis por causa da dificuldade e oposição que encontraram.

Eles, por meio disso, devotaram a cidade de uma maneira peculiar a Deus e à sua honra, e tomaram posse dela para Ele e em seu nome. Todas as nossas cidades, todas as nossas casas, devem ter “santidade ao Senhor” escrito nelas.

Mas essa cidade era (como nenhuma outra) uma santa cidade, a cidade do grande Rei (SaImos 48.2; Mateus 5.35); foi assim desde que Deus a escolheu para colocar o seu nome ali.

E como tal, sendo agora reparada, ela foi novamente dedicada a Deus pelos edificadores e habitantes, como sinal do seu reconhecimento de que eles eram seus inquilinos, e de seu desejo de que ela continuasse sendo dele e que o domínio dela nunca fosse modificado.

Independentemente do que fosse feito para a segurança, tranquilidade e conforto deles, isso deve ser para a honra e glória de Deus.

Proteção Divina

Eles, com isso, colocaram a cidade e seus muros debaixo da proteção divina, reconhecendo que, se o SENHOR não guardar a cidade, os muros foram edificados em vão (veja SaImos 127.1).

Quando essa cidade estava de posse dos jebuseus, eles entregaram a guarda dela aos seus deuses, embora fossem cegos e coxos (2 Samuel 5.6). Com muita razão, o povo de Deus confiou-a aos cuidados daquele que é onisciente e todo-poderoso.

Os fundadores supersticiosos da cidade estavam de olho na posição auspiciosa dos céus, mas esses fundadores piedosos tinham seu olhar voltado unicamente para Deus, para sua providência, e não para a riqueza. (Henry, Matthew, Comentário de Josué a Ester)

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

2 Comentários

  1. Dulcey disse:

    Excelente !
    Bem explicado.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
});

O jesuseabiblia.com tem uma nova Política de Privacidade e Cookies Saiba mais.