Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Neemias 13 Estudo: Neemias Purifica Jerusalém

Em Neemias 13, observamos que a ausência de Neemias provocou inúmeros distúrbios na ordem de Jerusalém. Para cumprir seu acordo com o rei, após o prazo determinado ele voltou a corte persa. Contudo, sua intenção era voltar e continuar o trabalho. Mas desta vez o rei não cedeu tão facilmente.

Neemias era um servo precioso e seus serviços eram estimados. Podemos ter uma ideia de sua capacidade genial na obra que foi desenvolvida em Jerusalém.

Quando chegou de volta a cidade, ele encontrou diversas coisas fora do lugar. O sacerdote Eliasibe concedeu uma sala no Templo, para Tobias, inimigo do povo de Deus.

As portas de Jerusalém estavam sendo abertas todos os dias, inclusive no sábado. De forma que os comerciantes trabalhavam todos os dias e o culto foi deixado de lado.

Eles pararam de entregar os dízimos e a ofertas, com isso os sacerdotes e levitas não tinham como sobreviver. Daí eles deixaram o Templo e voltaram para suas casas.

Teve de lidar mais uma vez, com os casamentos mistos, inclusive no sacerdócio do Templo:

“Um dos filhos de Joiada, filho do sumo sacerdote Eliasibe, era genro de Sambalate, o horonita. E eu o expulsei para longe de mim”.

Este capítulo nos ajuda a refletir sobre a importância de uma autoridade espiritual sadia e qualificada por Deus, na sua obra.

No pouco tempo que Neemias esteve longe as coisas foram bagunçadas, mas com unção, autoridade e graça de Deus, ele trabalhou duro e as restabeleceu.

Que o Senhor nos conceda o espírito de Neemias, para defender sua Palavra e guardar seus mandamentos. Que não sejamos tão omissos e parciais, quanto aqueles que profanaram o sacerdócio.

Esboço de Neemias 13:

Neemias 13.1 – 5: A exclusão dos moabitas e amonitas

Neemias 13.6 – 14: Neemias purifica Jerusalém

Neemias 13.15 – 22: Guardando o sábado

Neemias 13.23 – 31: Casamentos mistos

Infidelidade

“Também fiquei sabendo que os levitas não tinham recebido a parte que lhes era devida, e que todos os levitas e cantores responsáveis pelo culto haviam voltado para suas próprias terras. Por isso repreendi os oficiais e lhes perguntei: “Por que essa negligência com o templo de Deus? ” Então eu convoquei os levitas e cantores e os coloquei em seus postos”. (Neemias 13:10,11)

A lei com esse teor, que foi lida naquele dia, aos ouvidos do povo (Neemias 13.1), no dia da dedicação dos muros, pelo que parece, porque, com suas orações e louvores, eles também leram a palavra.

E, embora isso tenha sido muito tempo depois que as outras injustiças, aqui mencionadas, fossem corrigidas pelo poder de Neemias, no entanto, essa lei contra a miscigenação dos povos pode ter sido corrigida então pelos próprios atos do povo (Neemias 13.3).

Ou talvez tenha ocorrido durante a comemoração do aniversário desse dia, alguns anos mais tarde; por isso, lemos que foi naquele dia. Eles descobriram uma lei, que dizia que os amonitas e moabitas não deveriam ser naturalizados, não deveriam habitar no meio deles, nem se unir a eles.

O motivo dessa lei é que eles tinham sido injuriosos e maus para o Israel de Deus (Neemias 13.2), não lhes haviam mostrado uma civilidade habitual, mas buscaram a destruição deles, embora os israelitas não lhes tivessem causado mal algum, e fossem expressamente proibidos de fazê-lo. Esse era o motivo dessa lei (Deuteronômio 23.3-5).

O Povo Concorda

“Quando o povo ouviu essa Lei, excluiu de Israel todos que eram de ascendência estrangeira”. (Neemias 13:3)

Veja o benefício da leitura pública da palavra de Deus; quando é devidamente observada, ela revela pecado e dever, benefício e infortúnio, e nos mostra onde erramos.

Então, lucramos com a descoberta, quando somos forjados por ela para separar-nos de todo mal ao qual estávamos devotados. Eles apartaram de Israel toda mistura, que tinha sido uma armadilha para eles no passado, porque o vulgo, que estava no meio deles, veio a ter grande desejo (Números 11.4). Eles expulsaram esses habitantes como usurpadores e perigosos.

O Caso de Tobias

O caso específico de Tobias, que era amonita, e a quem, é provável, o historiador tinha em mente quando citou essa lei (Neemias 13.1), e o motivo dela (Neemias 13. 2).

Porque ele tinha a mesma inimizade com Israel que seus ancestrais tinham demonstrado, o espírito de um amonita, atestando sua indignação contra Neemias (Neemias 2.10) e sua oposição em relação ao seu empreendimento (Neemias 4.7,8).

A forma aviltante com que Eliasibe, o sumo sacerdote, levou esse Tobias a tornar-se um hóspede nos pátios do Templo.

Ele era aliado de Tobias (Neemias 13.4), inicialmente pelo casamento, e então pela amizade. Seu neto tinha se casado com a filha de Sambalate (Neemias 13.28).

Provavelmente, mais alguém de sua família tinha se casado com alguém da família de Tobias, e (você imaginaria isso?) o sumo sacerdote achava que essa aliança era uma honra para sua família, e estava muito orgulhoso dela, embora fosse, na verdade, a sua maior desgraça, do que tinha motivos para envergonhar-se.

Estava expressamente escrito na lei que o sumo sacerdote se casasse com alguém do seu povo, para não profanar a sua semente entre os seus povos (Levíticos 21.14,15). (Henry, Matthew, Comentário de Josué a Ester)

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Marcelo arruda Costa. disse:

    Parabéns pelo estudo.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
});

O jesuseabiblia.com tem uma nova Política de Privacidade e Cookies Saiba mais.