Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Neemias 7 Estudo: A Reforma Continua

Em Neemias 7, é possível observar que a reforma continua. Ao perceber que a mão de Deus estava sobre ele, para fazer prosperar a obra Neemias continuou ousando.

Depois de cercar Jerusalém com portas e muros, seu próximo objetivo era a segurança e o desenvolvimento populacional. A partir disso, ele desenvolve projetos para estas duas áreas. O povo que percebe a bênção de Deus sobre a vida de Neemias o apoia com suas finanças e disposição.

Aprendemos com isso, que não devemos nos conformar com o “bom”. Na obra de Deus devemos buscar a excelência. Servimos ao Deus que faz o nosso cálice transbordar e tem o maior prazer no crescimento do seu Reino.

Esboço de Neemias 7:

Neemias 7.1 – 3: A reforma continua

Neemias 7.4 – 69: Registro das famílias

Neemias 7.70 – 73: Oferta para o Templo

Designados Para o Serviço

“Depois que o muro foi reconstruído e que eu coloquei as portas no lugar, foram nomeados os porteiros, os cantores e os levitas. Para governar Jerusalém encarreguei o meu irmão Hanani e, com ele, Hananias, comandante da cidade forte, pois Hananias era íntegro e temia a Deus mais do que a maioria dos homens”. (Neemias 7:1,2)

Ele designou porteiros, cantores e levitas, em seus lugares, para o seu trabalho. Isso se refere ao seu trabalho de forma geral, que era ocupar-se do serviço do Templo.

Ele tinha sido negligenciado até certo ponto, mas agora estava sendo restaurado. A adoração a Deus é a defesa de um lugar, e seus ministros, quando se dedicam aos seus deveres, são sentinelas dos muros.

Ou, de forma específica, ele ordenou que estivessem prontos diante do muro que seria dedicado, para que realizassem aquele serviço de uma maneira ordeira e solene; e a dedicação dele seria sua força. Aquilo que é devotado a Deus é benéfico para nós.

Ele designou dois governadores ou cônsules, a quem confiou o cuidado da cidade, e ordenou que promovessem a paz e segurança públicas. Hanani, seu irmão, que veio a ele com as notícias das desolações de Jerusalém, era um deles, um homem de integridade e afeição para com seu país.

O outro era Hananias, que tinha sido maioral da fortaleza: porque àquele que é fiel no mínimo será confiado o muito. Lemos acerca de Hananias que ele era homem fiel e temente a Deus, mais do que muitos (Neemias 7.2).

Confiança em Deus

Entre aqueles que confiam em Deus, há alguns que confiam nele de uma forma especial, e sobrepujam outros nas expressões e exemplos do seu temor; e eles são dignos de uma porção dobrada dessa honra que é devida àqueles que temem ao SENHOR (SI 15.4).

Havia muitos em Jerusalém que temiam a Deus, mas esse homem justo era mais notável na religião e piedade do que outros. Aqueles que temem a Deus devem evidenciá-lo ao serem fiéis a todos os homens e universalmente conscienciosos.

A Jerusalém de Deus está em condições de florescer quando os que governam nela e são responsáveis por ela se distinguem em virtude, e são notáveis pela piedade e honestidade.

E presumido por alguns que Neemias estava prestes a voltar para a corte persa, para ter sua comissão renovada, e que ele deixou estes dois homens dignos para cuidar dos negócios da cidade em sua ausência.

Bons Líderes Delegam

Bons governadores, quando e onde estão impossibilitados de agir eles próprios, devem ser muito cuidadosos quanto às pessoas a quem eles delegam suas atribuições.

Ele deu ordens acerca do fechamento das portas e da guarda dos muros (Neemias 7.3,4). Veja aqui qual era o estado presente de Jerusalém. A cidade, em espaço, era ampla e grande.

Os muros encerravam a mesma área de antes; mas grande parte da cidade estava devastada, porque as casas não haviam sido reconstruídas, poucas pelo menos em comparação com o que tinha sido anteriormente.

De modo que Neemias murou a cidade pela fé, e com esperança na promessa de ela ser repovoada, a qual Deus tinha feito ultimamente pelo profeta (Zacarias 8.3ss.).

Embora o povo agora fosse pouco, ele acreditava que seria multiplicado e, por essa razão, edificou os muros, para que houvesse espaço para as pessoas. Caso não tivesse confiado nisso, ele poderia ter imaginado que muros sem uma cidade são um grande opróbrio, como ocorre com uma cidade sem muros. (Henry, Matthew, Comentário de Josué a Ester)

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

2 Comentários

  1. Eduardo disse:

    Uau!!! Gostei bastante!
    Muito obrigado

  2. Vera Olinda disse:

    Estou amando ler esses texto todos os dias.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
});

O jesuseabiblia.com tem uma nova Política de Privacidade e Cookies Saiba mais.