Números - Bíblia de Estudo Online

Depois que Israel se estabeleceu em Hazerote (11.35), Miriã e Arão, irmãos mais velhos de Moisés, começaram a desafiar sua autoridade, ostensivamente porque ele havia se casado com uma mulher cuchita (Números 12:1–3).

Este desafio veio porque ele se casou com a mulher e, portanto, em seus olhos destruiu sua credibilidade, ou porque eles estavam desiludidos com sua liderança por outras razões e usaram o casamento como uma desculpa.

O casamento em si não poderia ser criticado, a menos que fosse um caso de bigamia (para o qual não há provas), porque os cuchitas não estavam entre aqueles a quem os israelitas não podiam se casar (Êx 34:11,16).

Os cuchitas não eram necessariamente de uma cor diferente, já que as pessoas daquele nome existiam nos primeiros tempos na Arábia, bem como no próprio Kush (o que é hoje o sul do Egito, o Sudão e o norte da Etiópia).

Possivelmente Miriã, que aparentemente liderou esta parte do desafio, viu na nova esposa de Moisés uma ameaça à sua própria posição como a maior figura feminina na liderança de Israel. A verdadeira razão está clara na pergunta de Miriã e Arão.

O Senhor falou somente através de Moisés?

Inveja, talvez fervendo por um longo tempo, agora veio à tona. E o escritor (o próprio Moisés) fez a afirmação notável de que tal inveja era totalmente desnecessária, já que ele não era arrogante, mas era, de fato, mais humilde do que qualquer outro na face da terra.

Esta afirmação é frequentemente citada como evidência de que Moisés não poderia ter escrito o Livro dos Números, pois ele não teria se gabado de sua própria humildade.

Pelo contrário, a declaração a respeito de sua humildade é o mais forte apoio possível à visão tradicional de que Moisés escreveu a Sagrada Escritura como um escritor inspirado. Somente um liderado pelo Espírito Santo poderia fazer tal afirmação sobre si mesmo, provavelmente contra sua própria inclinação natural. (1)

Esboço de Números 12:

12.1 – 3: As reclamações de Miriã e Arão

12.4 – 9: Deus se irrita com os irmãos de Moisés

12.10 – 16: Miriã fica leprosa 

 

Números 12.1 – 3: As reclamações de Miriã e Arão

1 Miriã e Arão começaram a criticar Moisés porque ele havia se casado com uma mulher etíope.

2 “Será que o Senhor tem falado apenas por meio de Moisés?”, perguntaram. “Também não tem ele falado por meio de nós?” E o Senhor ouviu isso.

3 Ora, Moisés era um homem muito paciente, mais do que qualquer outro que havia na terra.

Números 12.4 – 9: Deus se irrita com os irmãos de Moisés

4 Imediatamente o Senhor disse a Moisés, a Arão e a Miriã: “Dirijam-se à Tenda do Encontro, vocês três”. E os três foram para lá.

5 Então o Senhor desceu numa coluna de nuvem e, pondo-se à entrada da Tenda, chamou Arão e Miriã. Os dois vieram à frente,

6 e ele disse: Ouçam as minhas palavras: Quando entre vocês há um profeta do Senhor, a ele me revelo em visões, em sonhos falo com ele.

7 Não é assim, porém, com meu servo Moisés, que é fiel em toda a minha casa.

8 Com ele falo face a face, claramente, e não por enigmas; e ele vê a forma do Senhor. Por que não temeram criticar meu servo Moisés?

9 Então a ira do Senhor acendeu-se contra eles, e ele os deixou.

Números 12.10 – 16: Miriã fica leprosa

10 Quando a nuvem se afastou da Tenda, Miriã estava leprosa; sua aparência era como a da neve. Arão voltou-se para Miriã, viu que ela estava com lepra

11 e disse a Moisés: Por favor, meu senhor, não nos castigue pelo pecado que tão tolamente cometemos.

12 Não permita que ela fique como um feto abortado que sai do ventre de sua mãe com a metade do corpo destruída.

13 Então Moisés clamou ao Senhor: “Ó Deus, por misericórdia, concede-lhe cura!”

14 O Senhor respondeu a Moisés: “Se o pai dela lhe tivesse cuspido no rosto, não estaria ela envergonhada sete dias? Que fique isolada fora do acampamento sete dias; depois ela poderá ser trazida de volta”.

15 Então Miriã ficou isolada sete dias fora do acampamento, e o povo não partiu enquanto ela não foi trazida de volta.

16 Depois disso, partiram de Hazerote e acamparam no deserto de Parã.

 

Referências:

Merrill, E. H. (1985). Numbers. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 228). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here