Provérbios 21 Estudo: O Coração do Rei Nas Mãos do Senhor

O capítulo de Provérbios 21 começa (vv. 1–3) e termina (vv. 30–31) com referências ao Senhor. Os versos 2,8,26,28 do capítulo 20 referiam-se a reis. Agora, novamente, o rei é mencionado.

O coração do rei está nas mãos de Deus (cf. Ec 9:1) como são os planos de todas as pessoas (cf. Provérbios 16:1,9). Um fazendeiro dirige a água escavando canais. Da mesma forma, o Senhor dirige os corações dos reis, como, por exemplo, Faraó (Êxodo 10:1-2), Tiglate-Pileser (Isaías 10:5-7), Ciro (Is 45:1-6), e Artaxerxes (Esdras 7:21; Neemias 2: 1-8). Deus é soberano (cf. Prov. 21:30).

O envolvimento divino no coração do homem não se limita aos reis (v. 1). O texto de 21:2 é quase o mesmo que 16:2. Uma pessoa pode pensar que nada está errado com seus caminhos (conduta; cf. 12:15), mas o SENHOR sabe o que está em seu coração. “O homem olha para a aparência exterior, mas o SENHOR olha para o coração” (1 Sam. 16:7).

O Senhor avalia com precisão (pesa; cf. Provérbios 16:2; 24:12) os motivos e os testa (17: 3). Deus é soberano (21:1) e também onisciente (v. 2).

Deus prefere a obediência das pessoas – elas fazem o que é certo (cf. v.7) e justamente sobre o sacrifício delas (Provérbios 21:3). Em Israel, o envolvimento no sistema sacrificial não substituiu o “sacrifício” da vida justa (cf. 1Sm 15.22).

O SENHOR detestou a hipocrisia de uma pessoa iníqua que trouxe um sacrifício animal a Ele (ver Provérbios 15: 8; 21:27). (1)

Esboço de Provérbios 21:

21.1 – 3: O coração do rei nas mãos do Senhor

21.4 – 10: Verdades da sabedoria 1

21.11 – 20: Verdades da sabedoria 2

21.21 – 31: Verdades da sabedoria 3 

Provérbios 21.1 – 3: O coração do rei nas mãos do Senhor

1 O coração do rei é como um rio controlado pelo Senhor; ele o dirige para onde quer.

2 Todos os caminhos do homem lhe parecem justos, mas o Senhor pesa o coração.

3 Fazer o que é justo e certo é mais aceitável ao Senhor do que oferecer sacrifícios.

Provérbios 21.4 – 10: Verdades da sabedoria 1

4 A vida de pecado dos ímpios se vê no olhar orgulhoso e no coração arrogante.

5 Os planos bem elaborados levam à fartura; mas o apressado sempre acaba na miséria.

6 A fortuna obtida com língua mentirosa é ilusão fugidia e armadilha mortal.

7 A violência dos ímpios os arrastará, pois recusam-se a agir corretamente.

8 O caminho do culpado é tortuoso, mas a conduta do inocente é reta.

9 Melhor é viver num canto sob o telhado do que repartir a casa com uma mulher briguenta.

10 O desejo do perverso é fazer o mal; ele não tem dó do próximo.

Provérbios 21.11 – 20: Verdades da sabedoria 2

11 Quando o zombador é castigado, o inexperiente obtém sabedoria; quando o sábio recebe instrução, obtém conhecimento.

12 O justo observa a casa dos ímpios e os faz cair na desgraça.

13 Quem fecha os ouvidos ao clamor dos pobres também clamará e não terá resposta.

14 O presente que se faz em segredo acalma a ira, e o suborno oferecido às ocultas apazigua a maior fúria.

15 Quando se faz justiça, o justo se alegra, mas os malfeitores se apavoram.

16 Quem se afastado caminho da sensatez repousará na companhia dos mortos.

17 Quem se entrega aos prazeres passará necessidade; quem se apega ao vinho e ao azeite jamais será rico.

18 O ímpio serve de resgate para o justo, e o infiel, para o homem íntegro.

19 Melhor é viver no deserto do que com uma mulher briguenta e amargurada[39].

20 Na casa do sábio há comida e azeite armazenados, mas o tolo devora tudo o que pode.

Provérbios 21.21 – 31: Verdades da sabedoria 3

21 Quem segue a justiça e a lealdade encontra vida, justiça e honra.

22 O sábio conquista a cidade dos valentes e derruba a fortaleza em que eles confiam.

23 Quem é cuidadoso no que fala evita muito sofrimento.

24 O vaidoso e arrogante chama-se zombador; ele age com extremo orgulho.

25 O preguiçoso morre de tanto desejar e de nunca pôr as mãos no trabalho.

26 O dia inteiro ele deseja mais e mais, enquanto o justo reparte sem cessar.

27 O sacrifício dos ímpios já por si é detestável; tanto mais quando oferecido com más intenções.

28 A testemunha falsa perecerá, mas o testemunho do homem bem informado permanecerá. [40]

29 O ímpio mostra no rosto a sua arrogância, mas o justo mantém em ordem o seu caminho.

30 Não há sabedoria alguma, nem discernimento algum, nem plano algum que possa opor-se ao Senhor.

31 Prepara-se o cavalo para o dia da batalha, mas o Senhor é que dá a vitória.

 

Referências:

Buzzell, S. S. (1985). Proverbs. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 950). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here