Provérbios 6 Estudo: Sete Práticas Que Deus Abomina

Ao descrever uma pessoa que engana e desperta contenda (Provérbios 6:12-15) e as atividades em que essa pessoa se envolve (vv. 16-19), Salomão instou seu filho a evitar o desastre (v. 15) e o ódio de Deus (v. 16).

O perverso e o vilão referem-se a uma pessoa, como evidenciado pelo uso de verbos singulares nos versículos 12–15. “Perverso” (cf. 16:27; 2 Sam 16: 7; 1 Reis 21:10) é literalmente “homem de fé”, alguém que é inútil e perverso.

Mais tarde, a palavra belial veio a ser usada para o diabo, a pessoa mais iníqua e iníqua de todos (2 Co 6:15). Um perverso é conhecido por sua boca corrupta (lit., “torcida”), suas palavras falsas e enganosas (Provérbios 6:12).

O comportamento do perverso

Pela linguagem corporal sinistra, as ações do perverso contradizem o que ele diz. Ao piscar (cf. 10:10; 16:30; Sal. 35:19) e gesticulando de algum modo com os pés e os dedos, ele sinaliza certas mensagens para seus companheiros conspiradores (Provérbios 6:13-14).

Ele planeja ações más (cf. 1:11-14) de um coração enganoso para que as pessoas não estejam cientes de suas intenções até que seja tarde demais. Embora ele simule a sinceridade, por baixo ele é pervertido e causa dissensão, atraindo outros para a discórdia ou contenda.

A dissensão (cf. 6.19) é causada pelo ódio (10.12), e temperamento descontrolado (15:18), perversidade (16:28), ganância (28:25) e ira (29:22).

Além de causar discórdia entre as pessoas por suas palavras enganosas e seus gestos sinistros, um perverso traz desastre para si mesmo (Provérbios 6:15). Ele vem inesperadamente e rapidamente (em um instante e de repente) sem nenhuma maneira de compensá-lo (sem solução).

Se as consequências naturais ou uma intervenção divina direta está em vista, não está claro. Mas sua queda é rápida, completa e certa.

A ira do Senhor

A ira do Senhor às atividades do perverso (vv. 12-14) é descrito nos versículos 16-19. Essas duas seções estão ligadas pelas palavras “desperta a dissensão” (vv. 14, 19).

O padrão seis, sete também é usado em Jó 5:19, e um padrão semelhante de outros números mais um é usado em Provérbios 30:15–16, 18–19, 21–31. O propósito deste tipo de padrão numérico (x e x + 1) não é fornecer uma lista completa. Em vez disso, é para enfatizar o item final (x + 1), como a culminação ou produto de seus itens anteriores.

Uma pessoa com olhos arrogantes (isto é, um olhar orgulhoso; Provérbios 6:17-19), uma língua mentirosa (Provérbios 12:19), as mãos que assassinam (derramar sangue inocente; ver 1:11), um coração que enganoso, ações perversas, pés que se movem rapidamente em pecado (ver 1:16), e aquele que mente contra alguém quando testemunha no tribunal (ver 12:17) é uma pessoa que causa discórdia entre amigos.

Aparentemente, por suas mentiras, ele faz com que amigos suspeitem um do outro. “Mentir”, aparece duas vezes nesta lista de coisas que Deus odeia (vv. 17, 19), é um dos muitos usos errados de palavras que são condenadas em Provérbios. 

O perverso (v. 12) usa várias partes de seu corpo para pecar contra os mandamentos em 4:23-26, como visto nestas passagens: coração, boca, lábios, olhos, pés (4:23-26); boca, olho, pés, dedos, coração (6: 12-14); olhos, língua, mãos, coração, pés (vv. 17-18). (1)

Esboço de Provérbios 6:

6.1 – 5: Advertência contra a fiança

6.6 – 11: A preguiça é reprovada

6.12 – 19: Sete práticas que Deus abomina

6.20 – 23: Os mandamentos são lâmpadas

6.24 – 35: O perigo da mulher leviana 

Provérbios 6.1 – 5: Advertência contra a fiança

1 Meu filho, se você serviu de fiador do seu próximo, se, com um aperto de mãos, empenhou-se por um estranho

2 e caiu na armadilha das palavras que você mesmo disse, está prisioneiro do que falou.

3 Então, meu filho, uma vez que você caiu nas mãos do seu próximo, vá e humilhe-se; insista, incomode o seu próximo!

4 Não se entregue ao sono, não procure descansar.

5 Livre-se como a gazela se livra do caçador, como a ave do laço que a pode prender.

Provérbios 6.6 – 11: A preguiça é reprovada

6 Observe a formiga, preguiçoso, reflita nos caminhos dela e seja sábio!

7 Ela não tem nem chefe, nem supervisor, nem governante,

8 e ainda assim armazena as suas provisões no verão e na época da colheita ajunta o seu alimento.

9 Até quando você vai ficar deitado, preguiçoso? Quando se levantará de seu sono?

10 Tirando uma soneca, cochilando um pouco, cruzando um pouco os braços para descansar,

11 a sua pobreza o surpreenderá como um assaltante, e a sua necessidade lhe sobrevirá como um homem armado.

Provérbios 6.12 – 19: Sete práticas que Deus abomina

12 O perverso não tem caráter. Anda de um lado para o outro dizendo coisas maldosas;

13 pisca o olho, arrasta os pés e faz sinais com os dedos;

14 tem no coração o propósito de enganar; planeja sempre o mal e semeia discórdia.

15 Por isso a desgraça se abaterá repentinamente sobre ele; de um golpe será destruído, irremediavelmente.

16 Há seis coisas que o Senhor odeia, sete coisas que ele detesta:

17 olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente,

18 coração que traça planos perversos, pés que se apressam para fazer o mal,

19 a testemunha falsa que espalha mentiras e aquele que provoca discórdia entre irmãos.

Provérbios 6.20 – 23: Os mandamentos são lâmpadas

20 Meu filho, obedeça aos mandamentos de seu pai e não abandone o ensino de sua mãe.

21 Amarre-os sempre junto ao coração; ate-os ao redor do pescoço.

22 Quando você andar, eles o guiarão; quando dormir, o estarão protegendo; quando acordar, falarão com você.

23 Pois o mandamento é lâmpada, a instrução é luz, e as advertências da disciplina são o caminho que conduz à vida;

Provérbios 6.24 – 35: O perigo da mulher leviana

24 eles o protegerão da mulher imoral, e dos falsos elogios da mulher leviana.

25 Não cobice em seu coração a sua beleza nem se deixe seduzir por seus olhares,

26 pois o preço de uma prostituta é um pedaço de pão, mas a adúltera sai à caça de vidas preciosas.

27 Pode alguém colocar fogo no peito sem queimar a roupa?

28 Pode alguém andar sobre brasas sem queimar os pés?

29 Assim acontece com quem se deita com mulher alheia; ninguém que a toque ficará sem castigo.

30 O ladrão não é desprezado se, faminto, rouba para matar a fome.

31 Contudo, se for pego, deverá pagar sete vezes o que roubou, embora isso lhe custe tudo o que tem em casa.

32 Mas o homem que comete adultério não tem juízo; todo aquele que assim procede a si mesmo se destrói.

33 Sofrerá ferimentos e vergonha, e a sua humilhação jamais se apagará,

34 pois o ciúme desperta a fúria do marido, que não terá misericórdia quando se vingar.

35 Não aceitará nenhuma compensação; os melhores presentes não o acalmarão.

 

Referências:

Buzzell, S. S. (1985). Proverbs. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 916–917). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here