Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Romanos 2 Estudo: A Imparcialidade de Deus

Em Romanos 2, o apóstolo Paulo continua falando acerca da hipocrisia. Não há como julgar o comportamento alheio sem que as práticas que procuramos em outros não estejam presentes em nós.

O Senhor nosso Deus não segue a nossa linha. Ele é completamente imparcial. Ele retribui com paz os que lhe obedecem e com tribulação os que lhe desobedecem.

Paulo continua apresentando o valor da sinceridade na obediência. Ele cita o exemplo da prática da lei, circuncisão e a incircuncisão (Ver Romanos 1 Estudo).

 

O Governo de Deus

Paulo afirma que a justiça do governo divino é invariável (w. 2,3). Para inculcar a convicção, ele aqui mostra como é justo o juiz com quem temos de tratar, e como Ele é justo em seus procedimentos.

É comum ao apóstolo Paulo, em seus escritos, ao mencionar algum ponto material, fazer grandes divagações sobre ele; como aqui em relação à justiça de Deus (v. 2), que o “…juízo de Deus é segundo a verdade…”.

De acordo com as regras eternas de justiça e equidade; de acordo com o coração, e não de acordo com a aparência externa (1 Sm 16.7).

De acordo com as obras, e não com acepção de pessoas, é uma doutrina da qual nós todos temos certeza, porque Ele não seria Deus se não fosse justo.

Mas cabe considerá-la especialmente àqueles que condenam os outros por essas coisas das quais eles mesmos são culpados, e assim, enquanto eles praticam o pecado e persistem nessa prática, pensam subornar a justiça divina protestando contra o pecado e acusando aos gritos os outros de serem culpados, como se pregar contra o pecado os expiasse da sua culpa.

Mas observe como ele apresenta isso à consciência do pecador (v. 3): “E tu, ó homem, que julgas…?”.

O homem, uma criatura racional, uma criatura dependente, feita por Deus, sujeita a Ele, e responsável diante dele.

O argumento é tão claro que podemos ousar apelar aos pensamentos do próprio pecador: “Acaso, tu pensas que escaparás ao juízo de Deus ? Pode o Deus que esquadrinha os corações ser enganado por fingimentos formais, o justo Juiz de todos ser assim subornado e afastado?” .

Os pecadores mais plausíveis e sagazes, que se desculpam diante dos homens com a maior confiança, não podem fugir do juízo de Deus, não podem evitar serem julgados e condenados. (Henry, Matthhew, Comentário de Atos a Apocalipse)

 

Esboço de Romanos 2:

2.1 – 4: O julgamento hipócrita

2.5 – 11: A imparcialidade de Deus

2.12 – 16: A prática da lei

2.17 – 24: O comportamento hipócrita

2.25 – 29: O valor da obediência sincera

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.