marca_final-01

Romanos 3 Estudo: Não Há Nenhum Justo Sequer

Os judeus certamente estavam em melhor situação que os gentios, por terem os segredos de Deus para ensiná-los desde o início de sua História, mas em Romanos 3, como eles não estavam melhores, isso só agravou sua culpa.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Em Romanos 3, Paulo começa falando sobre a fidelidade e a justiça de Deus. Ele afirma que elas são independentes da nossa opinião e comportamento. Na verdade, a nossa injustiça e pecado confirma a fidelidade e justiça de Deus.

A partir disso, o apóstolo mostra que não há nenhum justo. Toda a humanidade pecou e isso a torna culpada e sem nenhum mérito à glória de Deus.

Em seguida, Paulo mostra que a prática da lei não pode salvar. Justamente, nossa incapacidade de obediência irrestrita a lei torna este um caminho impossível de ser seguido.

A justiça de Deus se revelou salvadora e graciosa em Jesus Cristo. Ele sim é a propiciação perfeita dos nossos pecados. O sacrifício de Jesus na Cruz revela que Deus ama a humanidade e não apenas um povo.

Romanos 3 e os culpados

Em Romanos 3.9 Paulo perguntou: “Que concluiremos então? Estamos em posição de vantagem?”

Como evidência de que os judeus não têm posição preferencial, Paulo afirmou que havia anteriormente posicionado tanto judeus quanto gentios estando sob o poder e controle do pecado e sob a condenação que resulta dele (ver Romanos 1.18 e 2.5).

A acusação foi primeiro para os gentios e depois judeus.

Para validar sua acusação de que todos estão “sob o pecado”, Paulo citou em Romanos 3.10–18 seis passagens do Antigo Testamento.

À parte da habitação do Espírito Santo, as pessoas não podem exibir este fruto do Espírito (Gálatas 5.22).

Eles não têm capacidade espiritual interior pela qual podem normal e automaticamente exercer bondade genuína para com os outros. Em vez disso, o pecado os torna egoístas e egocêntricos.

Embora Paulo não tenha citado o Salmo 14.2, “O Senhor olha do céu para os filhos dos homens”, esse versículo é significativo, pois o que se segue nesse salmo é a acusação de Deus contra a humanidade.

Pecadores!

Ao ler Romanos 3.13–18 percebemos que estes versos descrevem a maldade de várias partes do corpo humano, indicando figurativamente que cada parte contribui para a condenação de uma pessoa.

Tudo isso está resumido nas palavras de Paulo “Não há temor de Deus diante de seus olhos”.

Temer a Deus (isto é, reverenciá-lo por meio de adoração, confiança, obediência e serviço) é a essência de uma pessoa piedosa.

Portanto, para um judeu não temer a Deus era o cúmulo do pecado e da tolice.

Neste trecho Paulo não deixou qualquer base para os leitores judeus dizerem que seu argumento de que os judeus são pecadores contradiz o Antigo Testamento!

6 COMMENTS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Jesus e a Bíblia © 2020. Todos os direitos reservados.