Rute - Bíblia de Estudo Online

Durante as semanas das colheitas de cevada e trigo (cf. 2:23), Noemi teve tempo de montar seu plano e quando finalmente chegou a hora ela agiu. Noemi era uma pessoa persistente (ver 1:8-15). Ela agora estava decidida a buscar descanso e segurança para sua nora por meio do casamento (Rute 3:1).

Rute havia desistido da possibilidade de se casar de novo para cuidar de Noemi na velhice, mas agora o casamento de repente tornou-se uma possibilidade. Era costume que os pais hebreus organizassem casamentos para seus filhos (Juízes 14:1-10). Encontrar um lar é, literalmente, “encontrar descanso” (cf. Rute 1:9), para ser estabelecido e seguro em um lar com um marido.

A estratégia de Noemi

Noemi assinalou que, uma vez que Boaz era um parente deles, poderia ser um resgatador parente de Rute. Ele tinha um coração aberto e disposto. Então Noemi sugeriu que Rute fosse para a eira naquela noite (Rute 3:2).

O povo de Belém se revezou usando a eira. O chão era uma área plana e dura em uma plataforma ou colina levemente elevada. Na debulha, o grão foi espancado dos talos (cf. 2:17) ou foi pisado por bois.

Então, ao joeirar, o grão foi lançado para o ar e o vento levou a palha para longe. O grão foi então retirado da eira e colocado em pilhas para ser vendido ou armazenado em celeiros.

Debulha e joeiragem eram uma época de grande festa e alegria. Noemi sabia que Boaz estava debulhando seus grãos no dia em que ela escolhera seu plano. Ela também sabia que Boaz estaria dormindo perto de seu grão naquela noite, para protegê-lo.

Rute se prepararia lavando e perfumando a si mesma. As palavras melhores roupas podem ser traduzidas como “uma grande vestimenta exterior”. Isso impedia que sua identidade fosse detectada. Ela deveria observar Boaz comendo e bebendo, mas não deveria deixá-lo saber de sua presença (Rute 3:3).

Depois que Boaz terminou de comer e beber, Rute deveria observar o lugar onde ele se retirou para a noite. Sob o manto da escuridão, Rute foi para Boaz, descobriu seus pés e deitou-se ali. 

Boaz, Noemi disse, lhe diria o que deveria fazer. A implicação era clara que Rute deveria fazer o que ele pedisse. Rute afirmou que ela agiria em plena e inquestionável obediência às instruções de sua sogra (ver 2:22-23). (1)

Esboço de Rute 3:

 3.1 – 5: Conselhos de Noemi a Rute

3.6 – 13: Boaz acolhe Rute

3.14 – 18: Rute volta à Noemi 

 

Conselhos de Noemi a Rute

1 Certo dia, Noemi, sua sogra, lhe disse: Minha filha, tenho que procurar um lar seguro, para a sua felicidade.

2 Boaz, senhor das servas com quem você esteve, é nosso parente próximo. Esta noite ele estará limpando cevada na eira.

3 Lave-se, perfume-se, vista sua melhor roupa e desça para a eira. Mas não deixe que ele perceba você até que tenha comido e bebido.

4 Quando ele for dormir, note bem o lugar em que ele se deitar. Então vá, descubra os pés dele e deite-se. Ele lhe dirá o que fazer.

5 Respondeu Rute: “Farei tudo o que você está me dizendo”.

Boaz acolhe Rute

6 Então ela desceu para a eira e fez tudo o que a sua sogra lhe tinha recomendado.

7 Quando Boaz terminou de comer e beber, ficou alegre e foi deitar-se perto do monte de grãos. Rute aproximou-se sem ser notada, descobriu os pés dele, e deitou-se.

8 No meio da noite, o homem acordou de repente. Ele se virou e assustou-se ao ver uma mulher deitada a seus pés.

9 “Quem é você?”, perguntou ele. “Sou sua serva Rute”, disse ela. “Estenda a sua capa sobre a sua serva, pois o senhor é resgatador.”

10 Boaz lhe respondeu: O Senhor a abençoe, minha filha! Este seu gesto de bondade é ainda maior do que o primeiro, pois você poderia ter ido atrás dos mais jovens, ricos ou pobres!

11 Agora, minha filha, não tenha medo; farei por você tudo o que me pedir. Todos os meus concidadãos sabem que você é mulher virtuosa.

12 É verdade que sou resgatador, mas há um outro que é parente mais próximo do que eu.

13 Pas­se a noite aqui. De manhã veremos: se ele quiser resgatá-la, muito bem, que resgate. Se não quiser, juro pelo nome do Senhor que eu a resgatarei. Deite-se aqui até de manhã.

Rute volta à Noemi

14 Ela ficou deitada aos pés dele até de manhã, mas levantou-se antes de clarear para não ser reconhecida. Boaz pensou: “Ninguém deve saber que esta mulher esteve na eira”.

15 Por isso disse: “Traga-me o manto que você está usando e segure-o”. Ela o segurou, e o homem despejou nele seis medidas de cevada e o pôs sobre os ombros dela. Depois ele voltou para a cidade.

16 Quando Rute voltou à sua sogra, esta lhe perguntou: “Como foi, minha filha?” Rute lhe contou tudo o que Boaz lhe tinha feito,

17 e acrescentou: “Ele me deu estas seis medidas de cevada, dizendo: “Não volte para a sua sogra de mãos vazias””.

18 Disse então Noemi: “Agora espere, minha filha, até saber o que acontecerá. Sem dúvida aque­le homem não descansará enquanto não resolver esta questão hoje mesmo”.

 

Referências:

Reed, J. W. (1985). Ruth. In J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), The Bible Knowledge Commentary: An Exposition of the Scriptures (Vol. 1, p. 424). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here