Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Salmos 10 Estudo: A Esperança dos Necessitados

No Salmos 10, o salmista continua exaltando a Deus por seu cuidado e amor. Ele é grato ao Senhor por lhe defender dos seus inimigos e dos seus temores.

Ele diz: “O Senhor é refúgio para os oprimidos, uma torre segura na hora da adversidade”.

Deus é bom! Sem dúvidas, Deus é muito bom!

Deus é refúgio, amparo, consolo, misericórdia, graça. Estar perto de Deus é ter vida e vida com abundância.

Ele encerra pedindo, mais uma vez que o Senhor o ajude e livre. A confiança do salmista é de que a esperança dos necessitados, isto é, dos que buscam a Deus, não será frustrada.

Esboço de Salmos 10:

10.1 – 8: Defendes o meu direito

10.9 – 12: O Senhor é refúgio

10.13 – 17: Misericórdia Senhor

10.18 – 20: A esperança dos necessitados

 

Salmos 10.1 – 8: Defendes o meu direito

1 Senhor, quero dar-te graças de todo o coração e falar de todas as tuas maravilhas.

2 Em ti quero alegrar-me e exultar, e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo.

3 Quando os meus inimigos contigo se defrontam, tropeçam e são destruídos.

4 Pois defendeste o meu direito e a minha causa; em teu trono te assentaste, julgando com justiça.

5 Repreendeste as nações e destruíste os ímpios; para todo o sempre apagaste o nome deles.

6 O inimigo foi totalmente arrasado, para sempre; desarraigaste as suas cidades; já não há quem delas se lembre.

7 O Senhor reina para sempre; estabeleceu o seu trono para julgar.

8 Ele mesmo julga o mundo com justiça; governa os povos com retidão.

Salmos 10.9 – 12: O Senhor é refúgio

9 O Senhor é refúgio para os oprimidos, uma torre segura na hora da adversidade.

10 Os que conhecem o teu nome confiam em ti, pois tu, Senhor, jamais abandonas os que te buscam.

11 Cantem louvores ao Senhor, que reina em Sião; proclamem entre as nações os seus feitos.

12 Aquele que pede contas do sangue derramado não esquece; ele não ignora o clamor dos oprimidos.

Salmos 10.13 – 17: Misericórdia Senhor

13 Misericórdia, Senhor! Vê o sofrimento que me causam os que me odeiam. Salva-me das portas da morte,

14 para que, junto às portas da cidade de Sião, eu cante louvores a ti e ali exulte em tua salvação.

15 Caíram as nações na cova que abriram; os seus pés ficaram presos no laço que esconderam.

16 O Senhor é conhecido pela justiça que executa; os ímpios caem em suas próprias armadilhas. Interlúdio. Pausa

17 Voltem os ímpios ao pó, todas as nações que se esquecem de Deus!

Salmos 10.18 – 20: A esperança dos necessitados

18 Mas os pobres nunca serão esquecidos, nem se frustrará a esperança dos necessitados.

19 Levanta-te, Senhor! Não permitas que o mortal triunfe! Julgadas sejam as nações na tua presença.

20 Infunde-lhes terror, Senhor; saibam as nações que não passam de seres humanos. Pausa

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
});

O jesuseabiblia.com tem uma nova Política de Privacidade e Cookies Saiba mais.