Bíblia de Estudo Online Diego Nascimento

Salmos 106 Estudo: Consequências do Pecado e Rebeldia!

No Salmos 106, o Salmista nos apresenta um contraste entre a bondade de Deus e a maldade do ser humano. Ele começa adorando e exaltando ao Senhor, exatamente por sua bondade. O Salmista reconhece que o amor de Deus dura para sempre por isso, nós não somos consumidos.

A bondade de Deus deve ser motivo de louvarmos seu Nome Santo. Ao pensar em tudo o que há de mal no mundo, a bondade de Deus deve nos encher de esperança e alegria.

Em contraste a ela, o Salmista continua falando sobre a maldade humana, especialmente a dos hebreus, após a saída do Egito. O procedimento incrédulo e mal, perdurou por longos quarenta anos, até que toda uma geração foi destruída.

Apesar de toda a maldade e comportamento carnal deles, o Senhor Deus olhou com misericórdia e bondade. Restaurou sua sorte, suas famílias, bens e futuro. Colocou-os na Terra da promessa, derrotando seus inimigos e os fez comer o melhor do que havia ali.

Esboço de Salmos 106:

Salmos 106.1 – 5: Trata-me com bondade

Salmos 106.6 – 43: Pecado e Rebeldia, Consequências! 

Salmos 106.44 – 48: Deus viu o sofrimento

 

Salmos 106.1 – 5: Trata-me com bondade

1 Aleluia! Deem graças ao Senhor porque ele é bom; o seu amor dura para sempre.

2 Quem poderá descrever os feitos poderosos do Senhor, ou declarar todo o louvor que lhe é devido?

3 Como são felizes os que perseveram na retidão, que sempre praticam a justiça!

4 Lembra-te de mim, Senhor, quando tratares com bondade o teu povo; vem em meu auxílio quando o salvares,

5 para que eu possa testemunhar o bem-estar dos teus escolhidos, alegrar-me com a alegria do teu povo, e louvar-te junto com a tua herança.

Salmos 106.6 – 43: Pecado e Rebeldia, Consequências! 

6 Pecamos como os nossos antepassados; fizemos o mal e fomos rebeldes.

7 No Egito, os nossos antepassados não deram atenção às tuas maravilhas; não se lembraram das muitas manifestações do teu amor leal e rebelaram-se junto ao mar, o mar Vermelho.

8 Contudo, ele os salvou por causa do seu nome, para manifestar o seu poder.

9 Repreendeu o mar Vermelho, e este secou; ele os conduziu pelas profundezas como por um deserto.

10 Salvou-os das mãos daqueles que os odiavam; das mãos dos inimigos os resgatou.

11 As águas cobriram os seus adversários; nenhum deles sobreviveu.

12 Então creram nas suas promessas e a ele cantaram louvores.

13 Mas logo se esqueceram do que ele tinha feito e não esperaram para saber o seu plano.

14 Dominados pela gula no deserto, puseram Deus à prova nas regiões áridas.

15 Deu-lhes o que pediram, mas mandou sobre eles uma doença terrível.

16 No acampamento tiveram inveja de Moisés e de Arão, daquele que fora consagrado ao Senhor.

17 A terra abriu-se, engoliu Datã e sepultou o grupo de Abirão;

18 fogo surgiu entre os seus seguidores; as chamas consumiram os ímpios.

19 Em Horebe fizeram um bezerro, adoraram um ídolo de metal.

20 Trocaram a Glória deles pela imagem de um boi que come capim.

21 Esqueceram-se de Deus, seu Salvador, que fizera coisas grandiosas no Egito,

22 maravilhas na terra de Cam e feitos temíveis junto ao mar Vermelho.

23 Por isso, ele ameaçou destruí-los; mas Moisés, seu escolhido, intercedeu diante dele, para evitar que a sua ira os destruísse.

24 Também rejeitaram a terra desejável; não creram na promessa dele.

25 Queixaram-se em suas tendas e não obedeceram ao Senhor.

26 Assim, de mão levantada, ele jurou que os abateria no deserto

27 e dispersaria os seus descendentes entre as nações e os espalharia por outras terras.

28 Sujeitaram-se ao jugo de Baal-Peor e comeram sacrifícios oferecidos a ídolos mortos;

29 provocaram a ira do Senhor com os seus atos, e uma praga irrompeu no meio deles.

30 Mas Finéias se interpôs para executar o juízo, e a praga foi interrompida.

31 Isso lhe foi creditado como um ato de justiça que para sempre será lembrado, por todas as gerações.

32 Provocaram a ira de Deus junto às águas de Meribá; e, por causa deles, Moisés foi castigado;

33 rebelaram-se contra o Espírito de Deus, e Moisés falou sem refletir.

34 Eles não destruíram os povos, como o Senhor tinha ordenado,

35 em vez disso, misturaram-se com as nações e imitaram as suas práticas.

36 Prestaram culto aos seus ídolos, que se tornaram uma armadilha para eles.

37 Sacrificaram seus filhos e suas filhas aos demônios.

38 Derramaram sangue inocente, o sangue de seus filhos e filhas sacrificados aos ídolos de Canaã; e a terra foi profanada pelo sangue deles.

39 Tornaram-se impuros pelos seus atos; prostituíram-se por suas ações.

40 Por isso acendeu-se a ira do Senhor contra o seu povo e ele sentiu aversão por sua herança.

41 Entregou-os nas mãos das nações, e os seus adversários dominaram sobre eles.

42 Os seus inimigos os oprimiram e os subjugaram com o seu poder.

43 Ele os libertou muitas vezes, embora eles persistissem em seus planos de rebelião e afundassem em sua maldade.

Salmos 106.44 – 48: Deus viu o sofrimento

44 Mas Deus atentou para o sofrimento deles quando ouviu o seu clamor.

45 Lembrou-se da sua aliança com eles, e arrependeu-se, por causa do seu imenso amor leal.

46 Fez com que os seus captores tivessem misericórdia deles.

47 Salva-nos, Senhor, nosso Deus! Ajunta-nos dentre as nações, para que demos graças ao teu santo nome e façamos do teu louvor a nossa glória.

48 Bendito seja o Senhor, o Deus de Israel, por toda a eternidade. Que todo o povo diga: “Amém!” Aleluia! QUINTO LIVRO

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.