No Salmos 14, o salmista Davi apresenta grande espanto com a corrupção produzida pelo pecado. As palavras do tolo lhe marcam: “Deus não existe”.

Ele fica chocado!

Como alguém pode dizer que Deus não existe?

Pois é, isso fruto da corrupção generalizada. O pecado se alastrou e Deus não enxerga justiça na Terra. “Todos se desviaram, igualmente se corromperam; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer”.

A consolação do Salmista é perceber que Deus está entre os justos, ou seja, ele atua, opera, intercede, entre eles.

Hoje os que creem em Jesus Cristo como Senhor e Salvador, são justificados por seu sangue e sua graça (Ver Estudo Bíblico Sobre Salvação). Por isso, podemos viver com confiança e cheios de alegria em sua presença. No seu Santo Templo.

Esboço de Salmos 14:

14.1: O pensamento do tolo

14.2 – 4: Corrupção generalizada

14.5 – 7: Deus entre os justos

 

Salmos 14.1: O pensamento do tolo

1 Diz o tolo em seu coração: “Deus não existe”. Corromperam-se e cometeram atos detestáveis; não há ninguém que faça o bem.

Salmos 14.2 – 4: Corrupção generalizada

2 O Senhor olha dos céus para os filhos dos homens, para ver se há alguém que tenha entendimento, alguém que busque a Deus.

3 Todos se desviaram, igualmente se corromperam; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer.

4 Será que nenhum dos malfeitores aprende? Eles devoram o meu povo como quem come pão, e não clamam pelo Senhor!

Salmos 14.5 – 7: Deus entre os justos

5 Olhem! Estão tomados de pavor! Pois Deus está presente no meio dos justos.

6 Vocês, malfeitores, frustram os planos dos pobres, mas o refúgio deles é o Senhor.

7 Ah, se de Sião viesse a salvação para Israel! Quando o Senhor restaurar o seu povo, Jacó exultará! Israel se regozijará!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here