Bíblia de Estudo Online

Tito 2 Estudo: Como Ensinar e Se Comportar

Em Tito 2, Paulo dá prosseguimento às instruções de Tito 1. No entanto, agora ele vai dizer especificamente, como o jovem pastor Tito deve lidar com cada parte da congregação e qual deve ser o seu comportamento e ensino.

Tito 2. 1 – 6: O que Tito deve ensinar

Tito não devia aventurar-se em novos ensinos. Paulo o exorta, mais uma vez a apegar-se a sã doutrina.

A partir disso, seu ensino devia ser ministrado a todas as faixas etárias da Igreja. Anciãos, mulheres, jovens, Tito devia instruir a todos tendo as Escrituras como fundamento.

Tito 2. 7 – 10: Tito deve ser um exemplo em tudo

Tito não devia ser um hipócrita. Antes de ministrar a outros, ele mesmo devia ser um exemplo de comportamento, boas obras e ensino.

Sua linguagem não devia ser obscena, pejorativa ou discriminatória. Pelo contrário, ele devia mostrar seriedade e dedicação no falar.

Seu ensino devia conduzir pessoas ao bom testemunho de Jesus. Até mesmo escravos, debaixo de julgo e vergonha, eram instruídos a dar exemplo de cristão aos seus senhores.

É um grande exemplo para os nossos dias. Muitos cristãos não gostam de seu trabalho. Isso faz com que tenham mal comportamento diante dos companheiros. Não é o que a bíblia ensina.

Se há insatisfação, ore a Deus e peça que ele abra outras portas, mas não manche o bom nome de Jesus Cristo, com mal comportamento.

Tito 2.11-15: A graça de Deus e a esperança em Jesus Cristo

Paulo diz a Tito, que o motivo para tais atitude é a manifestação da graça de Deus que deseja salvar a todos. Além disso, a graça de Deus nos conduz a renúncia do pecado.

Isso se dá, pelo fato de que o remido aguarda ansiosamente a manifestação de Jesus. Paulo dá então, um destaque ao maravilhoso sacrifício de Jesus na Cruz, ele nos comprou com seu sangue para sermos dedicados a boas obras. É sobre isso que Tito deve falar.

 

A Manifestação da Graça de Deus

“Porque a graça salvadora de Deus se há manifestado a todos os homens”. (Tito 2.11)

Da natureza e plano do evangelho. Jovens e velhos, homens e mulheres, senhores e servos, o próprio Tito, todas as diferentes classes de pessoas, devem realizar seus respectivos deveres, porque esse é o alvo e a tarefa do cristianismo.

Instruir, ajudar e formar pessoas, sob todo tipo de distinções e relacionamentos, para uma forma e conduta corretas.

Eles são colocados sob a dispensação da graça de Deus – assim se chama o evangelho (Efésios 3.2). E graça em relação ao surgimento dela – o livre favor e boa vontade de Deus, não o merecimento na criatura.

É a manifestação e a declaração dessa boa vontade de maneira eminente e marcante; e como é o meio de transmitir e trabalhar a graça nos corações dos crentes.

A graça compele à bondade: “Não reine o pecado, mas apresentai-vos a Deus, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça” (Romanos 6.12-14).

“Porque o amor de Cristo nos constrange” a não vivermos para nós mesmos, mas para Ele (2 Coríntios 5.14,15). Sem esse efeito, a graça é recebida em vão.

A Graça Produz Salvação

Essa graça do evangelho traz salvação (revela-a e a oferece aos pecadores e a assegura aos crentes) – salvação do pecado e da ira, da morte e do inferno.

Por isso ela é chamada de Palavra da vida. Ela leva à fé, e assim para a vida, a vida de santidade agora e da felicidade no futuro. A lei é a ministração da morte, mas o evangelho é a ministração de vida e paz.

Isso, portanto, deve ser recebido como salvação (suas regras e mandamentos obedecidos), para que se obtenha seu objetivo final, ou seja, a salvação da alma.

Aqueles que negligenciam essa graça de Deus que traz salvação agora serão mais indesculpáveis, uma vez que “…se há manifestado”, ou brilhado mais clara e distintamente do que em qualquer outra época.

Indesculpáveis

A antiga dispensação era comparativamente escura e sombria. Essa é uma luz clara e brilhante; e ela é mais brilhante agora, mais dispersa e ampla.

Ela apareceu “…a todos os homens”’, não somente aos judeus, da maneira que a glória de Deus aparecia no monte Sinai a esse povo exclusivo, mas invisível para todos os outros.

Mas a graça do evangelho está aberta a todos, e todos são convidados para vir e participar do benefício dela, gentios e judeus. A proclamação dela é livre e geral.

“Fazei discípulos de todas as nações”. “Pregai o evangelho a toda criatura”. O muro de separação foi derribado.

Esse muro já não existe, “…a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério que desde tempos eternos esteve oculto.

Mas que se manifestou agora e se notificou pelas Escrituras dos profetas, segundo o mandamento do Deus eterno, a todas as nações para obediência da fé” (Rm 16.25,26).

A doutrina da graça e salvação pelo evangelho é para todas as classes de pessoas (escravos e servos, bem como senhores), por essa razão todos devem empenhar-se e ser encorajados a recebê-la e crer nela, e a andar de acordo com ela, ornando-a em tudo. (Henry, Matthew, Comentário de Atos a Apocalipse)

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.