marca_final-01

A Idolatria Disfarçada e os SEUS MALES

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Nós, cristãos reformados falamos muito sobre a idolatria visível. Sobre pegarmos um objeto ou uma pessoa e nos curvarmos a ele ou transformá-lo em alguma divindade na nossa vida. Mas e a idolatria disfarçada?

Mas, muitos de nós estamos sendo idólatras de objetos, de sistemas, muitas vezes até sem perceber.  Porém, lembrem que o Senhor Jesus nos chamou para Liberdade em todos os sentidos. 

Cuidado, seu Deus pode ser outro

“4 milhões de pessoas tem pelo menos um Smartphone e o tira do bolso mais de duzentas vezes por dia. Isso está fazendo as empresas de tecnologia aplicar estratégias de manipulação comportamental para tornar o celular o objeto mais viciante da história”. 

Muitos de nós estamos idolatrando os nossos smartphones, vivendo de forma escrava, como se ele fosse o nosso senhor. Sendo essa, uma forma de idolatria disfarçada.

Nesse artigo, veremos alguns hábitos que a sociedade moderna está desenvolvendo que provam, que inclusive muitos cristãos estão vivendo como idólatras de si mesmo, do estilo de vida, de objetos e das coisas. 

1. Não há espaço para dois (MATEUS 6:24) 

Conforme mostra Mateus capítulo 6:24 precisamos saber que não existe espaço para dois deuses na nossa vida. Só é possível ter relacionamento com Deus se Ele for soberano em nossa vida.

A todo momento o diabo vai estar nos cercando para de alguma forma nos escravizar ao seu sistema de pecado e fazer com que mesmo estando em Cristo estejamos outra vez debaixo do seu jugo.

Mas, vejam o que disse Calvino: “a mente do homem é comum depósito de idolatria e superstição; de modo que, se o homem confiar em sua própria mente, é certo que ele abandonará a Deus inventará um ídolo, segundo sua própria razão”. 

Temos visto isso ao longo do tempo.

Geração passa, uma outra geração surge e os ídolos da humanidade vão mudando, tomando outras formas. Um ídolo após o outro, a humanidade tem construído para si.

Não podemos servir a Deus e a idolatria disfarçada deste mundo. 

Há muitas pessoas, que mesmo sendo cristãos não tem problema em ser escravo do dinheiro ou de uma rotina excruciante, cheio de tantas coisas. 

Mas é escravo do seu Smartphone, das suas emoções, dos seus sentimentos, das coisas que o cercam. 

De forma que, se as as coisas estão bem, então ele está bem. Mas, se as coisas não estão bem, então ele não está bem. 

Eu e você fomos chamados para viver em Cristo uma vida superior. O apóstolo Paulo falando sobre isso ele diz “porque essa leve e momentânea tribulação produzirá em nós um eterno peso de Glória” (2 Coríntios 4.17,18)

Isso nos mostra que Paulo não era escravo de suas emoções. 

Quero deixar claro que você não pode servir a dois senhores. Sendo assim, qualquer outra coisa que venha roubar a soberania de Deus na minha vida deve ser rejeitada: sejam minhas emoções, relacionamentos, finanças, enfim. 

O Senhor nos chamou para servirmos a Ele, de forma que o nosso coração pertence a Ele!

2. Seus hábitos revelam seu Deus (Romanos 6:16) 

O seu estilo de vida, decisões e comportamentos no estresse dirão quem é o seu Deus. 

Há pessoas que estão completamente movidas por aquilo que sentem. Você já parou para pensar quem é seu senhor em momentos de estresse? O Espírito Santo ou as suas emoções? 

Sobre isso, em Mateus capítulo 5, 6 e 7 (Sermão da Montanha) Ele nos exortou da seguinte forma: “se lhe ferir na face direita ofereça a esquerda, se alguém chamar você para andar com ele uma milha ande duas”. 

Através deste ensinamento Ele nos mostra que devemos ter domínio sobre suas emoções. Nos dias maus que estamos vivendo, precisamos de muito domínio próprio e discernimento. Precisamos ser intencionais em viver o evangelho. 

Quero lhe propor um desafio: Nesse momento se eu e você fizermos uma autoanálise na nossa vida, Quem será soberano? Quem vai ser o Senhor sobre a nossa vida? 

Uma pesquisa feita pela Techmark Consultoria revelou que: “4 bilhões de pessoas, ou 51,9% da população global tem um celular, de acordo com uma estimativa da empresa sueca Ericsson. E o pegam em média 221 vezes por dia”.

Com isso quero mostrar que os nossos hábitos,  nosso estilo de vida, o tempo que nós investimos nas coisas, vai revelar quem é o nosso Deus. 

E, a humanidade nos nossos dias tem um novo senhor: o smartphone, o entretenimento, as mídias sociais, a vida digital. Tudo isso como uma forma de idolatria disfarçada. 

Mas, não precisamos viver como escravos das “coisas”. O Senhor Jesus nos chamou para liberdade.  

Há pessoas que estão transformando ensinamentos de filmes/séries em seu estilo de vida, vivendo como vive o incrédulo. E, se esquecem de que “a quem você se oferece, a quem você oferece a sua obediência esse é o seu senhor” ( Romanos 6:16).

O ser humano busca Ídolos a todo momento!

“Alguns anos atrás cerca de 30 a 40% da população, dependendo do país, fumava. O cigarro foi, em termos absolutos, a coisa mais viciante que a humanidade já inventou. Hoje, ele é tratado com repúdio, e  com razão algo que era difícil de imaginar que acontecesse. Nos dias de hoje olhamos para trás e nos surpreendemos ao perceber como as pessoas se deixavam escravizar aos milhões por algo tão nocivo”.

Com isso, percebemos que criamos um ídolo, e hoje, aquele ídolo não serve mais. Então vem um outro ídolo, o tempo vai passar e vamos criando novos ídolos e esses ídolos vão nos matando. 

Foi exatamente o que o povo, sob a tutela de Arão, fez quando Moisés  sobe ao monte e começa a demorar. O povo ergueu um bezerro de ouro, pois queriam algo visível para adorar (Êxodo 32). 

Eles queriam que suas sensações fossem satisfeitas por meio daquilo que eles estavam vendo. É o que acontece conosco: antes era o cigarro, hoje é o smartphone e os nosso desejos. 

Nosso foco, nosso coração, precisa estar consagrado ao Senhor nosso Deus. 

3. Purifique suas mãos (Tiago 4:8) 

Tiago, no capítulo 4 versículo 8 nos exorta a nos aproximarmos de Deus e nos limpar. 

Estamos vivendo em dias onde o diabo está fazendo de tudo para nos distrair por meio da idolatria disfarçada.  Ele é expert em nos distrair, pois lida com o ser humano desde a criação. Então, ele sabe o que cada geração quer e o que é preciso para distraí-la.

Nos nossos dias ele colocou a distração na palma da nossa mão.

Porém, a Bíblia nos aponta uma das maiores curas para o ser humano: o arrependimento. Não importa qual seja a situação, a Bíblia sempre vai nos convidar ao arrependimento. 

No texto supracitado, Tiago apresenta o remédio para os nossos sofrimentos e problemas: “aproxime-se de Deus pecador, purifique suas mãos e o seu coração e ele se aproximará de você”. 

Uma empresa de pesquisa revelou “o número de toques diários no aparelho de celular é ainda mais impressionante: são 2600 toques por dia. O smartphone já vicia mais gente e de forma mais intensa do que o cigarro”.

Perceba como o diabo é astuto!

O altar da nossa vida deve ser de adoração ao Senhor nosso Deus, por isso purifiquem as mão pecadores, aproximem-se de Deus  e ao invés de 2.600 toques no celular por dia, junte suas as mãos em oração, toquem a palavra de Deus e se arrependam. 

4. Deus nos criou para a liberdade (1 Coríntios 7:23) 

Em 1 Coríntios 7:23 o apóstolo Paulo afirma que fomos comprados por um alto preço – O Sangue de Jesus – e que por isso não podemos e não devemos nos tornar escravos dos homens. 

Quando percebemos nosso valor em Cristo todos os rótulos do mundo se tornam inúteis. 

Enquanto o Senhor ministrava essa palavra ao meu coração, eu pensava sobre o equilíbrio.

A nossa oração deve ser que este objeto (smartphone) não uma espécie de idolatria disfarçada sobre a nossa vida, mas que a palavra de Deus seja senhor absoluto. 

Essa palavra deve estar sobre qualquer coisa na nossa vida, sobre qualquer âmbito. Ou seja, eu e você precisamos administrar para que a nossa vida pertença ao Senhor em todos os aspectos. 

É impressionante como a todo momento alguém quer fazer de nós um escravo (pessoas, ambientes, relacionamentos, entre outras coisas). Mas, que o Espírito Santo nos ajude para que possamos continuar livres em Cristo.

Karl Barth diz o seguinte: “Um cristão é senhor livre sobre todas as coisas e não está sujeito a ninguém. Um cristão é um servo prestativo de todas as coisas e sujeito a qualquer um”.

Isso quer dizer que somos escravos de Cristo, mas estamos dispostos a servir a Jesus e as pessoas. Mas, não nos tornamos escravos de coisas, sistemas ou qualquer outra coisa que nos afasta de Cristo. 

Seja escravo de Cristo e submeta toda a sua vida ao senhor Deus! 

SONY DSC

Sobre o Autor

Instagram:@diegonascimento316

YouTube: Canal do Jesus e a Bíblia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Jesus e a Bíblia © 2020. Todos os direitos reservados.

});