Estudo Bíblico Sobre a Benção de Deus: Como Receber? (REVELADO)

A benção de Deus é o objeto de desejo de todo cristão, mas parece que poucos de nós tem desfrutado dos benefícios dessa promessa. Há muito mito em torno do assunto, mas é muito importante entender e crer que a benção de Deus está disponível para todos os seus filhos.

Neste estudo bíblico, eu quero analisar com você a benção de Deus de maneira objetiva e prática, de forma que as informações sejam úteis para o seu dia-a-dia.

Combinado?

ENTÃO “BORA!”

O Que é Uma Bênção na Bíblia?

A palavra bênção tem sua raiz na palavra hebraica B ̂erakah e significa: benção, fonte de bênção, prosperidade, louvor de Deus, um dom, presente, acordo de paz.

Na Bíblia, vemos que há diversas referências da bênção de Deus:

(a). Bênção de Deus aos seres criados: Ge 1:22,28*; 9:1*; 12:2–3*; Êx 20:11; 23:25; Dt 11:26–28; Sl 5:12; 29:11; 115:12–13.

(b). Bênção sacerdotal: Nm 6:22–27.

(c). Bênção dos pais aos filhos: Gn 27; 48; 49.

No Novo Testamento:

(a). Bênção de Deus ou de Cristo às pessoas: Mt 25:34; Lc 1:42; 24:50; At 3:25–26; Ef 1:3.

(b). Bênção sobre os alimentos: Mt 14:19*; 26:26; 1Co 10:16.

(c). Desejo de bem para outras pessoas: Lc 6:28; Rm 12:14; 1Co 4:12; Hb 7:1,6–7; 11:20–21. (1)

Ou seja, ao abençoar algo, o Senhor Deus estabelece que ali haverá crescimento, prosperidade e paz. Além disso, algo que o Senhor abençoa é como uma fonte, serve para saciar necessidades de muitas pessoas.

Ao abençoar algo, o Senhor Deus garante que isto será fonte de alegria para muita gente.

O Que é Ser Abençoado Por Deus?

Prestem atenção! Hoje estou pondo diante de vocês a bênção e a maldição. Vocês terão bênção, se obedecerem aos mandamentos do Senhor, o seu Deus, que hoje lhes estou dando; mas terão maldição, se desobedecerem aos mandamentos do Senhor, o seu Deus, e se afastarem do caminho que hoje lhes ordeno, para seguir deuses desconhecidos. (Deuteronômio 11:26-28)

O contexto dessa passagem é importante, pois serve como conclusão para a parte precedente do discurso, pois coloca a audiência em face de uma decisão que logo terá de ser tomada. Hoje coloco diante de vocês uma bênção e uma maldição – as alternativas serão postas diante do povo como bases para a decisão.

Bênção e maldição, contudo, dependem da obediência à lei, que está prestes a ser apresentada ao povo com detalhadas especificações. Assim, a passagem serve não apenas como conclusão da parte anterior do discurso, mas também como introdução para a parte seguinte. Isso coloca os capítulos posteriores dentro de sua perspectiva própria e imediata.

A estrutura dentro da qual é colocada a apresentação detalhada pode ser vista no seguinte esboço:

    (a) A bênção e a maldição na presente renovação da aliança (11.26–28).

    (b) A bênção e a maldição na futura renovação da aliança (11.29–32).

    (c) A legislação específica (12.1–26.19).

    (d) A bênção e a maldição na futura renovação da aliança (27.1–26).

    (e) A bênção e a maldição na presente renovação da aliança (28.1–29.1).

Assim, pode ser visto que a legislação específica é colocada em uma estrutura, enfatizando a importância da bênção e da maldição que dependem da obediência à lei tanto no presente quanto no futuro.

Os versículos de 26–28, de Deuteronômio 11, nos mostra que a natureza dos mandamentos surge de maneira marcante no versículo 28: se desobedecerem aos mandamentos do Senhor, o seu Deus, e se afastarem do caminho… Outra vez fica bem claro que os mandamentos não compunham uma peça de legislação a ser obedecida em função de si mesma.

Os mandamentos refletiam um estilo de vida, a boa vida que Deus determinou para seu povo. Portanto, desobedecer (ou não ouvir) os mandamentos era afastar-se do único caminho que poderia conduzir à felicidade e à prosperidade no relacionamento com Deus e tomar um caminho falso que só poderia levar à separação de Deus e ao desastre.

Desse modo, na seguinte exposição dos detalhes da lei, o papel de Moisés não era o de um grande legislador ou jurista, mas o de um homem profundamente preocupado com que o povo que tinha sob seus cuidados entrasse na plenitude da vida que estava potencialmente contida no relacionamento pactual com Deus. (2)

Como Receber Uma Benção de Deus?

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo. (Efésios 1:3)

Paulo afirmou que Deus (Seu Nome) deve ser abençoado ou elogiado. A palavra para louvor é eulogētos, de um verbo que significa “falar bem”. No Novo Testamento aplica-se somente a Deus (Marcos 14:61; Lucas 1:68; Romanos 1:25; 9: 5; 2 Co 1: 3; 11:31; 1 Pedro 1: 3), enquanto que na Septuaginta às vezes é aplicado ao homem (Gn 26:29; Dt 7:14; Rute 2:20). O louvor deve ser dado ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.

Em Efésios 1: 2 Deus é o Pai dos crentes; aqui no verso 3 Deus é o Pai de Cristo (cf. v. 17; cf. palavras semelhantes em Rm 15: 6; 2 Co 1: 3; 1 Pedro 1: 3). Em Efésios 1: 2 a primeira Pessoa da Trindade pertence aos crentes, sugerida pela palavra “nosso”.

Aqui no versículo 3 o pronome “nosso” mostra que os crentes pertencem a Cristo, a segunda Pessoa da Divindade. Já que Ele é o Filho de Deus e os crentes estão conectados com Ele, eles também estão relacionados ao Pai.

Este Deus que deve ser louvado é Aquele que nos abençoou.

Esta é uma forma verbal (ho eulogēsas) do adjetivo “louvor” (eulogētos), no começo do verso. O verbo significa “falar bem, elogiar, exaltar”; aqui significa “beneficiar, prosperar”. Essa palavra não é usada na literatura grega clássica.

Por exemplo, não se diz que Zeus tenha concedido qualquer ato específico de bênção a ninguém. Pelo contrário, dizem que ele causou boa sorte. No entanto, o verbo eulogeō é usado mais de 400 vezes no Antigo Testamento, indicando que Deus concede benefícios a Seus filhos em todas as épocas. Dizia-se que Maria era “abençoada” entre as mulheres e estava tendo o “bem-aventurado” filho (Lucas 1:42).

O uso de Paulo do particípio do tempo passado “abençoou” aponta para essa bênção ou prosperidade dos crentes como tendo ocorrido na eternidade passada.

Com o que os crentes são abençoados?

Com cada bênção espiritual (na Gr .: esta frase precede as palavras “nos reinos celestes”). “Toda bênção espiritual” (eulogia) refere-se a todo enriquecimento espiritual necessário para a vida espiritual.

Uma vez que esses benefícios já foram concedidos aos crentes, eles não devem pedi-los, mas, antes, apropria-los pela fé. Da mesma forma, Josué não deveria pedir terras, pois Deus já havia prometido a ele (Josué 1: 3-4). Mas ele deveria entrar no gozo dessa provisão.

A maneira ou esfera deste enriquecimento está em Cristo. O lugar dessas “bênçãos” está nos reinos celestes, em oposição ao reino terreno da deusa eféssia Ártemis. Assim, essas bênçãos são espirituais, não materiais, celestiais, não terrenas, eternas, não temporais (2Co 4:18; Colossenses 3: 1-4). Cinco vezes Paulo usou a frase “nos reinos celestes”: em Efésios 1: 3, 20; 2: 6; 3:10; 6:12.

Efésios 1: 3 fala muito sobre as bênçãos de Deus sobre os crentes:

(a) quando: eternidade passada;

(b) com o que: todas as bênçãos espirituais;

(c) onde: nos reinos celestiais;

(d) como: em Cristo. (3)

Como Tomar Posse da Benção de Deus

Ou seja, para receber uma benção de Deus, você só precisa crer e tomar posse, porque tudo o que necessitamos já nos foi dado em Cristo.

Imagine o seguinte, um grande estoque de benção nos céus. E eu e você somos filhos de Deus, daí todas as vezes que você precisa de algo você ora ao Senhor e crê que já recebeu.

Imediatamente, as portas deste grande celeiro são abertas e o que você precisa, enviado para você. É só uma questão de tempo até que você receba a benção de Deus específica.

Já no meu caso, mesmo sendo filho, toda vez que eu preciso de uma benção especifica de Deus, fico em dúvida, penso que não sou merecedor, me pergunto se Deus quer realmente me abençoar, enfim. Sou inseguro.

Com relação a isso, está escrito:

Peça-a, porém, com fé, sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá coisa alguma do Senhor; é alguém que tem mente dividida e é instável em tudo o que faz. (Tiago 1:6-8)

Tiago nos diz qual o “segredo” para receber a benção de Deus. CRER!

Então, sempre que precisar de algo ore com confiança. O Senhor já abençoou você com tudo o que precisa, em Cristo.

Conclusão

A benção de Deus é derramada sem medida sobre nós em Cristo Jesus. Se entendermos que em Cristo já recebemos tudo o que precisamos e o que nos resta é tomar posse, pela fé, receberemos de Deus muito mais do que temos recebido.

Não permita que a incredulidade ou desconfiança o impeça, bloquei sua entrada a este caminho. Servimos a um Deus bondoso e fiel, generoso e amoroso. Confie que Ele quer te abençoar. Porque Ele quer, AGORA MESMO!

Referências:

  1. Sociedade Bíblica do Brasil. (2002). Bíblia de Estudo Almeida Revista e Corrigida. Sociedade Bíblica do Brasil.
  2. Craigie, P. C. (2013). Deuteronômio. (C. A. B. Marra, Org., W. M. Gomes, Trad.) (1a edição, p. 207–208). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.
  3. Hoehner, H. W. (1985). Efésios Em J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), O Comentário do Conhecimento da Bíblia: Uma Exposição das Escrituras (Vol. 2, p. 615-616). Wheaton, IL: Victor Books.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here