Estudo Bíblico Sobre a Mulher Sábia e Sua Importância

A mulher sábia, assim como a mulher virtuosa são exemplos das mulheres ideais. Isto é, quem as encontrar deve mantê-las por perto, pois sua companhia agrega valor a todos os sentidos da vida.

Os homens de Deus não devem se encantar por mulheres vulgares ou estúpidas. As mulheres que devem ter o respeito e admiração da Igreja, são as mulheres sábias, que temem a Deus e edificam seus lares com seu comportamento diferenciado.

Neste estudo bíblico, quero analisar com você as virtudes dessa mulher e fazer um paralelo com as mulheres tolas, que não temem a Deus.

Se LIGA NO ASSUNTO E VAMO!

A Mulher Sábia Edifica

Além de sua semelhança com a mulher virtuosa, a mulher sabia também é delimitada pelas referências à esposa ideal (veja 11.16, 22; 12.4) e por uma admoestação implícita a abraçar a sabedoria por meio dessa esposa (veja 12.4), tornando-o, portanto, um provérbio educativo.

Provérbios 31.10–31 exemplifica de que maneira uma mulher sábia edifica a sua casa e liga sua sabedoria ao temor do SENHOR (veja 14.2; 31.30). Mais uma vez o provérbio volta a atenção do filho para a importância de se ter uma boa esposa (Provérbios 14:1)

Seus paralelos contrastam a prosperidade crescente da casa da esposa sábia com a destruição da casa da mulher insensata. Quanto às sábias, Elas contribuem e regulam o bem-estar material e espiritual da casa, assim como a mulher virtuosa.

Em sua casa (bêtāh) se refere a uma aristocrata construindo sua casa; aqui designa a solidariedade da mulher com a comunidade e a propriedade ligada à sua “casa” (3.33).

A Mulher Insensata

Mas uma mulher insensata é uma antítese clara à mulher sábia, tanto em número quanto em sentido. O plural pode sugerir que os sábios vivem em comunidade e produzem muitas casas excelentes para viverem na terra, mas a mulher intratável e moralmente estulta (veja 5.23) vive sozinha, e no fim do dia a sua casa não existe mais (Veja Provérbios 9.13–18).

Com as próprias mãos (beyādêhā; veja Provérbios 1.24) ressalta que a destruição da sua família e propriedade se deve à sua própria incompetência (i.e., sua arrogância, incorrigibilidade, discurso destrutivo, irritabilidade e falta de domínio próprio).

A figura lança por terra (tehersennû), um paralelo antitético comum para “construir” (Jó 12.14; Sl 28.5; Jr 24.6; 42.10; Ez 36.36; Ml 1.4), significa “arruinar”, “destruir”.

Isto pode se referir à casa da mulher sábia, pois é de se duvidar que uma mulher insensata seria capaz de edificar uma casa, para começar (cp. 9.13–18), mas o provérbio pode pressupor que ela destrói a casa que porventura a tenha recebido pela graça comum de Deus ou, mais provavelmente, antes de apostatar (veja 2.17).

Uma boa esposa não é uma questão insignificante, pois ela edifica ou destrói o marido (12.4) e a casa. A lei permitia que o homem se divorciasse de uma mulher lasciva (Dt 24.1), pois sem uma esposa sábia, dificilmente é possível ter um lar piedoso. “Era comum os rabinos identificarem a casa com a dona da casa (Yoma 2a).”

Rute 4.11 fala de construir uma família gerando filhos, mas a antítese “lança por terra” sugere que não é esse o conceito em questão aqui. Provérbios toma por certo a geração de filhos e se preocupa com a educação deles (veja 1.8; 31.26).

Provérbios 24.3 apresenta uma verdade semelhante a 14.1a, mas associada à sabedoria como um instrumento, referindo-se possivelmente a um artesão, não a mulheres sábias.

Conclusão

Mulheres sábias possuem famílias sadias. A maneira como ela equilibra os conflitos, aconselha, apoia e ajuda seu marido, e como conforta e educa seus filhos dão à sua casa o status de lar.

Ela não vive em confusão com os outros membros da família, nem depende deles para sobreviver. O Temor a Deus e a dependência a Ele, fazem com que haja paz em todos as partes de sua vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here