Estudos Bíblicos

Estudo Bíblico Sobre Comunhão Entre os Irmãos: 4 Pontos Que Devem Ser Observados

A comunhão entre os irmãos em Cristo é algo prioritário para o Senhor Jesus Cristo. Veremos ao longo desse estudo como ele trabalha para que a Igreja permaneça unida.

Somos um só corpo. Ao entender como ele funciona e qual a nossa função no Reino, seremos mais produtivos e contribuiremos ainda mais para a comunhão da Igreja.

Comunhão com os Irmãos: Versículo Bíblico

Se, porém, andamos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. (1 João 1:7)

A graça e o amor de Deus, juntamente com o Espírito Santo são os produtores de comunhão entre os irmãos. O apóstolo João diz que a comunhão entre os irmãos em Cristo é uma consequência natural da redenção.

A morte de Jesus na Cruz  lavou os nossos pecados e nos tornou irmãos. Ao longo de seu ministério o Senhor Jesus sempre ensinou  que nós devíamos ser com um só, unidos.

Na verdade, Ele deixou um novo mandamento:

Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. (João 13:34,35)

A comunhão entre os irmãos é tão poderosa que pessoas crerão em Jesus apenas por observar o nosso amor de uns para com os outros. Que mensagem profunda!

Comunhão Entre os Irmãos: A Igreja

Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações. (Atos 2:42)

A comunhão entre os irmãos na Igreja é fruto de dedicação. Os irmãos da igreja primitiva dão prova disso.

Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos. Ou seja, eram submissos a autoridade deles. Isso com certeza contribuía e muito para que a comunhão entre os irmãos fosse fortalecida.

Insubmissos e insurgentes afetam muito a saúde da Igreja no que se refere ao relacionamento. Normalmente estão envolvidos em fofocas e grupos contra o pastor.

Não faça isso! Não participe de grupos contra o pastor, mesmo que ele esteja errado. O pastor é uma autoridade instituída por Deus e apenas Deus pode tratar com ele.

Não ofenda. Não menospreze. Não fale mal dele para ninguém. Apenas ore e se for necessário mude de congregação. Mas não se levante contra ele.

Ao se submeter ao ensino dos apóstolos, os cristãos do primeiro século se dedicavam a comunhão.

Havia esforço para amar, compreender, ajudar. Comunhão entre os irmãos é algo que exige foco, dedicação e instrução.

Os ensinamentos de Jesus abordam muitas vezes esse tema. Isso prova que esse era um desejo profundo do seu coração.

“Eu neles e tu em mim. Que eles sejam levados à plena unidade, para que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste como igualmente me amaste”. (João 17:23)

Comunhão Com os Irmãos em Cristo

Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham comunhão conosco. Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo. (1 João 1:3)

A comunhão entre os irmãos em Cristo é uma consequência daquilo que a Igreja aprende sobre Deus.

Ao ser ensinada de forma sadia, a Palavra de Deus produz comunhão. O apóstolo João diz isso. Eles anunciaram o que viram e ouviram com o objetivo de que os crentes se tornassem participantes da comunhão com Deus e com eles mesmo.

O principal elemento de comunhão entre os irmãos não deve ser os encontros em lanchonetes, pizzarias, restaurantes, shoppings ou viagens.

O único elemento capaz de promover comunhão sadia na Igreja é o ensino da Palavra de Deus de forma sadia e sincera, por parte de quem a lidera.

Comunhão entre os Irmãos e a Comunhão com Deus

Fiel é Deus, o qual os chamou à comunhão com seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor. (1 Coríntios 1:9)

A comunhão entre os irmãos é uma das prioridades do Senhor Deus para a Igreja. É parte do plano dele para a convivência dos cidadãos do Reino.

O apóstolo Paulo recebeu a revelação de que Deus nos chamou para a comunhão com o seu Filho Jesus. O qual, por sua vez nos chama a comunhão com o Pai, com o Espirito Santo e de uns com os outros.

Ou seja, a comunhão entre os irmãos é algo extremamente valioso para a nossa espiritualidade.

O próprio Paulo nos aconselha:

“Evite, porém, controvérsias tolas, genealogias, discussões e contendas a respeito da lei, porque essas coisas são inúteis e sem valor”. (Tito 3:9)

“Quero, pois, que os homens orem em todo lugar, levantando mãos santas, sem ira e sem discussões”. (1 Timóteo 2:8)

Embora tenhamos opiniões diferentes sobre determinados assuntos no Reino de Deus, somos aconselhados a não nos deixar levar por discussões que não serão produtivas, a fim de mantermos a comunhão comprada por Jesus na cruz do Calvário.

Conclusão

A comunhão entre os irmãos é o objetivo de Deus para os crentes em Jesus Cristo. Os ensinamentos e a morte de Jesus garantem isso.

Para que uma igreja viva em comunhão é necessário que há já um ensino constante e sadio da Palavra de Deus, pois é ela que produz esse relacionamento.

E então, qual a sua opinião sobre o assunto? Quer acrescentar algo? Deixe seu comentário. Compartilhe com seus familiares e amigos e INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE.

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, estudante de Teologia e Administração. Seu amor por Jesus o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

2 Comentários

  1. MARIA AUDENES NOGUEIRA DE ALENCAR MENDES disse:

    MUITO BOM SUAS REFLEXÕES BIBLÍCAS

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.