A comunhão entre os irmãos em Cristo é algo prioritário para o Senhor Jesus. Veremos ao longo desse estudo como ele trabalha para que a Igreja permaneça unida.

Somos um só corpo. Ao entender como ele funciona e qual a nossa função no Reino, seremos mais produtivos e contribuiremos ainda mais para a comunhão da Igreja.

Comunhão com os Irmãos: Versículo Bíblico

Se, porém, andamos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. (1 João 1:7)

A graça e o amor de Deus, juntamente com o Espírito Santo são produtores de comunhão entre os irmãos. O apóstolo João diz que a comunhão é uma consequência natural da redenção. A morte de Jesus na Cruz  lavou os nossos pecados e nos tornou irmãos.

Ao longo de seu ministério o Senhor Jesus sempre ensinou que nós devíamos ser com um só, unidos. Na verdade, Ele deixou um novo mandamento:

Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. (João 13:34,35)

É algo tão poderoso que pessoas crerão em Jesus apenas por observar o nosso amor de uns para com os outros. Que mensagem profunda!

Comunhão Entre os Irmãos: A Igreja

Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações. (Atos 2:42)

A comunhão entre os irmãos na Igreja é fruto de dedicação. Os irmãos da igreja primitiva dão prova disso. Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos. Ou seja, eram submissos a autoridade deles. Isso com certeza contribuía e muito para que a comunhão entre eles fosse fortalecida.

Insubmissos e insurgentes afetam muito a saúde da Igreja no que se refere ao relacionamento. Normalmente estão envolvidos em fofocas e grupos, contra o pastor. Não faça isso!

Não participe de grupos insurgentes contra a liderança, mesmo que ele esteja errado. O pastor é uma autoridade instituída por Deus e apenas ele pode tratar com seu servo.

Não ofenda. Não menospreze. Não fale mal dele para ninguém. Apenas ore e se for necessário mude de congregação. Mas não se levante contra ele. 

Ao se submeter ao ensino dos apóstolos, os cristãos do primeiro século se dedicavam a comunhão. Havia esforço para amar, compreender e ajudar.

Comunhão entre os irmãos é algo que exige foco, dedicação e instrução. Os ensinamentos de Jesus abordam muitas vezes esse tema. Isso prova que esse era um desejo profundo do seu coração.

“Eu neles e tu em mim. Que eles sejam levados à plena unidade, para que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste como igualmente me amaste”. (João 17:23)

Comunhão Com os Irmãos em Cristo

Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham comunhão conosco. Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo. (1 João 1:3)

A comunhão entre os irmãos em Cristo é uma consequência daquilo que a Igreja aprende sobre DeusAo ser ensinada de forma sadia, a Palavra de Deus produz comunhão.

O apóstolo João diz isso. Eles anunciaram o que viram e ouviram com o objetivo de que os crentes se tornassem participantes da comunhão com Deus e com eles mesmo.

O principal elemento de comunhão entre os irmãos não deve ser os encontros em lanchonetes, pizzarias, restaurantes, shoppings ou viagens.

O único elemento capaz de promover comunhão eficaz na Igreja é o ensino da Palavra de Deus de forma sadia e sincera, por parte de quem a lidera.

Comunhão entre os Irmãos e Com Deus

Fiel é Deus, o qual os chamou à comunhão com seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor. (1 Coríntios 1:9)

A comunhão entre os irmãos é uma das prioridades do Senhor Deus para a Igreja. É parte do plano dele para a convivência dos cidadãos do Reino.

O apóstolo Paulo recebeu a revelação de que Deus nos chamou para a comunhão com o seu Filho Jesus. O qual, por sua vez nos chama a comunhão com o Pai, com o Espirito Santo e de uns com os outros. Ou seja, a comunhão entre os irmãos é algo extremamente valioso para a nossa espiritualidade.

O próprio Paulo nos aconselha:

“Evite, porém, controvérsias tolas, genealogias, discussões e contendas a respeito da lei, porque essas coisas são inúteis e sem valor”. (Tito 3:9)

“Quero, pois, que os homens orem em todo lugar, levantando mãos santas, sem ira e sem discussões”. (1 Timóteo 2:8)

Embora tenhamos opiniões diferentes sobre determinados assuntos no Reino de Deus, somos aconselhados a não nos deixar levar por discussões que não serão produtivas, a fim de mantermos a comunhão comprada na cruz do Calvário.

Conclusão

A comunhão entre os irmãos é o objetivo de Deus para os crentes em Jesus. Os ensinamentos e a morte dele garantem isso.

Para que uma igreja viva em comunhão é necessário que há já um ensino constante e sadio da Bíblia Sagrada, pois é ela que produz esse relacionamento.

E então, qual a sua opinião sobre o assunto? Quer acrescentar algo? Deixe seu comentário. E não esqueça de compartilhar este estudo com seus familiares e amigos.

Deus abençoe!

16 COMENTÁRIOS

  1. Prezado irmão Diego Nascimento, foi muito edificante ler esse estudo sobre comunhão entre os irmãos.
    Que Deus continue abençoando sua vida abundantemente.
    Forte abraço na paz do Senhor.

  2. Muito bem colocado o estudo acima.Ultimamente não generalizando mas muitos estão fazendo da casa de DEUS um local de festas, são almoços jantares tantas outras coisas que nem convêm falar. Realmente uma vergonha. A casa de Deus não é outo lugar senão casa de oração e aprendizado da santa Palavra de Deus. Que Deus nos conceda graça e entendimento.

  3. O meu irmão Jackes, Samuel foi entregue por sua mãe Ana, para o Sacerdote Eli. Mesmo Eli sendo um Sacerdote em pecado que não cumpria mas os mandamentos de DEUS, ele ainda era o Sacerdote levantado por DEUS.
    No livro de Samuel 3, lei ele e medite na palavra. O senhor chamou Samuel pelo nome, mas, Samuel não reconheceu a voz de DEUS, foi o Eli, que lhe orientou dizer: Senhor eis me aqui.
    Querido, quando DEUS achou o tempo certo ele levantou Samuel e destituiu a Eli.
    Logo, que institui o destitui e o Senhor.
    Ótimo estudo Diego, que DEUS abençoe a todos e podemos crescer em graça e conhecimento.

  4. Gostei muito! Um estudo bíblico fundamentado na Palavra de Deus e bem acessível a qualquer leitor. O irmão está de parabéns. Continue compartilhando o seu conhecimento bíblico conosco. E que Deus nos abençoe para vivermos sempre em comunhão!

  5. Que palavras abençoadas. Texto curto, porém bem explicado e muito bem fundamentado na palavra. Parabéns meu irmão, que o Senhor continue te usando e dando-o inspiração para escrever mais textos como esse. Que vivamos sempre em comunhão.

  6. Não concordo no tocante a deixar o pastor a vontade vivendo no pecado e eu vendo o erro e me calar; me mostre na Bíblia esse texto que fala sobre a não exortação do pastor. Seu estudo tem muita coisa boa mais tem pontos a melhorar.

    • Texto muito abençoador. Mas concordo com Jackes. Pois autoridades da igreja também podem ser exortadas. Vamos nos lembrar do que Lutero e os demais reformadores fizeram. Primeiro eles se colocaram contra a postura de como a igreja (liderança) estava agindo. Entendo que sair da igreja não era a ideia, mas, mudar o que esta de errado. Se tivesse mudado no início, certamente não existiria essa salada mista de denominações onde muitas delas só distorcem às escrituras. Se já somos protestantes podemos sim chamar o pastor (que não é um papa) e à luz das Escrituras, oração e amor mostrar à liderança o que esta de errado na igreja. Pastores também pecam e precisam se arrepender de seus pecados.Suportai-vos e Exortai-vos uns aos outros diz a Palava dos Senhor. Se não fazemos isso creio que é mais um pecado em nossas vidas. É mais uma ação ou melhor omissão que nos afasta do nosso Senhor. Que Deus venha nos abençoar sempre com entendimento da Sua Palavra. Amém

      • Você deve lembrar que Lutero era Padre quando questionou as atitudes da Igreja.

        Lutero não liderou uma anarquia eclesiástica.

        Paulo repreendeu a Pedro, mas era apóstolo.

        Existe uma hierarquia no Reino de Deus que deve ser respeitada, de acordo com as Escrituras.

        Você é pastor? É qualificado para o ministério? Recebeu a unção e autoridade de Deus para confrontar seus ministros? Tem sabedoria comprovada por suas obras nas Escrituras?

        São perguntas sérias que devem ser respondidas sinceramente.

        Porque se de repente, como ovelha você confrontar seu Pastor pelos erros dele e estiver errado, a boa mão do Senhor pesará sobre sua vida.

  7. Não quero desanimar ninguém , cuidado com essa palavra comunhão,ela tem uma conotação
    muito forte com a palavra koinonia, que significa companheirismo, participação, ela se encaixa
    bem no casamento,pois bem, quando Deus criou o homem e a mulher deu-lhes mandamentos um deles foi esse que não era bom que o homem vivesse só Gn 2.18, e quantos
    são casados e moram debaixo de mesmo teto estão só,………..

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here