Estudos Bíblicos Diego Nascimento

Estudo Bíblico Sobre a Páscoa: O Que Significa Para os Cristãos?

A origem da páscoa ocorreu um pouco antes do “derramamento” da última praga – a dos primogênitos – sobre o Egito. O termo páscoa em hebraico é pesah e significa: pular além da marca, passar por cima, poupar.

Ela foi instituída pelo Senhor Deus como estatuto perpétuo e está diretamente ligada ao sacrifício de Jesus. Ele é a nossa Páscoa!

Com o passar dos anos a data se transformou em uma oportunidade de aquecimento das vendas para o comércio, mas nem de longe este é o seu principal objetivo.

O sentido real da páscoa é completamente espiritual.

Portanto, neste estudo bíblico minha intenção é lhe mostrar de maneira detalhada:

1.O que é a Páscoa?

2.Porque é que existe a Páscoa?

3.O sentido da Páscoa nos nossos dias.

Então leia o estudo até o final, e aproveite!

A Páscoa Judaica e o Sacrifício do Cordeiro

O Senhor disse a Moisés e a Arão, no Egito: “Este deverá ser o primeiro mês do ano para vocês.

Digam a toda a comunidade de Israel que no décimo dia deste mês todo homem deverá separar um cordeiro ou um cabrito, para a sua família, um para cada casa.

Se uma família for pequena demais para um animal inteiro, deve dividi-lo com seu vizinho mais próximo, conforme o número de pessoas e conforme o que cada um puder comer.

O animal escolhido será macho de um ano, sem defeito, e pode ser cordeiro ou cabrito. Guardem-no até o décimo quarto dia do mês, quando toda a comunidade de Israel irá sacrificá-lo, ao pôr-do-sol. (Êxodo 12:1- 6)

A páscoa judaica foi celebrada pela primeira vez, um pouco antes da saída dos hebreus do Egito. Na verdade, ela marca o início da última praga, a morte dos primogênitos.

O anjo do Senhor passaria e tiraria a vida do filho mais velho de cada família que não tivesse aliança com Deus, e para que o anjo pudesse fazer distinção a Páscoa foi estabelecida.

A data é extremamente importante para o povo de Deus, tanto que passou a marcar o início do ano. Isto é entre março e abril, o ano começaria para eles.

No décimo quarto dia desta data, o chefe da família deveria separar um cordeiro ou cabrito macho, de um ano, perfeito e oferecê-lo em sacrifício ao Senhor até o pôr-do-sol daquele dia.

O mais belo na celebração da páscoa é a unidade.

O pai deveria reunir sua mulher e filhos ao redor do Cordeiro e refletir sobre a grandeza e as obras de Deus. Todos juntos, ao olhar para o sacrifício deveriam expressar gratidão e santificação ao Senhor.

O Sangue, as Ervas e o Fogo

Passem, então, um pouco do sangue nas laterais e nas vigas superiores das portas das casas nas quais vocês comerão o animal. Naquela mesma noite comerão a carne assada no fogo, juntamente com ervas amargas e pão sem fermento. (Êxodo 12:7,8)

O sangue do animal possuía importância única em tudo isso. Ele deveria ser “passado” na entrada da casa de cada hebreu.

O sangue mostraria ao Anjo do Juízo que ali havia uma família que tinha aliança com Deus e não deveria ser punida.

Enquanto o juízo de Deus estava sendo derramado sobre os ímpios egípcios, os consagrados filhos de Deus estavam comendo a carne do Cordeiro, temperado com ervas amargas e pão sem fermento.

Isto é, eles estavam se alimentando do sacrifício redentor, lembrando de suas aflições como escravos e o quanto haviam sofrido no Egito. O pão sem fermento nos aponta para uma vida santa. Longe do pecado.

Não devemos viver sobre o domínio do pecado. Devemos ser santos para Deus e praticantes da sua palavra e justiça, isso é muito agradável ao Senhor.

Tudo Deve Ser Consumido

Não comam a carne crua, nem cozida em água, mas assada no fogo: cabeça, pernas e vísceras. Não deixem sobrar nada até pela manhã; caso isso aconteça, queimem o que restar. (Êxodo 12:9,10)

Todo o sacrifício, isto é, o Cordeiro deveria ser consumido completamente. Não apenas as “partes boas”, como as coxas, mas todo o Cordeiro.

Ou seja, devemos conhecer, provar e viver todo o sacrifício redentor de Cristo. Não apenas a prosperidade, a saúde ou bem estar, mas tudo. Inclusive as aflições do Senhor Jesus.

Dessa maneira, participaremos também da sua glória.

Prontos Para Partir

Ao comerem, estejam prontos para sair: cinto no lugar, sandálias nos pés e cajado na mão. Comam apressadamente. Esta é a Páscoa do Senhor. (Êxodo 12:11)

Por fim, ao comer a Páscoa, os Hebreus deveriam estar prontos para partir. Quando o juízo de Deus fosse derramado sobre o Egito, eles seriam poupados e as portas da liberdade lhes estariam abertas.

A expectativa deles deveria ser que o Egito era um lugar transitório. As aflições, dores, angústias e expectativas frustradas eram momentâneos. Estavam diretamente ligadas aquele lugar.

Ou seja, eles não pertenciam aquilo. Seu futuro não era ali. A viagem estava apenas começando.

O Juízo de Deus

“Naquela mesma noite passarei pelo Egito e matarei todos os primogênitos, tanto dos homens como dos animais, e executarei juízo sobre todos os deuses do Egito. Eu sou o Senhor!

O sangue será um sinal para indicar as casas em que vocês estiverem; quando eu vir o sangue, passarei adiante. A praga de destruição não os atingirá quando eu ferir o Egito. “Este dia será um memorial que vocês e todos os seus descendentes o comemorarão como festa ao Senhor. Comemorem-no como decreto perpétuo. (Êxodo 12:12-14)

Enquanto os hebreus comiam a Páscoa do Senhor e vigiam sobre os mandamentos, o Anjo do Juízo foi enviado para derramar a última praga sobre o Egito.

Seguir todos os princípios de redenção, estabelecidos pela Páscoa garantiria a segurança dos hebreus. Aquele ritual deveria ser guardado para sempre. Perpetuamente.

Enquanto eles o celebrassem, a redenção estaria em sua memória e seria renovada sobre suas vidas.

Significado Bíblico da Páscoa

“A Lei traz apenas uma sombra dos benefícios que hão de vir, e não a realidade dos mesmos…” (Hebreus 10:1)

A instituição da Páscoa no Antigo Testamento, foi um apontamento da redenção promovida por Jesus Cristo na sua morte na Cruz.

Há alguns elementos na Páscoa de Êxodo 12, que fazem referência direta ao Filho de Deus, observe:

1. A celebração da páscoa era a celebração da graça de Deus – o evento marca a libertação de um povo não merecedor, de seu estado de escravo para a liberdade como nação. O mesmo o Senhor Jesus faz por aqueles que creem – “pela graça sois salvos” – conforme está escrito em Efésios 2.8 – 10.

2. O propósito do sangue – o anjo do juízo ao ver o sangue do Cordeiro na porta entendia que ali havia uma família que temia a Deus. Ou seja, o propósito do sangue era remir e poupar da morte.

O mesmo acontece com o sangue de Jesus. Ele nos purifica de todo o pecado e nos livra do juízo de Deus sobre a humanidade. (Hebreus 9.12)

3. O cordeiro pascoal – este foi o sacrifício exigido por Deus no deserto, o Cordeiro inocente, sem defeito e de um ano, assumia o lugar dos pecadores hebreus e servia como propiciação por suas culpas.

Da mesma forma, o inocente Jesus Cristo, sem defeito e sem culpa foi crucificado em nosso lugar, como sacrifício agradável a Deus e como propiciação pelos nossos pecados (1 Coríntios 5.7)

4. Alimentar-se do Cordeiro – no deserto os hebreus não deviam apenas sacrificar o Cordeiro, mas alimentar-se dele completamente. Isto é, não poderia sobrar nada, todo o Cordeiro deveria ser consumido.

Isto nos mostra que Cristo deve ser o nosso alimento. Ele é o Pão da Vida. Seus ensinos, milagres e vida devem nos inspirar e mostrar a direção que devemos seguir.

Neste ponto, entra a instituição da Santa Ceia. Em que o pão e o suco da videira, representam o corpo e o sangue do Senhor Jesus. Ou seja, devemos nos alimentar constantemente dele.

Qual o verdadeiro sentido da Páscoa?

E disse-lhes: “Desejei ansiosamente comer esta Páscoa com vocês antes de sofrer. (Lucas 22:15)

O verdadeiro sentido da Páscoa está ligado a redenção, graça e libertação. Estes três elementos podem ser observados tanto na celebração da Páscoa no deserto, antes da saída do Egito, como no sacrifício de Jesus no Calvário.

Ou seja, é uma data extremamente importante na história do povo de Deus.

O Diabo em todas as suas astúcias, ao longo da história associou o evento, a Coelho e Ovos de Chocolate, quando na verdade os elementos mais importantes são a morte de Jesus e o seu sangue.

A instituição da Santa Ceia e a crucificação de Jesus, ocorreram na Páscoa, ou seja, é um estatuto perpétuo que é celebrado por milhares de cristãos ao longo dos séculos.

Ao morrer em nosso lugar na Cruz, Jesus se tornou a nossa Páscoa. Agora, ao olhar para os crentes, Ele vê o sangue do Cordeiro e o sacrifício perpétuo.

Com isso, quando celebramos a páscoa devemos refletir, aprender e ser gratos por tudo o que o Senhor tem feito por nós.

Conclusão

A páscoa é um memorial eterno que celebra a redenção, graça e libertação do povo de Deus, das garras da morte, do pecado e do inferno.

A belíssima simbologia que é envolvente e rica, aponta unicamente para o amor de Jesus demonstrado na Cruz do Calvário.

O Senhor nos amou e assumiu o lugar do Cordeiro imolado no deserto. O seu sangue, continua sendo aspergido sobre as nossas vidas, casas e famílias para nos guardar do juízo de Deus.

Devemos celebrar a páscoa com sentimento de gratidão e euforia, por aquilo que Deus fez e tem feito por cada um de nós.

Por fim, eu gostaria de conhecer sua opinião. Deixe seu comentário. O que você acha desse assunto? Tem alguma dúvida? Compartilhe com o mundo!

E não esqueça de compartilhar com seus parentes e amigos!

Deus abençoe!

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

16 Comentários

  1. CID JONES disse:

    A PAZ DO SENHOR MEU AMADO IRMÃ DIEGO, O ASSUNTO É MUITO INTERESANTE. POIS QUANDO O MUNDO COMEMORA A PASCOA POR FALTA DE ENTENDIMENTO E SE EGANANDO A SE PROPRIO PORQUE JÁ É MOSTRADO EM SE A MENTIRA DO COELHO E OVOS ONDE JÁ SE VIU COELHO BOTAR OVOS.
    ISTO TAMBEM SERVE PARA MUITOS SERVOS DE DEUS QUE TEM ALIMENTADO SUA FAMILHA NESTE ENGANO POR ISSO O SR. FALA QUE O SEU POVO TEM ERRADO POR FALTA DE CONHECIMENTO E NÃO ESAMINA AS ESCRITURAS.
    AMÉM

  2. Rosalina Uamusse disse:

    Muito rico este estudo, bem claro e explícito.

    Obrigada.

    DEUS abençoe

  3. Maria José R.Lobato disse:

    Muito proveitoso este estudo, meu irmão. Nos conduz à reflexão de que,jamais devemos esquecer, que temos uma aliança com Deus, selada com o sangue de nosso Senhor Jesus Cristo.
    Que a luz Divina permaneça iluminando sua vida, seu trabalho, sua família.

  4. Adiel Lucas disse:

    Estudo maravilhoso, que Deus continue te abençoando

  5. Luiz Santos disse:

    Parabéns pelo estudo bíblico, veio trazer a tona a verdade sobre a páscoa, porque haverá dias que a verdade vai ser esquecida, indo no curso deste mundo. Deus abençoe o Pastor.

  6. Priscila de Jesus Silva disse:

    Interessante saber mais informações sobre a páscoa que o seu significado é redenção, graça e libertação.

  7. Jailton Lima dos Santos disse:

    Olá paz!
    Muito bom mesmo, crescei na graça e no conhecimento, nos dias em que estamos vivendo, é preciso mesmo o povo ,entender e compreender a cerca da palavra de Deus.
    Deus Abençoe, só tem acrescentar.
    Abraços.

  8. Hugo Macedo disse:

    Que Deus continue lhe dando dircenimento da Sua Palavra porque nos tem ajudado muito

  9. vicente paulo da silva disse:

    Agradeço a Deus por tua palavra que é vida para todos nós, principalmente quando entendemos através de estudo maravilhoso como esse,que Deus possa te abençoar mais e mais a cada dia, te abastecendo de todas as tuas necessidades como diz em filipenses 4:19. fique na paz.

  10. José G. F. Vilanova disse:

    A Paz de Deus, gostei muito do estudo; mas, poderia haver mais sobre a pascoa do nosso tempo que tem sido desvirtualizada por interesses outros.

  11. Anderson disse:

    Muito bom, ótimo estudo.
    Deus continue colocando conhecimento e discernimento para que venha crescer na graça e no conhecimento do senhor.

  12. Antônio Lopes disse:

    Muito boa a mensagem já fui ministrado sobre este assunto.
    Na nossa páscoa de hoje se dependesse de mim eu usaria as ervas amargas e o pão sem fermento

  13. Vera Tagliarini disse:

    Maravilhoso o estudo

  14. Cosme silva de oliveira disse:

    O interessante é que foi o único ritual que Jesus Cristo deixou.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
});