Estudos Bíblicos

Estudo Bíblico Sobre Batismo Nas Águas: 8 Verdades Indispensáveis

O batismo nas águas é uma das antigas tradições cristã. Ela acompanha a Igreja desde o seu surgimento e têm um caráter muito especifico em seu significado: “morto para o pecado e vivo para Deus”.

Ele possui algumas particularidades e foi amplamente difundido por João Batista, no deserto. Há em torno do batismo nas águas muitas especulações. Por isso, o grande objetivo deste estudo é apresentá-lo da maneira mais clara possível.

O Batismo de João

Ele percorreu toda a região próxima ao Jordão, pregando um batismo de arrependimento para o perdão dos pecados. Como está escrito no livro das palavras de Isaías, o profeta: “Voz do que clama no deserto: ‘Preparem o caminho para o Senhor, façam veredas retas para ele. (Lucas 3:3,4)

Antes que Deus se revelasse por meio de seu Filho Jesus, ele enviou João Batista para preparar o caminho de sua chegada.

João Batista fez isso por meio de uma pregação expositiva e transparente dos mandamentos de Deus, denunciando de forma aberta e enérgica os pecados de seus dias.

Assim, as multidões vieram a João Batista perguntando: “O que devemos fazer então? “ (Lucas 3.10).

E com muitas outras palavras João exortava o povo e lhe pregava as boas novas.(Lucas 3.18).

Após isso, João as batizava com o batismo de arrependimento. O batismo de João Batista, nos nossos dias é comparado com o momento da conversão. Aquele em que a pessoa dá o primeiro passo em direção ao relacionamento com Deus.

Como disse o apóstolo Paulo: “O batismo de João foi um batismo de arrependimento. Ele dizia ao povo que cresse naquele que viria depois dele, isto é, em Jesus”. (Atos 19:4)

Por Quê Jesus Cristo Foi Batizado?

Então Jesus veio da Galileia ao Jordão para ser batizado por João. João, porém, tentou impedi-lo, dizendo: “Eu preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim? ” Respondeu Jesus: “Deixe assim por enquanto; convém que assim façamos, para cumprir toda a justiça”. E João concordou. Assim que Jesus foi batizado, saiu da água. Naquele momento os céus se abriram, e ele viu o Espírito de Deus descendo como pomba e pousando sobre ele. Então uma voz dos céus disse: “Este é o meu Filho amado, em quem me agrado” (Mateus 3:13-17)

Jesus foi até João Batista para receber o batismo, não para justificar pecados, pois ele não conheceu pecado (2 Coríntios 5.21) , mas para dar o exemplo.

Não é em vão que João Batista diz: “Eu preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim? ” Respondeu Jesus: “Deixe assim por enquanto; convém que assim façamos, para cumprir toda a justiça”. E João concordou.

O Senhor Jesus quer mostrar com isso, que qualquer que quiser ter um relacionamento verdadeiro e profundo com o Senhor precisa de arrependimento.

Perceba que ao sair da água o próprio Deus confirma a filiação do Senhor Jesus e aprova sua atitude.

O Batismo Nos Nossos Dias

“Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado”. (Marcos 16:16)

Após a sua morte e ressurreição, Cristo dá algumas ordens específicas aos seus apóstolos. Dentre elas o batismo.

Ele é um sacramento da Igreja Cristã, ou seja, algo indispensável. Qualquer pessoa que entregar sua vida a Jesus, deve em pouco tempo, ser orientada por sua liderança ao batismo nas águas.

Ou seja, o “crer e o ser batizado” estão intrinsecamente ligados. Qualquer pessoa que teve uma conversão real e ama ao Senhor, vai desejá-lo.

Não há melhor exemplo que o etíope eunuco, que foi evangelizado pelo apóstolo Filipe (Atos 8.26-38).

Após ouvir a pregação de Filipe o eunuco disse: “Olhe, aqui há água. Que me impede de ser batizado? ” Disse Filipe: “Você pode, se crê de todo o coração”. O eunuco respondeu: “Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus”. Assim, deu ordem para parar a carruagem. Então Filipe e o eunuco desceram à água, e Filipe o batizou. (Atos 8:36-38)

Quem Crer e Não For Batizado, Será Salvo?

Então ele disse: “Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu Reino”. Jesus lhe respondeu: “Eu lhe garanto: Hoje você estará comigo no paraíso”. (Lucas 23:42,43)

Na crucificação de Jesus haviam dois criminosos junto a ele. Um a direita e o outro a esquerda. Enquanto um permaneceu zombando do Mestre, de seu ministério e de sua autoridade o outro creu.

Um dos criminosos que ali estavam dependurados lançava-lhe insultos: “Você não é o Cristo? Salve-se a si mesmo e a nós! ” Mas o outro criminoso o repreendeu, dizendo: “Você não teme a Deus, nem estando sob a mesma sentença? Nós estamos sendo punidos com justiça, porque estamos recebendo o que os nossos atos merecem. Mas este homem não cometeu nenhum mal”. (Lucas 23:39-41)

Um dos criminosos reconheceu que Jesus Cristo era o Messias. Após isso suplicou misericórdia e salvação. O Senhor imediatamente lhe garantiu a vida eterna.

Mas como pode ser isso, se ele não foi batizado?

Devemos notar que o criminoso salvo, não tinha a opção de receber o batismo por estar prestes a receber sua condenação de morte. Os soldados romanos não iam dar uma pausa no processo para que ele fosse batizado.

Em situações como essa, em que a pessoa que crê não tem a possibilidade de receber o batismo, sua salvação não está condicionada a ele. Caso contrário sim!

A pessoa que tem 5, 10, 20 anos de cristianismo e nunca se batizou, precisa se preocupar. O Senhor Jesus é extremamente claro e enfático: “Quem crer e for batizado, será salvo”.

O batismo é uma confissão pública de fé. Ao recebê-lo passamos a seguinte mensagem:

“Portanto, fomos sepultados com ele na morte por meio do batismo, a fim de que, assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos mediante a glória do Pai, também nós vivamos uma vida nova”. (Romanos 6:4)

Na Igreja Católica

Por nascerem com uma natureza humana decaída e manchada pelo pecado original, também as crianças precisam do novo nascimento no Batismo, a fim de serem libertadas do poder das trevas e serem transferidas para o domínio da liberdade dos filhos de Deus, para a qual todos os homens são chamados. A gratuidade pura da graça da salvação é particularmente manifesta no Batismo das crianças. A Igreja e os pais privariam então a criança da graça inestimável de tornar-se Filho de Deus se não lhe conferissem o Batismo pouco depois do nascimento. (CIC 1250)

A citação em destaque é do catecismo da Igreja Católica, de 1250. Para aprofundar a visão católica do assunto, segue na íntegra as palavras do Padre Paulo Ricardo:

A Igreja Católica não é a religião de um livro, mas de uma Pessoa real, concreta: Jesus Cristo, o qual permanece vivo ao longo destes dois mil anos em sua Igreja, que é embasada também na Tradição e no Magistério. Desta forma, “a prática de batizar as crianças é uma tradição imemorial da Igreja. É atestada explicitamente desde o século II. Mas é bem possível que desde o início da pregação apostólica, quando ‘casas’ inteiras receberam o Batismo, também se tenha batizado as crianças” (CIC 1252), é o que continua ensinando o Catecismo da Igreja Católica. (Fonte: padrepauloricardo.org)

Ou seja, o ato de batizar crianças, como o próprio padre Paulo Ricardo diz, é “uma tradição imemorial da Igreja” Católica, a qual não é dirigida por “um livro” (acredito que se refira a Bíblia).

Nas palavras do Padre Paulo Ricardo fica muito claro que a Igreja Católica não tem a Bíblia como soberana Palavra de Deus, essa soberania é dada as tradições da Igreja e a figura do Papa.

Daí o fato de eles batizaram crianças. Eles acreditam, entendem, creem, que há essa necessidade pelo fato de o pecado de Adão ser contagioso.

Por nascerem (as crianças) com uma natureza humana decaída e manchada pelo pecado original, também as crianças precisam do novo nascimento no Batismo, a fim de serem libertadas do poder das trevas e serem transferidas para o domínio da liberdade dos filhos de Deus.

O Que a Bíblia Diz Sobre as Crianças? 

Já vimos que a função do batismo nas águas é para arrependimento e remissão de pecados. Têm as crianças consciência de pecado? Vejamos o que diz o Senhor Jesus Cristo:

O povo também estava trazendo criancinhas para que Jesus tocasse nelas. Ao verem isto, os discípulos repreendiam os que as tinham trazido. Mas Jesus chamou a si as crianças e disse: “Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas. Digo-lhes a verdade: Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele”. (Lucas 18:15-17)

Jesus dá passe livre as crianças no Reino dos Céus. Os discípulos quiseram impedir sua vinda até o Mestre, mas ele os repreendeu. Ele garante que qualquer que quiser entrar no Reino precisa ser como elas.

Em nenhum momento ele faz menção de que crianças devam ser batizadas. Não indica que elas tenham pecado, pelo contrário ele destaca a pureza delas.

Embora o pecado de Adão tenha manchado toda a humanidade, a culpa pelo pecado só vem após a consciência do pecado, do erro, do certo e do errado.

Após essa consciência é que surge a necessidade de batismo. Dessa forma, realizá-lo antes da manifestação da consciência de pecado, não tem efeito.

Vimos que a função do batismo é ser uma confissão pública consciente e voluntária de fé. Uma declaração de desejo de relacionamento sincero com Deus. Uma decisão de morte para o mundo.

A criança não se encaixa em nenhuma dessas descrições. As crianças batizadas pela Igreja Católica não decidiram pelo batismo, elas nem lembram se foram batizadas. Ou seja, para elas ser batizadas não tem o menor sentido.

A Igreja Católica também possui regras de batismo com outras particularidades, como: adultos, filhos de mães solteiras, crianças já crescidas, etc.

Na Igreja Evangélica

Então, Jesus aproximou-se deles e disse: “Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”. (Mateus 28:18-20)

Nas Igrejas evangélicas, genuínas, o batismo segue exatamente o princípio bíblico. Ao contrário da Igreja Católica, a Igreja Evangélica é regida, orientada, comprometida com um único livro: a Bíblia.

Sendo assim, o batismo só é realizado quando a pessoa tem consciência do certo e do errado, e já foi instruída acerca da necessidade do arrependimento e voluntariamente desejá-lo, como está escrito.

Quais os Tipos de Batismo da Igreja Evangélica?

Nas principais Igrejas Evangélicas percebe-se a realização do ato de descer as águas de pelo menos três formas:

Aspersão: é a prática de borrifar água sobre a cabeça da pessoa enquanto é batizada;

Efusão: é a prática de derramar água (lavar) a cabeça da pessoa enquanto é batizada

Imersão: é a prática de mergulhar na água todo o corpo da pessoa enquanto é batizada

Conclusão

O batismo é um sacramento da Igreja Cristã, ou seja, indispensável. Estabelecido pelo Senhor Jesus, é o símbolo de confissão pública de fé e arrependimento.

Ele deve ser realizado pela pessoa que entender o princípio da fé e do arrependimento, e que voluntariamente se dispôs a recebê-lo.

Vimos que batizar crianças é única e exclusivamente uma tradição Católica, e não uma orientação bíblica. Seu fundamento é o entendimento pessoal de sua liderança, em fazê-lo.

E então, o que você acha? Qual a sua opinião sobre o assunto? Quer acrescentar algo? Deixe seu comentário. Compartilhe esse estudo bíblico com seus amigos e parentes.

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, estudante de Teologia e Administração. Seu amor por Jesus o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

6 Comentários

  1. Sérgio Teixeira Neto disse:

    Paz e Graça Irmão Diego! Muito obrigado pela disponibilidade desse Estudo. Sem dúvida, ESCLARECEDOR!

  2. Lu disse:

    Diego boa noite. Gostaria de saber se tem alguma diferença entre: batismo em nome de Jesus e batismo em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo?
    Gostei muito do estudo.

    • Não Lu. Quando se diz que o batismo é “em Nome de Jesus” está se referindo ao modelo de batismo ensinado por Jesus. Portanto, a diferença de expressões não significa que há dois batismos, mas um modelo que foi ensinado por Jesus.

  3. Vander Rodrigues da Silva disse:

    parabéns!!! Diego Nascimento, excelente estudo.

  4. Cleiton alves da Silva disse:

    Preciso.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.