O jejum na Bíblia possui uma importância espiritual muito grande no desenvolvimento da fé e na revelação do projeto e direção de Deus na vida dos homens e mulheres que o Senhor usou para escrever a história do seu povo.

Fica nítido que não foi por sua capacidade pessoal que eles alcançaram o sucesso, mas sim, por sua sensibilidade a oração e jejum na maioria dos casos.

Neste estudo bíblico sobre o jejum, quero ver com você os principais aspectos desta que é uma das preciosas práticas espirituais das santas escrituras.

Jejum Espiritual

Mas esta espécie só sai pela oração e pelo jejum”. (Mateus 17:21)

O jejum é uma poderosa arma espiritual dada pelo Senhor Deus ao seu povo, a sua Igreja. Observamos no texto de Mateus 17, que o Mestre identificou que aquele tipo específico de demônios, só seria expulso por alguém que tivesse o hábito de jejuar e orar.

Esta percepção foi desenvolvida em Jesus não porque era Deus, mas porque ele tinha o hábito de fazer isso. A palavra grega utilizada no Novo Testamento para jejum é nesteia e significa: jejum, abstinência voluntária, como exercício religioso.

Ou seja, jejuar é se abster de algo.

Tipos de Jejum

Nos dias de Jesus esta era uma prática comum para os judeus. Havia no calendário oficial da nação uma data marcada para isso. Observe:

O jejum público prescrito pela lei mosaica e observado anualmente no grande dia da expiação, no décimo dia do mês de Tisri (uma parte de setembro e outubro em nosso calendário). Este jejum era realizado no Outono quando navegar era geralmente perigoso por causa das tempestades. (Fonte: Concordância de Strong)

Nessa época o tipo mais praticado era o de alimento. Isto é, um período de abstinência de comida e água, apenas comida ou apenas água.

Há também o exemplo de Daniel, que jejuou da comida impura do rei da babilônia e comeu apenas legumes (Daniel 1.8).

A ideia de jejuar é que você se abstenha daquilo que fortalece sua natureza carnal e enfraquece seu espírito.

Portanto, em nossos dias não é incomum ver os cristãos jejuando de TV, redes sociais, smartphone, e entretenimento em geral.

Isso acontece porque não houve em toda a história uma geração que perca tanto tempo com entretenimento como a nossa. É algo que realmente exige a nossa atenção.

Jejum e Oração

Assim, depois de jejuar e orar, impuseram-lhes as mãos e os enviaram. (Atos 13:3)

Jejuar é uma prática espiritual muito poderosa e quando aliada a oração, podemos dizer que temos uma arma “infalível” para a vitória. Para viver o melhor de Deus para nossas vidas e seguir sempre a sua direção.

Observamos no texto de Atos 13.3, que a Igreja enviou Paulo e Barnabé após um período de jejum e oração. Não podemos perder esse princípio.

A Igreja é uma estrutura espiritual, sobretudo. Há uma estrutura física que em nossos dias apresenta grande exigência administrativa nos aspectos terrenos, mas uma igreja só prospera diante de Deus quando ela se submete a direção de Deus. O jejum e a oração possuem função determinante neste ponto.

Jejum Bíblico

Será esse o jejum que escolhi, que apenas um dia o homem se humilhe, incline a cabeça como o junco e se deite sobre pano de saco e cinzas? É isso que vocês chamam jejum, um dia aceitável ao Senhor? (Isaías 58:5)

“O jejum que desejo não é este: soltar as correntes da injustiça, desatar as cordas do jugo, pôr em liberdade os oprimidos e romper todo jugo? (Isaías 58:6)

Não podemos permitir que jejuar se torne algo sem sentido em nossas vidas ou assuma uma característica hipócrita em nosso comportamento.

Em Isaías 58.5 o Senhor Deus repreende Israel, nos dias do profeta Isaías, porque entre eles o jejum era apenas uma mera formalidade. Isto é, o caráter e as atitudes deles não estavam sendo mudadas por tal ato de humilhação.

O jejum bíblico, é aquele que produz em nós o caráter de Cristo. Jejuar é algo que nos torna melhores, mais sensíveis a Deus e ao seu Espírito.

Quando jejuamos o Espírito Santo aproveita a humilhação da nossa carne para trabalhar nossas fraquezas e nos fortalecer no Reino de Deus.

Jejum na Bíblia

Depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome. (Mateus 4:2)

Jejum na Bíblia é algo comum. Comum não no sentido de “sem importância”, mas no sentido de que fez parte da vida dos destacados homens e mulheres de Deus.

E como exemplo, ninguém melhor que o Senhor Jesus para nos estimular a tal prática. Enquanto enfrentava o Diabo na tentação no deserto, o Filho de Deus estava jejuando havia 40 dias.

Ou seja, diante de grandes embates precisamos jejuar e orar, com o objetivo de que o Senhor Deus nos fortaleça e conceda graça para suportamos o dia mal.

Como Entregar o Jejum

Normalmente depois de um período de Jejum, eu me recolho ao quarto se estiver em casa ou procuro por privacidade se não estiver, e ali eu oro ao Senhor agradecendo pela força que me deu para passar este momento em consagração e declaro que creio que Ele está atento ao meu “sacrifício espiritual”.

Reforço em oração o motivo do meu jejum e agradeço pela direção, sensibilidade, Palavra ou por qual outro elemento que eu percebo ter sido fruto do período de abstinência.

Em seguida, tomo um pouco de água para hidratar o estômago e ajudar o sistema digestivo, e procuro fazer uma refeição leve, dependendo de quanto tempo estive jejuando.

O Jejum e as Causas Impossíveis

Alarmado, Josafá decidiu consultar o Senhor e proclamou um jejum em todo o reino de Judá. (2 Crônicas 20:3)

Josafá estava diante de uma grande impossibilidade. Ele teria de enfrentar um exército muito maior que o seu. Ao saber do ataque, o rei proclamou um jejum em sinal de humilhação e dependência de Deus e todo o povo o seguiu.

A resposta veio em seguida:

Então o Espírito do Senhor veio sobre Jaaziel, filho de Zacarias, neto de Benaia, bisneto de Jeiel e trineto de Matanias, levita e descendente de Asafe, no meio da assembléia.

Ele disse: “Escutem, todos os que vivem em Judá e em Jerusalém e o rei Josafá! Assim lhes diz o Senhor: ‘Não tenham medo nem fiquem desanimados por causa desse exército enorme. Pois a batalha não é de vocês, mas de Deus.

Amanhã, desçam contra eles. Eles virão pela subida de Ziz, e vocês os encontrarão no fim do vale, em frente do deserto de Jeruel.

Vocês não precisarão lutar nessa batalha. Tomem suas posições; permaneçam firmes e vejam o livramento que o Senhor lhes dará, ó Judá, ó Jerusalém. Não tenham medo nem se desanimem. Saiam para enfrentá-los amanhã, e o Senhor estará com vocês’ “. (2 Crônicas 20:14-17)

Assim, como disse o profeta aconteceu: Quando os homens de Judá foram para o lugar de onde se avista o deserto e olharam para o imenso exército, viram somente cadáveres no chão; ninguém havia escapado. (2 Crônicas 20:24)

Quando seguimos a direção de Deus, conseguimos o impossível com um desgaste muito menor, do que as tentativas fracassadas sem a direção de Deus.

Muitos cristãos já perderam o hábito, ou sequer nunca sentiram a necessidade de jejuar, por achar que o cristianismo de ir à Igreja no domingo, ouvir a pregação e voltar para casa é o suficiente.

Mas eu louvo a Deus pela riqueza de sua palavra. Ela possui tesouros inestimáveis e todos os que estão dispostos a buscá-los, entram em um outro nível de intimidade com o Senhor.

O Jejum e a Revelação

Por isso me voltei para o Senhor Deus com orações e súplicas, em jejum, em pano de saco e coberto de cinza. (Daniel 9:3)

A prática do jejum é também utilizada em momentos que exigem uma direção muito específica de Deus, ou uma revelação do futuro.

Foi o que fez Daniel, quando soube que o tempo do cativeiro era de 70 anos, ele se colocou diante de Deus em jejum, oração e humilhação.

E o melhor de tudo, também foi ouvido.

O Senhor enviou Gabriel e este lhe revelou coisas grandes e profundas acerca de Israel e também sobre o futuro de toda a humanidade.

Glória a Deus!

Lembro que fiz um jejum com este propósito quando eu e Carol nos apaixonamos.

Queria ter certeza de que o Senhor aprovava nossa união, daí eu iniciei um jejum por tempo indeterminado, até que o nosso Deus nos respondesse.

Neste jejum, eu comia e bebia água apenas uma vez por dia, e como na época eu tinha mais tempo, decidi que junto ao jejum eu leria a Bíblia toda. Minha expectativa era que, com um espírito sensível a minha compreensão da Palavra do Senhor seria elevada para um próximo nível.

Depois de vinte dias eu praticamente não era influenciado pela ansiedade, incerteza, dúvidas ou qualquer outro sentimento que atrapalhasse a direção de Deus.

E trinta dias depois eu tive um sonho muito sobrenatural. Nele eu ouvi claramente a voz do Senhor. Ali ele me mostrou que eu deveria casar com Carol e como seria uma parte do futuro ao lado dela.

Acordei maravilhado!

Liguei para ela, contei o que havia acontecido e ela creu.

O cristianismo não é complicado quando decidimos fazer aquilo que a Palavra do Senhor nos diz para fazer.

O Jejum Pode Mudar o Destino de Uma Nação

Os ninivitas creram em Deus. Proclamaram jejum, e todos eles, do maior ao menor, vestiram-se de pano de saco. (Jonas 3:5)

Depois que ouviram a proclamação do juízo de Deus por parte de Jonas, os ninivitas creram na Palavra e como sinal de arrependimento toda a nação jejuou diante do Senhor.

Isto fez com que o nosso Deus poupasse aquela geração que se humilhou e abandou os seus pecados.

O destino de uma nação foi mudado após a proclamação do jejum. É uma prática poderosa. Que Deus levante mais e mais pessoas em nossa nação, dispostas a jejuar e orar pelo bem estar dela, ao invés de reclamar e amaldiçoar.

O Jejum e a Prosperidade dos Projetos

Ali, junto ao canal de Aava, proclamei um jejum, a fim de que nos humilhássemos diante do nosso Deus e lhe pedíssemos uma viagem segura para nós e nossos filhos, com todos os nossos bens. (Esdras 8:21)

Esdras é um dos homens de Deus que muito me inspiram na Bíblia. Quando ele se dispôs a ir a Jerusalém para ajudar na reconstrução e levar os cativos, ele e todo o povo jejuou pedindo ao Senhor que lhes desse boa viagem e lhes guardasse no caminho.

E assim foi, o Senhor ouviu a oração de seu povo e recebeu a oferta de jejum que eles apresentaram. Observe:

No décimo segundo dia do primeiro mês nós partimos do canal de Aava e fomos para Jerusalém. A mão do nosso Deus esteve sobre nós, e ele nos protegeu do ataque de inimigos e assaltantes pelo caminho. Assim chegamos a Jerusalém, e ficamos descansando três dias. (Esdras 8:31,32)

Muitos dos nossos projetos fracassam porque a autossuficiência e a incredulidade tem sido marcas fortes de nossa geração.

Não suplicamos a Deus a sua bênção. Simplesmente dizemos: “Seja feita tua vontade”. Numa atitude espiritual preguiçosa colocamos a responsabilidade sobre o Senhor e não fazemos nossa parte.

Ao contrário de nós, Esdras jejuou e orou. Suplicou ao Senhor que lhe desse uma boa viagem a Jerusalém: “e ele nos atendeu” (Esdras 8:23), testemunha.

A minha oração é que o Senhor nos desperte, para que possamos tomar posse das muitas riquezas espirituais que estão preparadas para nós em Cristo.

Conclusão

A prática espiritual do jejum pode alterar completamente a rota da nossa vida como seres humanos e em nosso relacionamento com Deus.

Isto porque ao jejuar, estamos humilhando nossa humanidade e nos “abrindo” para aquilo que é Espírito e vida. Nossos sentidos espirituais ficam mais aguçados e nossa visão do Reino de Deus é ampliada.

Deixamos de ser carnais, incrédulos, preguiçosos e improdutivos. Além disso, nossa autoridade sobre principados e potestades do mal são elevadas.

Portanto, eu lhe estimulo a acrescentar a prática do jejum a sua vida diária e procure fazer um diário de oração.

Anote as causas e pedidos apresentados.

Acrescente causas de curto e longo período e à medida que elas forem sendo respondidas, registre.

Faça esse exercício por pelo menos noventa dias e depois volte aqui para testemunhar. (rsrsrsrsrs)

O Senhor fará grandes coisas em sua vida.

Deus abençoe!

11 COMENTÁRIOS

  1. A paz do Senhor!

    Mais um artigo bastante interessante e de certa forma “controverso” pois alguns dizem que só devemos jejuar quando estivermos pedindo por uma causa específica e impossivel mas outros são apologistas do jejum como prática na vida de um cristão.

    Na sua conclusão, quando fala da prática do jejum diário seria a eliminição de uma refeição e/ou líquido diário, de entretenimento (ex redes socias) ou poderia ser a junção ou alternância entre estes dois tipos de jejum? Se calhar para iniciar 90 dias seria muito, mas talvez começar com uma meta de 30 dias e daí em diante ou porr tempo indeterminado.

    Mais uma vez obrigada por este artigo.

    Deus o abençõe!

    • Sim Jackie, a abstinência de pelo menos uma alimentação diária, líquido ou entretenimento (mais específico).

      Eu aconselho 90 dias, caso você já tenha o hábito. Se não, tente metas menores: 15 ou 25 dias, pois leva um tempo até que o corpo se acostume.

      Depois, é tranquilo.

      O prazer é todo meu!

  2. Como os estudos que você publica tem enriquecido espiritualmente minha vida… que você continue sendo esse instrumento nas mãos do nosso Deus.
    Abraço! A paz do Senhor!

  3. Bom dia!! diariamente leio seus estudos e fico cada dia mais maravilhada!!! Deus ta me ensinando muito!! Glorias a Deus…Continue nessa força Deus tem feito maravilhas através desses estudos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here