No salmos 73, o salmista Asafe abre seu coração e conta porque quase se desviou. Relata o que aconteceu e as circunstâncias que fizeram com que ele quase abandonasse a fé. Esse é um salmo muito profundo e com certeza tem lições preciosas para as nossas vidas.  

Convido você a ler este estudo até o final, porque com certeza sua vida será edificada.

1. Inveja dos ímpios e de sua prosperidade – Salmos 73:2

A primeira coisa que Asafe nos conta, sobre porque ele quase se desviou, é porque ele teve inveja dos ímpios e de sua prosperidade, conforme mostra o Salmos 73:2.

Ele olhava para vida do ímpio e observava como ele prosperava, como crescia, como tinha saúde, mesa farta, melhores roupas, seus filhos estudavam nas melhores escolas.

Enquanto que Asafe vestia roupas humildes, comia apenas o necessário, suficiente para sobreviver. Ao observar isso, Asafe se pergunta: o que que tá acontecendo?

Porque o ímpio vive em tamanha prosperidade enquanto eu que sirvo a Deus vivo de uma maneira tão limitada?

Os ímpios que não tem nenhum amor a Deus, observava Asafe, viajavam pelo mundo todo, gastando dinheiro com abundâncias sem que nenhum mal lhes acontecesse.

Após essa análise a fé dele foi abalada.

Eu e você precisamos ter cuidado ao analisar a vida do ímpio dessa forma. Sob essa perspectiva.

2. Servir a Deus é inútil – Salmos 73:13

A segunda coisa que fez Asafe quase se desviar é que em sua observação ele pensou que servir a Deus era inútil, conforme Salmos 73:13. A conclusão que Asafe chegou foi que a vida do ímpio era melhor que a dele.

E que, sendo assim, não havia vantagem nenhuma em servir a Deus, já que a vida do ímpio, que não se importava com Deus, era tão boa e sua vida, que era tão dedicado a Deus, era medíocre.

Assim que comparou a vida do justo e a do ímpio com base nas coisas terrenas, percebemos Asafe decepcionado com Deus, com a fé, com a religião, com a santificação e com tantas outras coisas.

Eu e você precisamos ter cuidado e orar sobre isso, pois a raiz de amargura brotando, pode gerar frutos de morte. 

3. Achou que era o único em dificuldades – Salmos 73:14

A terceira coisa que quase levou Asafe ao desvio foi que ele achou que era o único que vivia em dificuldades, como está escrito no verso 14. Asafe olhava a vida do ímpio, e esse só prosperava, só vivia bem.

Na perspectiva dele, a vida do ímpio era perfeita e sua vida era um lixo. Só vivia afligido, todas as manhãs era castigado. Asafe acordava na segunda-feira com “vontade de morrer”, ele trabalhava em algo que neste momento estava odiando, vivendo uma vida que não gostaria de viver.

E isso tem acontecido com muitas pessoas em todo o mundo. Trabalhando em algo que não gostam e achando que são as únicas pessoas que estão em dificuldade, que a vida é apenas um grande castigo, um conjunto de castigos vindo da parte de Deus.

4. O que trouxe Asafe de volta? – Salmos 73:17

Em quarto e último lugar, vemos o que trouxe Asafe de volta conforme está escrito nos versos 16 e 17.  O que trouxe Asafe de volta foi entrar na casa de Deus e ser ministrado pelo Espírito Santo sobre qual é o destino dos ímpios. 

Quando o Espírito Santo mostrou a Asafe que por melhor que fosse a vida do ímpio aqui na Terra, no final ele estaria longe de Deus, na perdição eterna, Asafe entendeu que a vida com Deus aqui na Terra por mais difícil que seja é melhor que uma vida abundante longe de Deus. 

Ele disse que tentou entender tudo isso e que foi difícil. Muitas pessoas tem se decepcionado com a fé, com a religião, com servir a Deus, assim como Asafe.

Elas são obedientes, são fiéis nos dízimos e nas ofertas, são fiéis aos rituais, são devotas, amam a igreja, a Deus, a sua palavra. 

Erram, porque somos pecadores, mas, não amam o pecado. Ou seja, vivem assim como Asafe uma vida de inocência, de purificação e santificação diária.

Contudo, mesmo assim, elas percebem que na vida do ímpio as coisas dão mais certo que na vida delas que são tementes a Deus, que O servem, que O amam.

Porque isso acontece é difícil de responder, é o problema do mal. A resposta que o Senhor Deus dá a Asafe, é a resposta mais completa que pode existir para nós.

Se formos analisar a vida com relação apenas as possibilidades terrenas, então, vamos nos decepcionar com muitas coisas, mas, quando nos relacionamos com Deus na perspectiva do que está por vir na eternidade, então a nossa alma ficará muito mais em paz.

Conclusão

A ministração que o Espírito Santo traz nessa palavra é que mesmo que tudo dê errado na sua vida aqui nessa terra, na eternidade junto com o Senhor Deus as coisas irão muito bem, darão muito certo.

Então eu lhe estimulo, se está no momento de tentação, de depressão espiritual, em que você está sentindo vontade de desistir pense nisso: você tem relacionamento com Deus, você é amado(a), Deus lhe ama!

E eu tenho certeza que é o desejo de Deus lhe mostrar caminhos, saídas. Ele quer lhe mostrar um futuro que está além disso que você tem vivido.

Agora, muitas vezes as dificuldades são frutos da nossa mentalidade e o que Deus precisa mudar em nós é a forma de pensar e enxergar as coisas.

Então, você pode começar orando “Deus o que é que eu não estou vendo? O que precisa mudar que eu não estou enxergando?”

No caso de Asafe o ponto chave da tribulação dele era a sua mentalidade, a forma como ele estava enxergando as coisas e o Senhor Deus foi lá e mudou. Peça isso ao Senhor e certamente ele fará. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here