marca_final-01

Submissão às Autoridades à luz de Romanos 13

Muitos cristãos não se importam em ser submisso as autoridades e por isso falam mal de seus líderes, não trabalham para ajudá-los e muito menos colocam suas vidas em oração diante de Deus. O Senhor nos ensina o contrário, devemos nos submeter as autoridades.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A Bíblia, nosso manual para a vida, deixa claro que como cristãos devemos submissão às autoridades. Muitos cristãos estão atentos apenas a vida espiritual como um todo,  mas despreza, muitas vezes, o exercício de sua cidadania.

Porém, como cristãos também devemos ser bons cidadãos, e assim honrar ao nosso Deus ao senhor Jesus. Em Romanos capítulo 13, veremos qual o conselho bíblico com relação a isso. 

Vamos aprender?

1. É nosso dever

Em Romanos 13 a partir do versículo, fica claro o nosso dever quanto a submissão às autoridades, ressaltando que elas vem de Deus. Para melhor entendimento vamos destacar algumas palavras. 

A primeira delas é sujeitar-se. De acordo com o termo original significa “uma atitude voluntária de ceder, de cooperar” (Strong). Não significa aqui que não se possa exercer o direito de cidadania e expressar opiniões e sim que se trata de uma atitude voluntária para ajudar a fazer acontecer. 

Sendo assim, o que o Espirito Santo está nos ensinando através do apóstolo Paulo é mesmo que o partido que apoiamos perca, o nosso dever é cooperar e ajudar voluntariamente para que o governo dê certo. 

O trecho do versículo que diz que “não há autoridade que não venha de Deus”, não significa que todos os governantes do mundo foram estabelecidos por Deus, e sim que o Senhor Deus foi quem estabeleceu a justiça, o princípio de liderança e o governo. 

Ao longo do tempo, o Senhor Deus, por meio de sua graça Soberana e de sua atuação na história foi fazendo com que fossemos nos desenvolvendo e estabelecendo os princípios da justiça. 

É nosso dever, em primeiro lugar, ter uma atitude voluntária de ajudar os nossos governantes a desenvolver bem o exercício do seu governo, tendo assim submissão às autoridades.

2. Deus Instituiu

No versículo 2, há duas palavras que precisamos destacar: “aquele que se rebela” e “Deus instituiu”.

A palavra rebela, no hebraico é antitassomai e significa “organizar-se para batalhar contra”. Existe uma diferença muito grande entre você se organizar para batalhar contra e entre por exemplo você fazer uma manifestação pacífica lutar pelos seus direitos.

Organizar-se para batalhar contra está relacionado, por exemplo, a pessoas que promovem atentado, que causam dano físico ou até mesmo moral. Uma forma de você se rebelar contra é falar mal contra autoridade apenas porque não está de acordo com aquilo que ele pens.

Mas, a direção bíblica é que a pessoa que faz isso está se colocando contra o que Deus instituiu e traz por isso, condenação sobre si mesmo.

Só para deixar claro, mais uma vez, não é que Deus instituiu o governo específico, mas, que Deus estabeleceu o princípio do governo. Então, como cristão devemos submissão à autoridades.

Devemos ser benção para os nossos líderes. Devemos ajudá-los a governar bem. Isso é o desejo de desejo de Deus para nossas vidas.

3. Criminosos devem ser punidos 

Nos versículos 3 e 4, vemos os que praticam o bem não precisam temer os governantes. Muitas pessoas acham que criminosos não devem ser punidos, que a polícia não deve usar arma. Há muitos cristãos que acham que não deveria existir o exercício da Justiça.

No entanto, nesse sentido esse texto é extremamente esclarecedor. O apóstolo Paulo está dizendo, se você praticou bem pouco importa se o agente de justiça está armado ou não. Agora os que praticam o mal devem temer, pois ela não porta a espada sem motivo .

A aplicação da Justiça também é um princípio estabelecido pelo Senhor Deus. E a utilização de armas na aplicação da Justiça é algo que a própria Bíblia estabelece. Há várias figuras de linguagem que são utilizadas, dando a entender que o Senhor Deus utiliza suas armas.

Em Apocalipse, por exemplo, lemos que o Senhor Jesus peleja contra seus inimigos com a espada que sai da sua boca, isto é: a sua a palavra.

O termo que o Senhor Deus utiliza aqui para se referir a justiça, ao dizer que ela é serva de Deus é o termo grego “diakonos”, que se refere a alguém que executa os pedidos de outro, de um mestre, um servo, um atendente, um ministro.

Então quando o criminoso comete um crime e é punido, ali está sendo estabelecida a justiça de Deus. Sendo assim, enquanto cristãos eu e você devemos desejar a justiça para o culpado, porque isso é também uma forma de Deus ser glorificado.

Logo, quando a justiça não é aplicada na nossa nação o Senhor Deus não se agrada, não fica feliz.

4. Pagamento de impostos

No versículo 5, com relação ao pagamento dos impostos, lemos que é necessário que haja submissão às autoridades, não apenas por causa da possibilidade de uma punição mas também por questão de consciência.

O Senhor Jesus nos deu um exemplo de cidadania quando questionado pelos líderes religiosos sobre se pagava ou não impostos o Senhor Jesus foi e pagou o imposto como outro cidadão qualquer.

Há muitos cristãos que estão negligenciando essa parte. Estão sonegando impostos, comprando o que não devem e o que não podem sabendo que não podem comprar e tendo seus nomes negativados. 

Isso, não é justo isso e não está de acordo com que o Senhor Deus espera de mim e você. Devemos ser submissos as autoridades não por causa da possibilidade de uma de uma punição mas também por questão de consciência.

Devemos exercer, a nossa Cidadania de uma forma completa. A nossa submissão às autoridades é também um reflexo do nosso cristianismo saudável, um exemplo da nossa fé.

5. Não seja devedor

Os Versículos de 6 a 8, mostra que o imposto é o pagamento de um serviço e que não devemos ser devedores.

No nosso país sabemos que a carga tributária é alta, e que muitos não o fazem.  Mas, como cidadãos enquanto eu você estivermos observando a vida do outro, não vamos agradar a Deus.

O Senhor Deus nos chama para submissão às autoridades, então, pague seus impostos seja uma pessoa correta, justa, pague a cada um o que lhe é devido. 

A nossa mentalidade enquanto cidadãos brasileiros é o de dever muito no cartão de crédito quando chegam as crises, muitas vezes, estamos descobertos. E, esse erro cometemos por não estudar as escrituras. 

Com José, aprendemos um princípio financeiro simples e poderoso simples: na abundância guarde para que na escassez você tenha o suficiente. ]

Não deva nada a ninguém a não ser o amor de uns pelos outros. Com isso, apredemos que não podemos ser caloteiros, nem por por negligência ter o nosso nome negativado. Precisamos ser justos e corretos e dar exemplo em toda as áreas da nossa vida porque aquele que ama seu próximo tem cumprido a lei. 

Precisamos ser bons cidadãos! Os nossos governantes são um reflexo daquilo que eu e você somos no nosso dia a dia. Sendo assim, se você é um mau cidadão, você não pode esperar ter um bom governo. 

Mas, se formos bons cidadãos que cumprem a palavra de Deus e ora a Deus, nesse sentido, assim como Daniel, Neemias e José tenho certeza que o Senhor Deus ouvirá nossas orações e mudaá a nossa nação.  

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Jesus e a Bíblia © 2020. Todos os direitos reservados.