A volta de Jesus Cristo é o evento mais aguardado de todos os tempos, por todos os cristão do mundo em todas as épocas. É verdade que à medida que o tempo passa, o assunto se torna cada vez menos abordado e mais e mais tabus vão sendo feitos em torno do assunto.

Podemos dizer que é um dos temas mais controversos do cristianismo. As profecias bíblicas, os falsos alarmes, o desejo de adivinhar, são alguns elementos que tornam a tarefa realmente difícil de ser solucionada.

De toda forma, neste estudo bíblico sobre a volta de Jesus, vamos analisar as palavras de Paulo ministrada ao Tessalonicenses. Em sua segunda carta o apóstolo fala de maneira bastante clara sobre o assunto e isso com certeza no ajuda a traçar um raciocínio mais eficaz sobre o evento.

Este estudo faz parte de uma série, escrita sobre a volta de Jesus. A sequência é:

  1. Jesus Está Voltando: Saiba Porquê
  2. A Volta de Jesus Cristo:
  3. O Arrebatamento da Igreja:

Portanto, aperte os cintos. Fique confortável e “BORA!”

A Volta de Jesus e a Justiça de Deus

Ele punirá os que não conhecem a Deus e os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus. Eles sofrerão a pena de destruição eterna, a separação da presença do Senhor e da majestade do seu poder.

Isso acontecerá no dia em que ele vier para ser glorificado em seus santos e admirado em todos os que creram, inclusive vocês que creram em nosso testemunho. (2 Tessalonicenses 1:8-10)

O apóstolo Paulo inicia a Segunda Carta aos Tessalonicenses, apresentando a volta de Jesus como manifestação da justiça de Deus. Isto, porque os cristãos de Tessalônica estavam sendo severamente perseguidos por causa de sua fé.

É possível que as tribulações tenham sido motivo de questionamento sobre o amor e a bondade de Deus, em meio a tudo isso.

A revelação apresentada por Paulo esclarece que a justiça de Deus não é omissa, parcial ou demorada. Ela é perfeita, assim como o Senhor é. Aqueles que não se submeteram ao senhorio de Cristo, sofrerão eternamente à distância de Deus, com angústia, lamento e dor.

A Volta de Jesus e o Homem do Pecado

Não deixem que ninguém os engane de modo algum. Antes daquele dia virá a apostasia e, então, será revelado o homem do pecado, o filho da perdição. (2 Tessalonicenses 2:3)

Antes que venha “o Grande Dia do Senhor”, há um personagem que vai ser protagonista no período: O homem do pecado. Ele representa os falsos profetas, os milagres atribuídos a imagens de esculturas e outras formas de idolatria.

Devemos lembrar que o Senhor Jesus fez referência a ele, em Mateus 24.24 -27:

Pois aparecerão falsos cristos e falsos profetas que realizarão grandes sinais e maravilhas para, se possível, enganar até os eleitos. Vejam que eu os avisei antecipadamente. “Assim, se alguém lhes disser: ‘Ele está lá, no deserto! ’, não saiam; ou: ‘Ali está ele, dentro da casa! ’, não acreditem. Porque assim como o relâmpago sai do Oriente e se mostra no Ocidente, assim será a vinda do Filho do homem. (Mateus 24:24-27)

A pessoa apresentada por Paulo, como o homem do pecado é provavelmente uma referência ao Anticristo, que aparece nas revelações de João em Apocalipse 13.

A Volta de Jesus e a Responsabilidade do Cristão

Irmãos, em nome do nosso Senhor Jesus Cristo nós lhes ordenamos que se afastem de todo irmão que vive ociosamente e não conforme a tradição que receberam de nós. Pois vocês mesmos sabem como devem seguir o nosso exemplo, porque não vivemos ociosamente quando estivemos entre vocês […] (2 Tessalonicenses 3:6,7)

Em seu alerta aos Tessalonicenses sobre a iminente volta de Jesus, Paulo fala sobre a responsabilidade pessoal que cada tem com relação a fé. Neste ponto, o apóstolo os exorta a manter distância do pecado e daqueles que o apoiam.

O objetivo é preservar a santificação e o zelo pelos mandamentos bíblicos, que tem a finalidade de gerar em nós as virtudes do Espírito Santo.

A expectativa da volta de Jesus, deve nos motivar a esperá-lo da maneira adequada, prontos. E como fazemos isso?

Comparando o nosso estilo de vida, com as recomendações da Palavra de Deus.

Devemos ser pacientes no sofrimento, perseverantes na tribulação, dedicados à oração e sempre com uma fé saudável, firme no Senhor.

A Volta de Jesus e o Falsos Alertas

Todos os cristãos podem ser iludidos. Infelizmente, somos mais propensos a ser convencidos de que os outros estão errados que a considerar a possibilidade de que podemos estar enganados. Paulo advertiu os tessalonicenses para não acreditar nas falsas cartas nem nos rumores (2.2). O mal pode parecer bom (2.9). (1)

Desde a minha conversão, em 2001, muitas foram as vezes e versões que ouvi sobre a volta de Jesus e os “sinais que estavam se cumprindo”. O número 666 que surgiria no código de barras, o chip do cartão de crédito, as digitais utilizadas na agência bancário, o chip para rastreamento pessoal, enfim.

À medida que a humanidade se desenvolve e a tecnologia avança, as pessoas ficam tentando adivinhar quais os elementos utilizados no fim, que assegurarão a volta de Jesus.

O apóstolo Paulo aconselha os Tessalonicenses a rejeitar as suposições sem fundamento. Devemos nos preocupar com amar a Deus sobre todas as coisas, o nosso próximo como a nós mesmos e perseverar na fé.

Fazendo isso, qualquer que seja o momento ou a circunstância da volta de Jesus, estaremos prontos.

Sinais da Volta de Jesus

“Quando virem Jerusalém rodeada de exércitos, vocês saberão que a sua devastação está próxima. Então os que estiverem na Judéia fujam para os montes, os que estiverem na cidade saiam, e os que estiverem no campo não entrem na cidade. Pois esses são os dias da vingança, em cumprimento de tudo o que foi escrito.

Como serão terríveis aqueles dias para as grávidas e para as que estiverem amamentando! Haverá grande aflição na terra e ira contra este povo. Cairão pela espada e serão levados como prisioneiros para todas as nações. Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos deles se cumpram. (Lucas 21:20-24)

Muitas pessoas, ao ler ou ouvir estas palavras imaginam que elas são uma profecia para o século XXI, mas é um grande equívoco.

O Senhor Jesus está profetizando a destruição de Jerusalém ocorrida em 70 d.C durante a invasão dos romanos (Ver o Estudo: Jesus Está Voltando (URGENTE!)).

Devemos nos lembrar que o Senhor está respondendo aos discípulos sobre quando o Templo será destruído e quando Jerusalém será arrasada. Com isso, ele aponta uma série de eventos (sinais) que antecederão este fato.

Jesus não estava dando a seus discípulos um aviso sobre coisas que aconteceriam no século XXI. Estava dizendo: “Observem o que está acontecendo entre agora e o tempo em que Jerusalém for destruída”. No entanto, Jesus tinha muito mais a dizer, incluindo a advertência sobre a aparição do “abominável da desolação”. Consideraremos este ensino no capítulo seguinte. (2)

Ou seja, a destruição de Jerusalém e do Templo em 70 d.C, marca o início do fim. E o estabelecimento de Israel como Nação, em 1947 mostra que o verão se aproxima e a videira pode florescer a qualquer momento. Isto é, a volta de Jesus pode acontecer a qualquer momento.

O Arrebatamento

Dizemos a vocês, pela palavra do Senhor, que nós, os que estivermos vivos, os que ficarmos até a vinda do Senhor, certamente não precederemos os que dormem. Pois, dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá do céu, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro.

Depois disso, os que estivermos vivos seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares. E assim estaremos com o Senhor para sempre. (1 Tessalonicenses 4:15-17)

A segunda volta de Jesus será precedida pelo arrebatamento da Igreja. De acordo com a revelação recebida pelo apóstolo Paulo, os mortos ressuscitarão primeiro, e os que estiverem vivos serão arrebatados.

Há divergência teológicas sobre quando o arrebatamento acontecerá. Alguns estudiosos acreditam que antes da grande tribulação, outros durante e os que defendem que será depois.

De qualquer forma, ele é um evento determinante para a Igreja, pois marcará o fim das eras como conhecemos e iniciará um novo período de eternidade com Cristo, para os que foram remidos.

Conclusão

A segunda volta de Jesus Cristo é o evento mais aguardado por cristãos de todas as épocas. Os sinais que inauguram esta expectativa se cumpriram com a destruição de Jerusalém em 70 d.C e com o estabelecimento de Israel como nação em 1947.

Os conselhos de Paulo aos Tessalonicenses sobre a volta de Jesus, devem servir para nós. Uma atitude vigilante de santificação e honra, além de maturidade espiritual, são determinantes para que não sejamos enganados pelos falsos ensinos e falsos alarmes acerca do evento.

Por fim, como conselho, eu lhe exorto a desenvolver sua fé de maneira sadia e dedicada. Como um servo fiel, pronto para receber o seu Senhor a qualquer momento.

Referências

  1. Manser, M. H. (2013). Guia Cristão de Leitura da Bíblia. (D. Pereira, V. Araujo, F. Machado, & A. Soares, Orgs., L. Aranha, Trad.) (1a edição, p. 367). Bangu, Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus. 
  1. Sproul, R. C. (2015). Estes são os Últimos Dias?. (T. J. Santos Filho, Org., F. Wellington Ferreira, Trad.) (1a Edição, Vol. 19, p. 24). São José dos Campos, SP: Editora FIEL.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here