Ensinamentos de Jesus - 15 Que Podem Mudar Sua Vida

Os ensinamentos de Jesus são revolucionários! Ao longo de 2000 anos ele têm transformado de forma extraordinária a vida de bilhões de pessoas.

Com um maneira inovadora e profunda, Jesus ministrou seus ensinos no turbulento contexto de domínio romano sobre a Palestina. As regiões da Galileia e Cafarnaum, onde a maioria deles foram ministrados, eram exploradas pelo império Romano. Isso fez com que Jesus ensinasse diretamente aos corações feridos e sem esperança do judeus e atraísse para si milhares de seguidores.

A importância do ensino de Cristo é imensurável. Suas palavras são eternas. Elas curam, restauram, promovem salvação e reconciliação com Deus, sabedoria, prosperidade, paz, enfim, a lista é infinita.

Nesse estudo bíblico apresento os ensinos de Jesus sobre:

  • O Filho de Deus;
  • No Sermão da montanha;
  • O Pão da vida;
  • A fé;
  • A humildade;
  • O perdão;
  • O Reino de Deus;
  • A água da vida;
  • A luz do mundo;
  • O amor ao próximo;
  • A oração;
  • A felicidade;
  • A hipocrisia;
  • A riqueza;
  • O Bom Pastor.

Essas doutrinas tem o poder de mudar sua vida. Espero que goste!

1. “O Filho de Deus”

Ao tornar-se homem Jesus não perdeu sua essência divina (João 1:18). Ele e o Pai são um só. Eles vivem em uma formidável comunhão (João 5.18). Os ensinamentos de Jesus são fruto desse relacionamento.

Alguns reis selêucidas reivindicaram para si o título de “Deus”. Jesus, no entanto, não apenas reivindicou, mas como ele mesmo declarou Ser Deus (João 5:36). O ministério, os milagres, sua morte na cruz e sua ressurreição testemunham que o fato

Enquanto está sendo julgado pelo sumo sacerdote, Caifás, antes de ser condenado a crucificação o Senhor Jesus permanece em silêncio, até o momento em que é questionado, sobre sua divindade.

Para a lei judaica isso era ilegal.

A intenção de Caifás era fazer com que Jesus incriminasse a si mesmo. No entanto, o Filho de Deus entende que o silêncio a essa pergunta em especial, significa negar sua essência. Então Ele declara diante de todos que é o Cristo, o Messias prometido no Antigo Testamento ( Mateus 26.64)

Jesus reivindica a sua Divindade publicamente as autoridades judaicas. O que as deixa perplexa. Caifás jamais esperou por isso! Ou Jesus era muito louco, ou Ele realmente era o Filho de Deus!

Foi quando o sumo sacerdote rasgou as próprias vestes e disse e acusou ao Senhor de blasfêmia, e todos começaram a dizer que sua condenação era a morte (Mateus 26:63-66).

Assim foi, condenado, torturado, crucificado e morto, Jesus confirmou ser o Filho de Deus ao terceiro dia, no domingo. A ressurreição é a poderosa confirmação de sua autoridade como Deus (Atos 2.24).

2. O Sermão da Montanha

No sermão da montanha há uma preciosa lista dos ensinamentos de Jesus (Mateus 5.1-12). Na primeira parte estão as bem-aventuranças, onde Ele nos mostra quem são os mais do que felizes, os plenamente abençoados:

  1. Os humildes de espírito (vv.3)
    2. Os que Choram… serão consolados (vv.4)
    3. Os Mansos (vv.5)
    4. Os que têm fome e sede de justiça (vv.6)
    5. Os misericordiosos (vv.7)
    6. Os limpos de coração (vv.8)
    7. Os pacificadores (vv.9)
    8. Os perseguidos por causa da justiça (vv.10)
    9. Injuriados por causa de Jesus (vv.11)

Na segunda parte do sermão da montanha o ensino de Jesus abrange muitos aspectos da vida cotidiana:

  1. Os discípulos devem ser sal e luz (vv.13,14)
    2. O propósito de Jesus é cumprir a lei na sua verdadeira essência (vv.17)
    3. A nossa justiça deve exceder a dos fariseus (vv.20)
    4. A reconciliação (vv.23-26)
    5. O divórcio (vv.31,32)
    6. O Juramento (vv.33-37)
    7. O Amor ao próximo (vv.38-48)

Os ensinamentos de Jesus no sermão da montanha continuam no capítulo 6 abordando muitos temas importantes:

  1. A esmola (vv.1-4)
    2. A oração (vv.5-13)
    3. O perdão (vv.14,15)
    4. O jejum (vv.16-18)
    5. Os bens (vv.19-21,24,25)
    6. Como ver a vida (vv.22,23)
    7. A ansiedade da vida (vv.25-34)

Por fim, no capítulo 7 Jesus ensina sobre:

  1. Oração (vv.7-11)
    2. A porta estreita (vv.13,14)
    3. Os falsos profetas (vv.15,16)
    4. A árvore boa e má (vv.17-13)
    5. Os que são firmados sobre a rocha (vv.24-27)

3. “O Pão da Vida”

Em João 6.35 é a primeira vez em que Jesus se apresenta como o “Eu Sou”. E em quatro ocasiões Ele se apresenta como “pão”:

  1. Pão do céu (João 6.32)
  2. Pão de Deus (João 6.33)
  3. Pão da vida (João 6.35)
  4. Pão vivo (João 6.51)

Ao passo que Moisés trouxe consigo uma mensagem ouvida sobre o monte, Jesus trouxe uma mensagem proveniente do céu. Sendo Ele o único capaz de dar a vida eterna. Isso tudo se deve ao fato de Jesus ser o Unigênito do Pai.

Sabemos que as informações genéticas dos pais são repassadas para os filhos por meio do DNA. O DNA de Jesus possui as informações genéticas de Deus Pai. Ele é o único filho que possui essência de “Deus”. Isso dá autoridade suficiente a ele para garantir que é o pão da vida.

Para ir até Jesus precisamos primeiro crer (João 6:35). A fé produz o arrependimento e o Espírito Santo produz a regeneração, o novo nascimento. Enquanto esteve no deserto o povo de Israel recebia o maná (Êxodo 16.35) para satisfazer suas necessidades temporárias. Mantê-los alimentados.

Os ensinamentos de Jesus, no entanto, satisfazem todas as necessidades do ser humano. Sejam elas espirituais ou terrenas. A fome espiritual e a incessante busca do verdadeiro Deus só podem ser satisfeitas em Cristo.

Os aldeões galileus estavam acostumados a passar horas e mais horas trabalhando pela provisão, pelo sustento de suas famílias. Mas Jesus ensina que devemos empregar um maior esforço para nos alimentar do alimento espiritual que Ele preparou para nós (João 6.27)

O ensino de Jesus revela uma nova e mais urgente necessidade: a fome espiritual. Somente a busca sincera a Deus por meio de Seu Filho nos conduzirá a vida eterna de perfeita paz.

4. A Fé

O propósito dos ensinamentos de Jesus na Galileia era desenvolver a intimidade dos seus discípulos com Deus e com seu poder. Nesse episódio em particular eles perguntam a Jesus porque não conseguiram expulsar o espírito maligno. Jesus lhes responde que é por causa de sua pequena fé (Mateus 17:19,20).

Como a maioria das coisas saudáveis da vida, a fé também começa pequena. O segredo da fé não está na verdade em seu tamanho. Mas na qualidade.

Por isso Jesus diz que uma fé pequena como um grão de mostarda é capaz de fazer grandes coisas, como mover montanhas. A fé saudável e que produz resultados possui 3 características principais:

1. Deve vir de Deus;
2. Ser posta em Deus;
3. Ser produto da personalidade de Deus.

Nos dias de Jesus, havia uma espécie de provérbio popular chamado de “removedor de montanhas”. Mas o que é isso? Esse título era dado aos rabinos que se destacassem no ensino, na pureza, nas obras.

Para Jesus o removedor de montanhas era alguém que participava da verdadeira fé em Deus. Alguém que apresentava desenvolvimento espiritual sadio e sincero.

Embora pequena como um grão de mostarda a fé do removedor de montanhas é capaz de fazer coisas incríveis por causa da saúde da semente. Mesmo sem ser inchada pelos agrotóxicos da religiosidade é cheia da essência de Deus.

Os ensinos de Jesus nos mostram que a verdadeira fé, a fé saudável, nos molda a imagem de Cristo. A verdadeira fé não é uma fé ingênua. Embora pequena, muitas vezes, é consistente. Não se deixa abalar por coisas pequenas.

5. Jesus Ensina Sobre a Humildade

Os ensinamentos de Jesus trazem um novo mandamento. O amor (João 13:34). O amor é a lei que orienta o cristão e está diretamente ligada ao serviço, a humildade. Em um mundo egocêntrico e cheio de preconceitos de classe, Jesus ensina que a verdadeira grandeza está em servir ao próximo.

“O serviço ao próximo não apenas conduz a grandeza; é ser grande”. (Russel Champlin)

A grandeza do cristão não está nas multidões que lhe ouvem. Na reverência que lhe dedicam. Nas roupas, calçados, carros ou casas que possuí. Está no quanto ele (a) é capaz de servir.

A grandeza através da humildade e do serviço era um ensino reconhecido pelos filósofos dos dias de Jesus. Mas mesmo nesses dias era algo que não tinha a menor importância.

Cristo ensina que não devemos ver assim. A humildade é uma das colunas vitais dos ensinamentos de Jesus. Essa é a visão que deve fazer parte de nossas vidas.

Enquanto ensina aos seus discípulos, ele põe uma criança nos braços e declara que precisamos ser tão humildes quanto uma criança. Que o maior entre nós, é quem serve mais.

A criança possui pelo menos três aspectos:

1. Fragilidade;
2. Necessidade de orientação;
3. Amor.

Duas lições são apresentadas aqui:

1. Agir caridosamente e servir são evidência do novo nascimento.
2. Honram a Jesus.

Portanto devemos cuidar de agir com humildade com quem quer que seja. Não apenas com pessoas que estão em um “patamar acima” do nosso. Mas também com pessoas “menores” do que nós.

6. O Perdão

Os ensinamentos de Jesus deixam claro que devemos perdoar uns aos outros (Mateus 18:21,22). O perdão é o oxigênio dos relacionamentos. É o que os mantém respirando.

Havia na tradição judaica o pensamento de que o perdão devia ser liberado por até três vezes para a mesma pessoa, após isso a justiça religiosa devia ser feita.

Um dos pontos que gera muita confusão é quanto a justiça comum, contra pessoas que transgridem a lei, como: traficantes, assassinos, ladrões, etc. Eles devem ser perdoados?

Precisamos considerar Romanos 13.1 – 6, onde o apóstolo Paulo esclarece esta questão de maneira magistral. 

5 Verdades sobre Romanos 13.1 – 6

  1. As autoridades foram instituídas por Deus;
  2. Quem se rebela contra a autoridade está se rebelando contra Deus;
  3. Quem o faz, traz condenação sobre si;
  4. A lei é para nossa proteção;
  5. A lei pune o transgressor.

Portanto as leis, constituições, tribunais, enfim, todo o sistema judiciário foi instituído por Deus. Cada país deve, portanto, se organizar e criar suas leis de forma imparcial e justa, afim de garantir o bem-estar de todos.

Sabemos que há muitas leis injustas. Inclusive muitas delas transgridam a lei de Deus. Dessa forma a Bíblia deve ser a carta Magna da nossa vida. Estamos desobrigados a cumprir todas as leis e regulamentos humanos que ferem as Escrituras.

O perdão deve ser prática diária e deve fazer parte da nossa consciência. O que quero dizer?

Assim que formos ofendidos a primeira coisa que devemos lembrar é a de que para recebermos perdão, devemos perdoar (João 20:23).

Sendo assim a mãe pode perdoar o assassino de seu filho. Mas alegrar-se em que a justiça seja feita com sua detenção, como aplicação da justiça. O perdão é a arma que nos mantém em paz diante dos nossos ofensores e não a desculpa para sermos cúmplices da injustiça.

Os transgressores da lei devem receber punição da justiça humana, mas isso não tira deles a oportunidade de receber de Deus o perdão que os transformará, regenerará. O perdão que irá transformá-los em outra pessoa, a semelhança de Cristo.

7. O Reino de Deus

“Não tenho onde reclinar a cabeça”. Os ensinamentos de Jesus produziram muitas consequências e uma delas foi sua expulsão da sinagoga. Ele era um rabino “solitário”, agora. Não tinha apoio das autoridades religiosas. Era uma espécie de profano, herege.

Ao ouvir a promessa de um discípulo, em Lucas 9:57-62, Jesus deixa claro para ele que o discipulado exige o melhor do ser humano. O discípulo não pode ser atraído pela impressão, apenas. Sua motivação deve ser a conversão e o arrependimento. Não o entusiasmo.

O discipulado não é humanamente atraente, pois ele promete solidão, perseguição, dificuldades, sacrifícios. Exige uma aproximação sincera e incondicional a Jesus Cristo. O Reino de Deus exige prioridade máxima. Tudo fica em segundo lugar. Nada mais é tão urgente.

Para seguir a Cristo, é preciso morrer todos os dias. Ser crucificado. Só assim, conseguiremos trilhar seus passos (lucas 9.23)

Um elemento indispensável para ser um cidadão no Reino de Deus é o novo nascimento. É exatamente o que Jesus diz ao mestre da lei, Nicodemos (João 3:3).

O Reino de Deus é somente para os salvos. Os remidos em Cristo Jesus. Para aqueles que foram libertos do poder do pecado.

8. A Água da Vida

Na Judéia, o capítulo 7 do Evangelho de Jesus segundo João, destaca a presença de Jesus na Festa dos Tabernáculos (ou Tendas), em Jerusalém, e muitos já estão à sua procura. A essa altura Ele é alguém bastante conhecido.

Durante os dias da festividade, Jesus vai ao Templo e ministra para as pessoas que estão no pátio, elas por sua vez, ficam impressionadas com sua sabedoria e com a facilidade com que ele ensina as verdades de Deus (João 7. 15 – 17).

Na Festa dos Tabernáculos havia um ritual bastante significativo. A comemoração toda tinha duração de 8 dias, mas durante os sete primeiros, o sacerdote trazia água tirada do tanque de Siloé, em um vaso de ouro seguido por uma multidão que entoava os salmos de Halel (113 a 118). Essa era uma oferta de gratidão ao Senhor pela provisão de água no deserto e pela chuva.

Ao ver esse ritual o Senhor Jesus percebe uma grande oportunidade de ensinar ao povo, sobre as promessas de Deus que se cumpriam nEle, a Fonte de Água Viva. Ele convida a todos para segui-lo e saciar sua sede espiritual, em sua busca pela verdade (João 7:37,38).

A grande lição aqui, é a de que o relacionamento com Jesus é mais importante do que toda aquela cerimônia anual e renderia mais frutos.

9. A Luz Do Mundo

No dia seguinte, enquanto ainda estava escuro, Jesus foi para o Monte das Oliveiras, provavelmente para orar. Quando amanheceu ele estava novamente no Templo. Aquele dia, as autoridades religiosas trouxeram a Ele, uma mulher pega em flagrante adultério, com o objetivo de colocá-lo em contradição. Eles fizeram questão de citar que para a lei a mulher era réu de morte, mas queriam saber qual o parecer de Jesus (João 8.3)

Escrevendo na areia, Jesus respondeu que aquele, que dentre eles nunca tivesse cometido pecado, que atirasse pedra contra a mulher. Envergonhados, todos saíram até que ficou apenas, o Cristo e a mulher adúltera. Conversando com ela, o Senhor a perdoou e aconselhou que não fizesse mais aquilo (João 8.7 – 11).

Durante a Festa dos Tabernáculos, os átrios do Templo de Jerusalém eram ricamente iluminados com o propósito de que a celebração pudesse continuar a noite. Quatro grandes candelabros de ouro, na forma de candeeiros de vários ramos, projetavam luz sobre toda a cidade.

Essa iluminação serviu de inspiração para Jesus declarar que era a luz do mundo. E quem o seguisse, jamais andaria em trevas (João 8.12).

Jesus é, portanto, a coluna de fogo mais importante e viva do que aquela que guiou os israelitas no deserto. Ele é luz eterna que nos guia no deserto da vida.

Esses ensinamentos de Jesus têm uma repercussão bombástica na cabeça dos fariseus e mestres da lei. Isso dá início há uma discussão calorosa e histórica entre eles e Jesus.

Há pelo menos quatro episódios importantes a partir daí:

1. Jesus anuncia sua morte (João 8.28); 

2. Revela ser a Verdade (João 8.31,32,36);

3. Diz aos fariseus que eles são filhos do diabo (João 8.44);

4. Afirma que é maior do que Abraão (João 8.58).

Os ensinamentos de Jesus possuem essência celestial. Não é à toa que bilhões de pessoas ao longo de 2 mil anos ainda testemunham as maravilhas de sua lei. 

A essa altura Jesus está ensinando na Judeia há quase seis meses. Há um ano atrás, Ele havia reunido seus 12 apóstolos e os enviou para ensinar o Reino de Deus, agora reúne 70 discípulos e os envia de dois em dois somando um total de trinta e cinco pares de pregadores do Reino. A intenção é que eles preparem o coração do povo para receber o ensino do Messias prometido. Foi na Judeia que Jesus destacou a imensidão da obra, e a grande necessidade de trabalhadores (Lucas 10,2,3).

10. O Amor ao Próximo

Ainda perto de Jerusalém Jesus recebe a visita de alguns judeus com intenções múltiplas: aprender e testar!

Sendo assim rapidamente um deles, perito na lei, pergunta ao Mestre, o que é necessário fazer para herdar a vida eterna (Lucas 10:25). Por que um perito na lei faria uma pergunta dessas? Isso é com certeza um teste. A intenção do fariseu é fazer Jesus cair em uma armadilha e ofender aos judeus.

Então Jesus, devolve, perguntando o que está escrito na lei e como ele entende?

O fariseu prontamente baseia sua resposta em Deuteronômio 6:5 e Levítico 19:18, dizendo que devemos amar ao Senhor Deus com todo o nosso ser (Lucas 10:27). 

A resposta é satisfatória, e o Senhor o elogia, exortando que ele deve fazer isso para herdar a vida eterna (Lucas 10.28). Então é isso? Acabou? Não mesmo!

O fariseu não está satisfeito em que Jesus apenas concorde com ele. Precisa provar que o Mestre é um impostor e que ele, sim é justo diante de Deus. Então “querendo justificar-se, perguntou a Jesus: “E quem é o meu próximo? ” (Lucas 10:29)

No modo de crer judaico, a palavra “próximo” refere-se somente aos que obedecem a lei judaica, interpretando de forma equivocada Levítico 19.18. Conseguimos perceber que este pensamento estava enraigado na mente deles, quando analisamos as palavras de Pedro na casa de Cornélio em Atos 10.28.

Na ocasião, o apóstolo conta que sua resistência em seguir a direção do Espírito para estar na casa de Cornélio, se devia ao fato de ele e sua família, ser toda de gentios.

Com isso, os judeus acreditam ser justo tratar com bondade apenas os judeus, cumpridores da lei e desprezar abertamente um não judeu, pois ele não e o seu próximo.

Sabemos que uma das características mais marcantes dos ensinamentos de Jesus, é o seu amor.

Ele ama não apenas os gentios. Ama também os judeus. No fundo ele sabia que aquele homem acreditava estar sendo agradável a Deus. Para não o ofender e ensiná-lo corretamente, Jesus conta a Parábola do Bom Samaritano (Lucas 10:30-33).

Muitos dos sacerdotes e levitas que ajudam no Templo moram em Jericó. A distância de um para o outro é de aproximadamente 23 quilômetros e o caminho é perigoso porque há muitos ladrões na estrada.

O homem que está ouvindo a história de Jesus sabe disso com certeza. Sabe também que o sacerdote e o levita, ao ver um judeu em dificuldade devem ajudá-lo. No entanto, na história de Jesus eles não o fazem, quem oferece ajuda é o samaritano, povo extremamente desprezado pelos judeus.

Jesus continua ensinando, mostrando que além de cuidar de suas feridas e enfaixá-lo, o bom samaritano pagou as despesas da hospedaria adiantado e deixou acordado que se fosse necessário, pagaria mais (Lucas 10.34,35).

Os ensinamentos de Jesus são profundamente cheios de sabedoria, isso é inegável. E nesse ponto da história o Mestre pergunta ao perito judeu, qual dos três tinha agido como o “próximo” do homem. 

Com hesitação e vergonha, mas sem opções, o fariseu responde que foi aquele que o ajudou. (Lucas 10:36,37)

Glória a Deus! Que sabedoria!

Se Jesus apenas tivesse dito que o próximo daquele homem era qualquer um, incluindo os não judeus, provavelmente ele não daria ouvidos e provocaria uma confusão. A ilustração quebra o pensamento tradicional judeu e revela o verdadeiro sentimento da Lei.

11. O Ensinamento de Jesus Sobre a Oração

O modelo de oração ensinado por Jesus, aos seus discípulos, revela Deus como Pai (Lucas 11:1-4). Algo revolucionário. Os judeus só o viam como um Deus distante. Como o Deus de Abraão, Isaque e Jacó. Mas Jesus nos revela que ele é também o nosso Deus!.

Há três elementos que Cristo revela que podemos pedir na oração:

1. Provisão (Lucas 11.3)
2. Perdão (Lucas 11.4)
3. Livramento (Lucas 11.4)

Outra recomendação feita pelo Senhor é a de que a oração deve ser carregada de Perseverança (Lucas 11.8-12). Se você deseja alcançar a bênção de Deus pela oração, persevere o suficiente para alcançar.

12. Jesus Ensina Sobre A Felicidade

Os padrões de felicidade atuais incluem muito mais o ter do que o ser. Para Jesus as pessoas verdadeiramente felizes são aquelas que tem comunhão real com Ele. Que conhecem a Deus (Lucas 11:27,28). 

A Josué, o Senhor Deus diz que se ele quiser ser feliz e prosperar, ele deve meditar no ensino e obedecê-lo (Josué 1.8)

3 Verdades sobre a verdadeira felicidade:

1. Felicidade real, constante e duradoura só tem quem conhece e vive as Escrituras;
2. Obediência aos mandamentos produz crescimento em todas as áreas da vida;
3. A felicidade produzida pela obediência a Deus, nos conduz com clareza pela vida (Salmos 119.105)

13. A Visão de Jesus Sobre a Hipocrisia

Os escribas (escritores) da lei, criaram uma série de regulamentos que deviam ser observados pelos judeus. Não havia qualquer ligação com a Lei, na verdade era uma espécie de complemento, chamada de abluções rituais.

A obra completa é chamada de Talmude. Um conjunto de regulamentos que o próprio Deus jamais havia ordenado,  e é considerado mais importante que a própria Lei de Moisés e o Antigo testamento.

Um dessas regras dizia que antes, durante e depois de cada refeição o judeu devia fazer uma espécie de purificação. Em uma bacia de água limpa mergulhava suas mãos completamente, depois levantava aos céus aguardando até que escorresse aos cotovelos.

Significando assim, que estava purificados de qualquer contato com o mundo, com os gentios, e com o Império Romano, podendo oferecer um sacrifício agradável a Deus.

Os ensinamentos de Jesus por sua vez, visam a glória de Deus e a verdadeira interpretação da Lei. Por isso, ele critica fortemente o fariseu pelo fato de estar profundamente preocupado com rituais exteriores e esquecendo de ter limpo o seu coração, conforme se vê em Lucas 11:37-41.

14. Jesus Ensina Sobre A Riqueza

Ao contar a Parábola do Rico Insensato, Jesus nos mostra que não condena o homem pelo simples fato dele ser rico. O Senhor não o reprova por suas riquezas terem raízes desonestas. O que faltou a esse homem foi se relacionar com Deus.

Ao perceber que não tem espaço suficiente em seus celeiros para guardar o que sobra, ele se preocupa apenas em aumentá-los. Não pensa em dividir parte disso com os mais necessitados. Não pede direção a Deus sobre como usá-las. Ele quer apenas ter mais.

Em nenhum momento sua alma buscou a Deus. Quando ele aumenta suas propriedades para armazenar mais, morre. Agora terá de prestar contas ao Soberano Juiz, com quem ele não tem nenhum bem. 

Com isso Jesus nos ensina, que o problema do pecado não está na riqueza, mas na forma como lidamos com ela.

15. O Bom Pastor

No trecho bíblico de João 10.10-15, Jesus nos ensina que a direção errada produz a perda. A intenção primária do ladrão é furtar, mas se for necessário ele destrói e mata.

Há muitas autoridades religiosas que só pensam nos bens das ovelhas. Não estão nenhum pouco interessadas em seu bem-estar. Estão roubando seus bens. Matando suas almas. Destruindo suas vidas e a esperança delas em Deus.

Jesus por outro lado nos ensina que o Bom Pastor, dá a vida pelas ovelhas. Ele mesmo fez isso. Ao morrer na Cruz, Cristo ofereceu sacrifício agradável a Deus por nós, pecadores.

Seus ensinamentos nos revelam o quanto ele nos ama e se importa realmente conosco. Demonstrando seu amor não apenas com palavras, mas com atitudes que ainda hoje repercutem. Jesus veio para nos dar vida! E muita vida! Vida abundante!

Ele não quer te ver cabisbaixo. Com vontade de morrer. Desanimado. Ele quer te ver sorrindo. Lutando. Conquistando. Vencendo.

Conclusão

Os ensinamentos de Jesus Cristo nos revelam 15 verdades:

  • Ele é Deus;
  • Seus ensinos podem ser aplicados em todas as áreas da vida;
  • Eles alimentam definitivamente: alma e corpo;
  • Nos ensinam a crer corretamente;
  • Nos tornam sinceramente humildes;
  • Criam em nós um caráter perdoador;
  • São os únicos que podem nos conduzir ao Reino de Deus;
  • Saciam nossa sede pela verdade;
  • Ampliam a nossa visão;
  • Nos fazem ver o que realmente é importante;
  • Nos ajudam a ter verdadeiro relacionamento com Deus;
  • Produzem verdadeira felicidade;
  • Nos tornam sinceros;
  • Nos fazem perceber o que realmente tem valor;
  • Nos mostram o quanto Deus nos ama.

Espero que tenha gostado!

Deixe o seu comentário! Deus abençoe!

49 COMENTÁRIOS

  1. Foi incrível a experiencia de ler esses fatos que você descreveu com tanta sensibilidade. Agradeço a Deus pela minha pesquisa na internet ter me direcionado para ler e aprender com o seu conteúdo. Diego, eu louvo ao Senhor por sua inteligencia e capacidade de minunciosamente descrever detalhes dobre os ensinamentos de Jesus Cristo!

  2. Caro amigo Lucas,

    O espírito santo de Deus lhe usou para escrever este texto simples, claro e esclarecedor sobre os ensinamentos dele e como devemos aplicá-los nas nossas vidas.

    Muitíssimo obrigado e fica com Deus!

  3. nossa achei esse artigo e nao consegui para mais de ler creio que o proprio Deus mim trouxe aqui pois estava desanimada mais au ler mim sinto renovada porque Deus e tao bom deu teu filho por amor de nos se tenho agradece a Deus pela tua vida e continui ti dando essa sabedoria

  4. Estou impressionada! Não apenas uma aula de Teologia, como também de História!
    Conheci Jesus por meio das evidências históricas dos Evangelhos, mas meu ceticismo foi insuficiente para compreender sua grandeza… Ele se tornou o amor da minha vida!
    Informações como as que o senhor nos ofereceu tornou possível minha aproximação com o Mestre e o entendimento de seus ensinamentos. Que Deus o abençoe por seu ministério!

  5. De Fato isso é ser igreja! É avançar com os ensinamentos de Jesus! Não apenas falar dos milagres das coisas terrenas, pois devemos fazer o Reino de Deus crescer levando o evangelho aos que não conhece, lê o livro ” fica ao seu critério a escolha é sua” Deus abençoe.

  6. depois de 18 anos congregando tenho passado por muitas situações dificeis que me levaram alguns questionamentos. Não vejo a igreja como antes, sinto falta da essencia dela, e buscando mais conhecer sobre Jesus acabei na sua pagina.Fiz varias anotações, pretendo buscar mais. Suas palavras estão me dando direção. Quero agradecer e desejar que o Senhor continue te usando.

  7. Bom dia, Diego.
    Obrigado, por compartilhar conosco seu conhecimento de forma clara e precisa.
    Gostaria que me orientasse, para mim está com Cristo, é conhecer a Palavra e aprender e fazer o que Ele ensinou.
    Por favor me responda.
    Obrigado Bênção.

    • É também, Maria. Mas antes disso tudo, para estar em Cristo é necessário nascer de novo.

      Isso acontece mediante arrependimento e confissão pública de que Jesus Cristo é o Senhor da sua vida.

      A partir daí, conhecendo, guardando e vivendo os ensinamentos do Senhor é possível dizer que se está em Cristo.

      Espero que tenha lhe ajudado.

      Deus abençoe!

  8. Amei esse estudo. Ensinamentos de Jesus muito bom.
    quero sempre receber em meu email esse que edifica
    cada dia a minha vida. Porque esta conectado com a
    palavra de Deus e muito gostoso e prazeroso,.

  9. gostei muito principalmente sobre o “PERDÃO”, hoje sei que devo realmente perdoar pra poder seguir adiante!!!! obrigada senhor por ter me guiado a abrir esse site. e entender que devo perdoar para DEUS ENTRAR EM MEU CORAÇÃO E MUDAR MINHA VIDA.

  10. A PAZ DO SENHOR IRMÃO. A 5ª REF. BIBLÍCA DO 1º ENSINAMENTO DE JESUS É ATOS 2:24, AO INVÉS DE ROMANOS. ESTAVA ACOMPANHANDO O ESTUDO E NÃO HAVIA ENCONTRADO ESSA REFERENCIA. MAS AGORA ENCONTREI E ACHEI LINDO ESTE VERSÍCULO. VOU TERMINAR O ESTUDO TENHO CERTEZA QUE É BENÇÃO DE DEUS. DEUS ABENÇOE E CONTINUE FAZENDO ESTE TRABALHO QUE O SENHOR ENTREGOU EM SUAS MÃOS, POIS É DE DEUS, ESTÁ NOS ABENÇOANDO E IRÁ ALCANÇAR MUITAS VIDAS VIU (o SENHOR me tocou quanto á esta palavra)!! JESUS TE ABENÇOE! 🙂

  11. Oi Diego muito do que você disse é sua interpretação sobre o que Jesus ensinou. São conclusões, onque vc entendeu. Você omitiu um ensino claro que Jesus fez sobre o zÚnico Deus verdadeiro e qual é a função do querido Mestre diante do Deus Único. João 17,3. O texto que você cita como “o Deus unigênito”, não faz parte dos originais. Concluindo você está pregando a tua ideia como se fosse m as ideias de Jesus.

    • Oi Mello!

      Eu discordo de você, este estudo bíblico é baseado no que as autoridades teológicas da atualidade e da história da Igreja, consideram como verdade. Homens como D. A Carson, Russel Shedd, Hernandes Dias Lopes. Aliás no Concílio de Nicéia, realizado em 325 d.C, muitas das afirmações que faço neste estudo foram consideradas como verdade.

      Com relação ao único e verdadeiro Deus, eu não falei, porque já escrevi um estudo abordando apenas isso, você pode conferir neste link: https://www.jesuseabiblia.com/estudos-biblicos/estudo-biblico-sobre-deus/

      De qualquer forma, você é completamente livre para discordar de mim, mas não é “coisa da minha cabeça”.

      Deus abençoe!

  12. Excelente artigo, muitíssimo obrigado, eu estava aqui montando um texto como uma espécie de manual pra eu mesmo seguir na vida e melhor me instruir nela, nessa, claro, preciso de coisas sólidas e verdadeiras para me orientar corretamente. Primeiro eu tinha reunido os 10 Mandamentos, depois os pecados capitais, e depois pesquisei pelos Ensinamentos de Jesus, que creio serem as partes essenciais para me pautar em tudo na vida, simples, direto, puro e verdadeiro, salvei no meu documento aqui todos os tópicos e as partes do artigo para me orientar. Muitíssimo obrigado mesmo pelo excelente texto, pois pra mim pelo menos com certeza absoluta foi de grande ajuda.

    Que Deus o abençoe muito pelo trabalho e glórias a nosso Soberano Salvador Jesus, O Rei do Universo!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here