Como Será o Arrebatamento da Igreja? (ESCLARECIDO!)

O arrebatamento da Igreja é o evento mais esperado pelos cristãos desde o retorno de Cristo aos céus. A promessa de que vai voltar para buscar seus irmãos, faz com que todos os dias bilhões de pessoas mantenham viva a expectativa do grande dia do Senhor.

Quando o arrebatamento da Igreja ocorrer, os servos fieis de Cristo se juntarão a Ele nas alturas e nunca mais enfrentarão a morte, o choro, a dor ou qualquer flagelo da vida terrena.

Em nossos dias, este tem sido um assunto que causa bastante dúvida e confusão em muitos cristãos. Mas neste estudo bíblico, quero esclarecer e apresentar o conteúdo da maneira mais clara possível.

ENTÃO “VAMO” COMEÇAR!

Pois bem, este artigo é parte da série de estudos bíblicos sobre a volta de Jesus. Caso não tenha lido ainda, é bom que você o faça. Ao final, provavelmente o assunto será mais claro para você.

A sequência é:

Jesus Está Voltando: Saiba Porquê Pode Ser Agora (URGENTE!)

A Volta de Jesus: Tudo o Que Você Precisa Saber

Como Será o Arrebatamento da Igreja? (ESCLARECIDO!)

O Ensino de Paulo Sobre o Arrebatamento da Igreja

O apóstolo Paulo voltou sua atenção para outra área de deficiência no entendimento dos tessalonicenses (1 Tessalonicenses 4:13), que provavelmente havia chegado à sua atenção por intermédio de Timóteo.

Embora Paulo já tivesse mencionado o arrebatamento da igreja nesta carta (1:10; 2:12, 19; 3:13), ele se voltou para ele novamente e dedicou considerável espaço às instruções e exortações que tratam do retorno de Cristo (4: 13–5: 11).

O assunto do resto do 1 Tessalonicenses 4 é o relacionamento do retorno do Senhor aos crentes que morreram. Esta é a passagem clássica na Bíblia sobre o o assunto.

Paulo introduziu essas instruções de maneira a não culpar os tessalonicenses por sua falta de conhecimento. Afinal, eles eram novos crentes. Ele novamente os chamou de irmãos, enfatizando sua igualdade diante de Deus, apesar de sua deficiência de conhecimento.

Os Que Dormem

Aqueles que dormem são os cristãos que morrem. A figura do sono para a morte é comum no Novo Testamento (cf. Marcos 5:39; João 11:11). Este não é o sono da alma, no entanto, porque Paulo escreveu em outro lugar que um cristão que está ausente de seu corpo está presente com o Senhor (2 Cor. 5: 8; cf. Filipenses 1:23; 1 Ts. 5:10). ).

É antes o “sono” do corpo na terra até que seja ressuscitado, transformado em um corpo glorioso e reunido à alma (1 Coríntios 15: 35–57; 2 Coríntios 5: 1–9).

Paulo queria que os tessalonicenses não fossem ignorantes nem lamentassem como o resto dos homens, isto é, como os incrédulos, pela morte dos irmãos na fé.

Os cristãos se entristecem com a perda de entes queridos; esta é uma experiência humana normal que até Jesus compartilhou (João 11:35). Mas a dor dos cristãos difere da dos incrédulos, pois os últimos não têm esperança de ressurreição corporal para glória com Cristo (1 Ts 4:16).

Vai Acontecer!

Duas razões pelas quais os cristãos não devem se entristecer como os incrédulos, são que os cristãos têm uma revelação de Deus que lhes dá esperança e eles têm um futuro glorioso com Cristo (1 Tessalonicenses 4:14).

Tão certamente quanto Jesus morreu e foi ressuscitado pelo Pai, assim Deus unirá os mortos ressuscitados em Cristo com seu Salvador em Sua vinda.

A morte e ressurreição de Jesus Cristo estão entre os fatos mais comprovados da história. Como os cristãos sabem que esses eventos ocorreram, eles podem estar igualmente certos, disse Paulo, que as almas dos crentes que morreram voltarão com Cristo quando Ele vier para Seus santos vivos.

A profecia do Arrebatamento é tão certa de ser cumprida quanto as profecias da morte e ressurreição de Cristo.

Pode Acontecer Agora!

A revelação desta ressurreição veio do próprio Jesus Cristo. Como isso aconteceu com Paulo não é conhecido, mas talvez tenha sido uma revelação direta.

Não somente as almas dos mortos em Cristo retornarão com Ele (1 Tessalonicenses 4:14,15), mas seus corpos também serão ressuscitados em Sua vinda. Os corpos dos cristãos mortos serão ressuscitados imediatamente antes que os cristãos vivos passem pelo arrebatamento.

Claramente, Paulo acreditava que ele e seus leitores tessalonicenses poderiam estar vivos quando o Senhor retornasse. Ele acreditava que o arrebatamento da Igreja era iminente, que poderia acontecer a qualquer momento (cf. 1:10; 1 Coríntios 7:29, “o tempo é curto”; Fp 4: 5, “o Senhor está próximo”) . E esta verdade da iminência trouxe conforto (1 Ts 4:18).

Algumas Questões Sobre o Arrebatamento

Jesus Cristo agora está à direita de Deus no céu (Romanos 8:34; Efésios 1:20; Colossenses 3: 1; Hebreus 1: 3). Ele vai deixar essa posição e descer para a terra. Paulo enfatizou que seria o mesmo Jesus que havia ascendido através das nuvens (cf. At 1,11).

Os sons mencionados em 1 Tessalonicenses 4:16 – um comando alto, com a voz do arcanjo e com a trombeta de Deus – são difíceis de interpretar.

Quem vai dar o grito alto?

Será o próprio Jesus (cf. João 11:43), ou o arcanjo Miguel (Daniel 10:13; Judas 9), ou outro anjo?

É este um toque literal de trombeta, ou Paulo estava falando figurativamente ao descrever o chamado de Deus pelo qual Ele anunciaria o Advento de Seu Filho? (cf. 1 Cor. 15:52)

Esses três fenômenos podem se referir à mesma coisa, mas provavelmente são três anúncios quase simultâneos separados anunciando o retorno de Cristo. Embora a curiosidade sobre esses aspectos do Arrebatamento da Igreja não seja totalmente satisfeita nesta passagem, uma coisa é clara: o retorno de Cristo para Seus santos será anunciado do céu de maneira vigorosa e dramática.

Então os mortos em Cristo serão ressuscitados, isto é, os crentes desta dispensação serão ressuscitados. Os santos do Antigo Testamento serão evidentemente ressuscitados no final da Grande Tribulação (Daniel 12: 2), pois a frase “em Cristo” refere-se exclusivamente aos santos da Era da Igreja.

Os corpos dos mortos em Cristo ressuscitarão antes que os cristãos vivos sejam arrebatados ao encontro do Senhor nos ares (1 Ts 4:17).

Como Deus levantará os corpos de pessoas que foram enterradas centenas de anos atrás?

E quanto aos corpos daqueles cristãos que foram queimados até a morte e aqueles cujas cinzas foram jogadas ao vento, e cristãos que pereceram no mar?

A ressurreição dos mortos representa um grande problema para a fé de muitos. Talvez seja por isso que Paulo enfatizou que essa revelação veio do próprio Jesus Cristo e que é tão certo da realização futura quanto a ressurreição de Jesus é um fato da história passada.

O Deus que criou o universo a partir do nada, com uma palavra é plenamente capaz de remontar os corpos decaídos de todos os Seus santos em um momento de tempo (cf. 1 Cor 15: 35-58).

Como Será o Arrebatamento da Igreja?

Depois disso, os que estivermos vivos seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares. E assim estaremos com o Senhor para sempre. (1 Tessalonicenses 4:17)

Considerando que 1 Tessalonicenses 4:16 explica o futuro dos santos mortos no retorno de Cristo, 1 Tessalonicenses 4:17 lida com o que acontecerá aos crentes vivos (cf. 1 Coríntios 15: 51-52).

Depois que os corpos de cristãos mortos forem levantados, aqueles que ainda estiverem vivos e tiverem sido deixados para trás momentaneamente, serão alcançados com eles nas nuvens para encontrar o Senhor nos ares.

Novamente Paulo, usando a palavra nós (“nós que ainda estamos vivos e somos deixados”; cf. 1 Tessalonicenses 4:15), colocou-se no grupo vivo; ele pensou que Cristo provavelmente retornaria em sua vida, ou pelo menos ele permitia sua possibilidade.

Apenas um momento separará a ressurreição dos mortos e o arrebatamento dos vivos (1 Coríntios 15: 51-52). Em latim a palavra para “arrebatado” é rapturo, da qual vem o termo “arrebatamento”.

Este é o arrebatamento da igreja, quando os cristãos são arrebatados para encontrar Cristo nas nuvens (cf. Atos 1: 9). Os eventos descritos aqui e na passagem paralela, 1 Coríntios 15, diferem consideravelmente daqueles que acompanharão a volta de Cristo à terra para estabelecer Seu reino terreno (Apocalipse. 19: 11–21).

Essa diferença substancia a distinção entre o arrebatamento e a segunda vinda.

Os corpos ressuscitados ou “raptados” de todos os cristãos estarão unidos a Cristo e uns aos outros no arrebatamento. A partir desse momento e para sempre, eles estarão com o Senhor.

O Senhor levará os crentes vivos ao lugar que Ele está preparando para eles (João 14: 2–3). Mas o lugar onde os cristãos estarão não é tão importante para Paulo como a Pessoa com quem eles encontrarão.

“Todo o conteúdo e valor do céu, toda a bem-aventurança da vida eterna, é para Paulo resumido no único pensamento de estar unido a Jesus, seu Salvador e Senhor” (Borhemann, citado por George G. Findlay, As Epístolas de Paulo Apóstolo dos Tessalonicenses, Cambridge: University Press, 1904, p. 103).

Conclusão

O resultado lógico e prático desta revelação é conforto e encorajamento (1 Tessalonicenses 4:18). Paulo aplicou sua escatologia à vida e convocou seus leitores a encorajar (parakaleite; cf. 2:12; 3: 2) um ao outro com estas palavras.

Os fatos que os cristãos que morreram serão ressuscitados para se juntar aos santos vivos com o Senhor Jesus quando Ele vier, que aqueles que estão vivos serão unidos a eles, e que todos juntos estaremos com o Senhor para sempre, nos dá abundantes razões para regozijo.

Não só os cristãos não se afligem como os incrédulos, mas os seguidores de Cristo podem realmente ansiosamente aguardar o grande dia do arrebatamento da Igreja.

Esta é a grande esperança da igreja, ver o Senhor e estar unida a Ele para sempre. É aquilo que todo crente nesta Era deve antecipar. É uma esperança abençoada (Tito 2:13) com respeito aos mortos em Cristo, bem como aos vivos!

Referências

Constable, T. L. (1985). 1 Tessalonicenses Em J. F. Walvoord & R. B. Zuck (Orgs.), O Comentário do Conhecimento da Bíblia: Uma Exposição das Escrituras (Vol. 2, p. 703–705). Wheaton, IL: Victor Books.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here