Jesus

Saudades De Jesus

Já sentiu?

Gostaria de ter estado no barco de Simão Pedro quando Jesus ordenou que este fosse para onde as águas são mais profundas?

De ter testemunhado o episódio em que Ele ressuscitou a filha de Jairo? “Talitá cumi”, Menina, a ti te digo: levanta-te, e ela levantou. Palavras ligeiras. Milagre certo. Parece tão fácil para Ele, e em verdade é.

Saudades de acordar e ver o seu rosto, como os discípulos viram… O privilégio é notório, e João diz:

“O que era desde o princípio, o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida (porque a vida foi manifestada, e nós a vimos, e testificamos dela, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai e nos foi manifestada), o que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos…” (I João 1.1-3).

A Presença de Jesus é ímpar.

Onde está?

Não é a saudade incrédula, que tem a fé no fio-da-meada, como a de Tomé: “porque viste creste”. Mas a fé ingênua e ao mesmo tempo temperada, como a da igreja primitiva, cuja saudação era: maranatha, o Senhor vem.

“E o Espírito e a esposa dizem: Vem! E quem ouve diga: Vem! E quem tem sede venha; e quem quiser tome de graça da água da vida” (Apocalipse 22.17).

Após ver a glória de Deus, João quer mais de Deus. Quer que Ele venha.

E quando Jesus vier, veremos o seu rosto, não o desfigurado, mas o glorificado. Assim como Ele é o veremos, face a face.

Mas enquanto esperamos não se preocupe: “Não vos deixarei órfãos”. Garantiu. Não estamos sozinhos. Ele está perto.

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, estudante de Teologia e Administração. Seu amor por Jesus o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.