Parábola da Candeia - Jesus e a Bíblia

A Parábola da Candeia nos mostra que tentar viver uma vida dupla, fazendo coisas que desagradam a Deus às escondidas é inútil. O Senhor Jesus enfatiza alguns pontos que devem sempre ter a nossa atenção, em nossa intimidade com Deus.

Estudar esta parábola nos ajudará a refletir sobre a necessidade de sermos verdadeiros e viver um estilo de vida que agrade a Deus e revele sua glória.

Portanto, “feche a porta” e “coloque o cinto”. VAMOS VIAJAR!

O Lugar Apropriado

Uma das marcas dessa parábola é que a luz deve estar no lugar apropriado, pois a sua função é iluminar. Observe o seguinte:

A cama a que se faz referência aqui (Lucas 8:16) era uma espécie de colchonete que, quando não usado, era enrolado. Ninguém, diz que Jesus, pensaria em acender uma lâmpada e em seguida cobri-la com esta ou aquela vasilha ou pô-la debaixo de um colchonete enrolado. A lâmpada acesa deve estar no candeeiro. Só então é que ela serve ao seu propósito para quem entra na casa. (Hendriksen, W. (2014). Lucas. (V. G. Martins, Trad.) (2a edição, Vol. 1, p. 524). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.)

Seguindo esse raciocínio, para o Senhor Jesus era natural que os seus discípulos deixassem sua luz brilhar neste mundo. Sua vida, escolhas, obras, tudo deveria refletir a presença e influência de Cristo.

Para isso, a Palavra de Deus, isto é a boa semente, deve germinar e brotar em nossos corações de forma que o nosso caráter seja transformado e influenciado por ela.

A Revelação do Oculto

A humanidade vive como se não houvesse Deus. Os ensinamentos bíblicos, os valores cristãos e o amor a Deus e ao próximo estão, dia-após-dia sendo deixados de lado.

Contudo, a Parábola da Candeia nos revela que nada ficará oculto para sempre, tudo será revelado (Lucas 8:17). Isto significa, que o estilo de vida longe de Deus será confrontado no final.

Por mais que hoje, as pessoas vivam como se Ele não existisse e aparentemente se dão bem com isso, por não haver muitas vezes uma resposta imediata ao pecado, o juízo de Deus se revelará sobre a iniquidade.

A instrução de Paulo aos Coríntios, nos revela que há um dia em que o Senhor Deus trará tudo à luz (1 Coríntios 4:5). Mas mesmo em nossos dias, muitas pessoas fazem muitas coisas, acreditando que nunca serão descobertas, mas acabam sendo.

A Parábola da Candeia e os Nossos Deveres

Já percebemos que as parábolas de Jesus expressam profundas verdades espirituais. E com esta não é diferente.

Aqui, assim como na parábola do semeador, o Mestre nos exorta a estar atento. Isto é, a ouvir suas palavras, prestar atenção e praticar (Lucas 8:18).

Com isso, pelo menos três exigências:

  1. Que eles devem ouvir (Lc 8.8b), estando a ênfase no ouvir em contraste com a recusa em ouvir;
  2. O que eles devem ouvir (Mc 4.24), em contraste com o que não devem ouvir; e
  3. Como eles devem ouvir (nesta passagem, Lc 8.18), atentamente, judiciosamente, em contraste com como não devem ouvir. (1)

Deve haver em nós atenção total ao ensino de Cristo, pois a maturidade e profundidade da nossa fé, está diretamente ligada a essa devoção. Observe:

Em harmonia com contexto precedente (veja especialmente o v. 15), o sentido deve ser: quem, com a devida atenção e desejando a salvação, ouve a mensagem e, pelo exercício da fé, a obedece, produzindo fruto, receberá as bênçãos da salvação numa medida sempre crescente. (Hendriksen, W. (2014). Lucas. (V. G. Martins, Trad.) (2a edição, Vol. 1, p. 526). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.)

Com isso entendemos, que no Reino de Deus quanto mais avançamos no conhecimento e na prática, mais ganhamos. Sendo o contrário verdade, quanto mais conhecemos e não praticamos, mais perdemos.

Conclusão

A Parábola da Candeia nos ensina que a nossa vida deve resplandecer a luz de Cristo. Deve ser expresso através da nossas vidas, escolhas e atitudes a vontade de Deus e um estilo de vida que o agrada e revela Jesus Cristo.

Tentar se esconder é inútil, pois no devido tempo tudo será revelado e não há absolutamente nada que esteja encoberto diante do nosso Deus. Dessa forma, devemos estar atento a nossa obediência, devoção e atenção aos ensinos do Senhor Jesus.

 

Referências:

(Hendriksen, W. (2014). Lucas. (V. G. Martins, Trad.) (2a edição, Vol. 1, p. 525). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here