Parábola do Administrador Infiel

A parábola do administrador infiel é um alerta poderoso. O Senhor Jesus, utiliza a figura de um servo infiel para nos mostrar a urgência de estarmos prontos para quando chamados a prestar contas ao nosso Deus.

O objetivo desta parábola não é falar ao descrente, mas ao cristão, aqueles que têm um relacionamento com Deus. Mostrando que devemos nos dedicar ao Evangelho de Jesus em todo tempo, para estar prontos quando formos chamados.

O Administrador Infiel e a Prestação de Contas

A primeira lição que Jesus destaca na parábola é o fato de que todos nós vamos prestar contas a Deus, sobre a maneira como administramos a nossa maneira de viver (Lucas 16:1,2).

O senhor observou que o seu servo estava negligenciando as ordens. Isso fez com que o seu senhor exigisse um esclarecimento. A parábola do administrador infiel nos leva a seguinte pergunta: “O que apresentarei quanto for chamado a prestar contas?”

Por isso o Cristo nos alerta: Eis que venho em breve! A minha recompensa está comigo, e eu retribuirei a cada um de acordo com o que fez. (Apocalipse 22:12)

Criando Relacionamentos

Ao ser confrontado pelo seu senhor, o infiel temeu o julgamento. Reconhece suas limitações e utiliza o tempo e a autoridade que têm em sua função, para ir a cada um dos devedores e oferecer a eles um desconto generoso (Lucas 16:3-7). O propósito é criar bons relacionamentos para que quando perder o emprego tenha a quem recorrer.

O que o administrador infiel fez é muito utilizado pelas agências de crédito em nossos dias. O setor de cobrança é responsável por entrar em contato com os devedores oferecendo a eles um bom desconto ou parcelamento de suas dívidas sem adicional de juros, com a promessa de quitação total dos débitos e cancelamento de restrição de crédito.

Agora Sim!

O Senhor Jesus não utiliza esta parábola para incentivar a desonestidade. O seu objetivo maior é abrir os nossos olhos para a urgência da prestação de contas. O julgamento (Lucas 16:8).

Ao que parece o servo infiel, não estava fazendo seu trabalho como deveria. Talvez estivesse deixando de cobrar aos devedores de seu senhor, o que lhe causaria muitos danos financeiros.

Nesta parábola, o Senhor Jesus faz uma crítica ao cristianismo sem compromisso. Sem Seriedade. Comprometimento. Aos “cristãos nominais” que não se importam nenhum pouco com o Reino de Deus, apenas com suas próprias necessidades.

É uma crítica aqueles que pensam: “Eu e minha casa estamos bem, os outros que se danem! ”. Não evangelizam. Não servem a Igreja. Nunca podem ou sabem fazer nada. Tem medo de tudo. Não querem incomodar ninguém.

Acerca destes está escrito: Mas os covardes, os incrédulos… o lugar deles será no lago de fogo que arde com enxofre. Esta é a segunda morte”. (Apocalipse 21:8)

A outra crítica do Senhor Jesus, é a de que os incrédulos mostram mais dedicação e determinação em seus projetos do que seus irmãos, os cristãos.

Basta observamos os esportes. A dedicação dos atletas para ganhar uma medalha, título, recompensa, honrar a nação, entrar para a história, etc. Eles dão sua vida por aquilo (1 Coríntios 9:25-27).

É Preciso Dedicação

Jesus encerra a parábola do administrador infiel com um conselho: “Usem…” (Lucas 16:9,10). Ele nos aconselha a utilizar nossos recursos para atrair o maior número possível de pessoas até ele, até o Reino de Deus. O projeto do Senhor é o de que ninguém se perca.

“Quem é fiel no pouco, também é fiel no muito”. Mais uma vez o Senhor Jesus, procura remover os empecilhos que todos nós somos tentados a colocar. Não é necessário muito! Se formos fiéis no pouco, veremos resultados. O muito virá como consequência.

O servo infiel começou a reconstruir seus relacionamentos, a partir das pessoas com as quais ele convivia, os devedores. Comece comunicando o Evangelho de forma natural aos seus amigos e parentes. Seja para eles a “a voz que clama”. Quem sabe você não é o próximo D. W. L. Moody ou a próxima Susana Wesley.

Conclusão

A parábola do administrador infiel é um alerta ao julgamento eterno. O Senhor Jesus, procura através dessa ilustração abrir os nossos olhos para a seriedade do cristianismo.

Ele alerta que o Senhor é severo e exige que administremos bem a graça que a cada um de nós foi concedida. Deixa claro que ele não irá tolerar a preguiça, a falta de compromisso.

Por fim, ele nos aconselha a usar tudo o que temos, neste mundo, para comunicar o evangelho. A criar relacionamentos com os incrédulos e de forma natural comunicar a eles o Reino de Deus.

Essa é com certeza uma parábola fantástica, não é? O que você gostaria de acrescentar a esse estudo bíblico? Deixe seu comentário?

Se acredita que ele é proveitoso compartilhe com o maior número de pessoas possíveis, abençoe a vida delas. Você pode começar a anunciar o Evangelho a partir deste texto. 

Deus abençoe!

6 COMENTÁRIOS

  1. Muito edificante e profundo o estudo, meu irmão! Eu fui muito edificado com o mesmo. Que Deus te ilumine, irmão Diego, para que você continue levando a palavra de Deus a todos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here