A importância da parábola do bom samaritano para o cristianismo é algo que não dá para calcular. Jesus Cristo utilizou um exemplo fantástico para ensinar sobre o segundo mandamento. Ele nos apresenta a essência do que significa amar ao próximo. Quem é o nosso próximo e como devemos tratá-lo.

Por isso, eu lhe estimulo a ler este estudo até o final, pois a compreensão desse tema nos nossos dias possui uma importância sem precedentes na história. Nunca fomos tão exigidos no amor ao próximo. As mazelas sociais, doenças da alma, e o sumiço do afeto natural promovem essa necessidade.

Portanto, leia até o final e aproveite a “viagem”!

Parábola do Bom Samaritano: Contexto 

Mas ele, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: “E quem é o meu próximo? “.

A parábola do bom samaritano nasceu de um teste. Um perito na lei, quis pôr Jesus a prova quanto a questão do amor ao próximo (Lucas 10. 25). O Senhor sabendo quem ele era, lhe pergunta: “O que está escrito na lei?” (vv. 26).

A resposta do perito foi: ‘Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o seu entendimento’ e ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’”. (Lucas 10:27).

Cristo ratificou a resposta dele, mas como se tratava de um teste, o perito na lei questionou sobre quem seria o “próximo”. Após essa pergunta Jesus começa a ministrar a parábola do bom Samaritano.

O Caminho 

Em resposta, disse Jesus: “Um homem descia de Jerusalém para Jericó, quando caiu nas mãos de assaltantes. Estes lhe tiraram as roupas, espancaram-no e se foram, deixando-o quase morto. (Lucas 10.30)

Não foi sem razão que o Senhor deu início a parábola do bom samaritano utilizando o caminho de Jerusalém para Jericó, como cenário da ilustração.

Jericó era a morada de inverno de Herodes “O Grande”. Ele ornamentou a cidade e a deixou extremamente bonita e atraente, uma espécie de ponto turístico. Por essa razão muitos viajantes trilhavam esse caminho.

Como uma coisa chama a outra, inúmeros assaltantes se colocavam na estrada a fim de atacar os viajantes que muito provavelmente traziam consigo, dinheiro e bens.

O Sacerdote e o Levita

Parábola do Bom Samaritano - O Sacerdote de o Levita

Aconteceu estar descendo pela mesma estrada um sacerdote. Quando viu o homem, passou pelo outro lado. E assim também um levita; quando chegou ao lugar e o viu, passou pelo outro lado. (Lucas 10.31,32)

Muitos sacerdotes e levitas trilhavam esse caminho. Isso se dava porque um bom número deles morava em Jericó e serviam no Templo em Jerusalém.

É bem verdade que eles preferiam o caminho via Belém, embora mais longo, oferecia maior segurança. Apenas quando estavam mais apressados é que eles pegavam o caminho direto, “Jericó – Jerusalém”.

Na parábola do bom samaritano, os representantes de Deus ao ver o homem moribundo e ferido ao chão, passaram “pelo outro lado”, não se importaram. É possível que ao ver a vítima eles imaginassem que se parassem para ajudar os salteadores poderiam atacá-los da mesma forma.

O que Jesus Cristo deixa evidente aqui é o egoísmo do sacerdote e do levita. Ao contrário do Bom Pastor, eles ignoraram a necessidade do próximo porque provavelmente colocaria a segurança deles em perigo. Nos nossos dias esse descaso é apresentado por muitos países, ao negar, terminantemente ajuda a refugiados de guerra.

O Samaritano…

Mas um samaritano, estando de viagem, chegou onde se encontrava o homem e, quando o viu, teve piedade dele. (Lucas 10.33)

Jesus não fez de um samaritano o personagem principal dessa parábola, à toa. Desde que Samaria, capital do reino do norte foi conquistada pelos assírios em 722 a.C que a adoração ao Deus de Israel ficou comprometida.

Isso aconteceu como consequência da mistura das raças. A princípio com assírios, depois os gregos, enfim, eles foram entrando e interferindo no sistema de adoração.

Os samaritanos ergueram um Templo em Gerizim para realizar adoração, mas sua liturgia incluía apenas a lei de Moisés, eles não criam na mensagem transmitida pelos profetas.

A mistura das raças e a diferença de culto, fez com que os judeus desenvolvessem uma verdadeira aversão aos samaritanos. Passaram a não ser considerados filhos de Israel ou descendentes de Abraão, visto que não eram “puros”.

Sabendo disso o Senhor Jesus usa alguém de Samaria na parábola, para a ilustração do amor ao próximo, visto que ele era desprezado e considerado um herege, pelos judeus.

O Bom Samaritano 

Aproximou-se, enfaixou-lhe as feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e cuidou dele. No dia seguinte, deu dois denários ao hospedeiro e disse-lhe: ‘Cuide dele. Quando voltar lhe pagarei todas as despesas que você tiver’. (Lucas 10.34-35)

O samaritano aproximou-se do homem ferido não apenas para observá-lo, mas para cuidar dele. Abrindo mão de sua segurança sem, contudo, desprezar seu próximo.

Dedicou tempo para aplicar vinho e óleo, demonstrado preocupação, zelo, excelência por alguém que precisava de ajuda, embora não fosse conhecido.

Além disso, não satisfeito, o bom samaritano deslocou a vítima para uma hospedaria e arcou com todas as despesas atuais e deixou a conta aberta. Caso novos débitos fossem gerados ele pagaria na volta. O caráter do bom samaritano é excepcional. É a essência do que deve ser o caráter cristão.

Em nossos dias é possível que no lugar do sacerdote e do levita, Jesus Cristo colocasse um padre ou um pastor. E para o lugar do samaritano, um representante dos grupos minoritários: negro, homossexual, índio, latino, cigano, pobre, etc. 

Forte não é?

Essa era e é a intenção de Jesus na parábola. Não importa quem é a pessoa ou o que ela faz. Se é ser humano, é seu próximo.

Quem é o Próximo na Parábola do Bom Samaritano

“Qual destes três você acha que foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes? “

“Aquele que teve misericórdia dele”, respondeu o perito na lei. Jesus lhe disse: “Vá e faça o mesmo”. (Lucas 10:29-37)

Na parábola, Jesus coloca o samaritano em um nível superior ao sacerdote e ao levita, “os representantes de Deus”. Embora tenha sido algo inadmissível para o perito na lei, ele não teve como discordar do exemplo.

Jesus respondeu ao perito na lei de forma magistral sobre quem é o nosso próximo. Deixando claro não só para ele, mas para todas as gerações que o Evangelho é uma mensagem global, ou seja, para todos os povos, raças, línguas e nações.

Conclusão 

A parábola do bom samaritano é um clássico ensinamento do Mestre Jesus. Milhares de sermões já foram ministrados, peças foram encenadas, cartas foram escritas e revoluções desencadeadas com base nesse ensino.

Que eu e você possamos não apenas conhecê-la, mas sobretudo que Deus nos conceda sabedoria e graça, para que sejamos “o bom samaritano” da nossa geração.

O que você acha? Deixe seu comentário. Exponha sua opinião. Será ótimo saber o que você pensa sobre o assunto. Não esqueça de compartilhar este estudo bíblico com seus parentes e amigos.

Deus abençoe!

21 COMENTÁRIOS

  1. Apaz do senhor Jesus Cristo, eu amei o comentário, muito excelente, vou fazer desse comentários meus ensinamentos ,obg que Deus continue te abençoando e te usando

  2. Muito bom e esclarecedor esse estudo vou levar essa mensagem no culto de mulheres na minha igreja e pretendo usar alguns pontos dessa pregação Jesus continue te abençoando

  3. Paz e graça concordo plenamente meu amigo que devemos ser mais do que religiosos e sim irmãos de Cristo com certeza é muito fácil vestimos a nossa roupa limpa cheirosa e irmos para casa de Deus adorarmos mostrarmos que conhecemos a verdade que conhecemos Deus mas ao sairmos na calçada não vivermos aquilo que representamos.
    O que Deus espera de nós é que nós tenhamos um coração igual ao dele um coração doador e não coração egoísta que só pensa em si, quem teve uma experiência com Deus Sobrenatural e teve a vida mudada não pode proceder como sacerdote e como levita.

  4. Acho fantástico que Jesus cita o sacerdote e o levita brevemente, mais qundo fala do samaritano o ritmo das falas são detalhadas, parou ,cuidou, colocou sobre sua cavalgadura, levou a uma estalagem, etc..enfim que exemplo de amor ao próximo.
    Diego adorei sua colocação sobre o texto. Deus te abençoe.

  5. A paz meu nobre tenho a companhado os seus estudos e tem sido pra mim uma fonte espiradora passei a a acompanha e tenho me beneficiado desses estudos que pra mim tem sido uma maravilha que deus te abençoe meu amigo…

  6. Muito boa a reflexão e nos desafia frente as situações atuais de assaltos e crimes praticados por facçoes. Nos deixam com medo até de participar de velórios e/ou visitar as familias enlutados por estas situações

  7. Tenho refletido sobre essa parábola,e me perguntado o que estou fazendo em uma igreja,estou eu exercitando o amor ao próximo,fiquei muito contente com ao me deparar com esse texto,me ajudou bastante,tenho que trabalhar essa parábola com adolescentes.

  8. Se o próximo na parábola é o samaritano(o que teve amor e
    compaixão ) e o mandamento é amar o próximo então devemos amar aqueles que têm compaixão de nós? Gostaria de entender melhor o sentido da parábola.

  9. Esse tipo de exemplo só poderia ter vindo de Jesus, o verdadeiro Deus vivo entre nós, fico feliz em poder compartilhar um exemplo tão bonito e humano.

  10. estive meditando qto aos 2 grandes mandamentos da lei/ qto ao primeiro que é mais fácil aceita-lo ;;;; amai ao senhor nosso deus de todo entendimento e de tdas as forças de nossos corações

    agora; uma das coisas mais difíceis de se praticar é amar ao próximo como a nós mesmos´pois esta escrito;;;;; o amor de muitos esfriará / e com isso a vinda do senhor jesus é iminente.
    SENHOR JESUS CRISTO, FILHO DO DEUS VIVO,TENDE MISERICÓRDIA DE NÓS

  11. Muito boa mensagem, afinal de contas vivemos num momento histórico em que é imperativo que deixemos nossas diferenças de lado para expressar o amor de Deus ao nosso próximo e assim fazer cumprir o ide e fazer discipulos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here