Parábola do Fermento - Jesus e a Bíblia

A parábola do fermento é contada logo após a parábola da mostarda, embora sejam semelhantes, elas possuem pontos de diferença marcantes no objetivo da mensagem de Jesus.

Sendo assim, convido você a ler todo o estudo. Ele é curto e profundo!

O Fermento e o Reino

Jesus inicia a parábola do fermento de modo semelhante à do grão de mostarda. A ideia dele continua a mesma, mostrar que o Reino de Deus, embora estivesse em um pequeno começo se expandiria (Lucas 13:20).

Podemos perceber o seguinte, há provavelmente um paralelo complementar aqui. Pois, a mostarda simboliza o crescimento externo de Reino, isto é, entre os povos e as nações.

Já o fermento, é um símbolo do desenvolvimento do Reino dentro de nós. Ele cresce. Se expande a ponto de influenciar nosso estilo de vida e decisões.

O Fermento e a Massa

O ponto fundamental  que Jesus está salientando  na parábola do fermento é: o Reino Deus, introduzido nos corações e nas seres humanos de fora, uma vez incluso  exerce uma influência sadia (Lucas 13:20,21).

Após isso, conduz  os homens para o alvo da constância  que Deus lhes aconselhou. Ao agir assim, o Reino afeta  favoravelmente cada esfera de suas vidas.

O propósito do crente não é só atingir  ao céu quando falecer  ou apenas ser um ferramenta  nas mãos de Deus para conseguir  outros, mas em todo território  submeter todo pensamento à submissão e vontade do Redentor  (veja 2Co 10.5), isto é, pretender  que não só cada nação, mas também cada área  da vida das pessoas, o exalte.

Portanto, o verdadeiro servo de Cristo, ativamente promove  causas como a extinção  da escravatura, a recuperação  dos direitos da mulher, o alívio da privação, o repatriamento, se conveniente, do desalojado (se não for realizável, então ajuda de outro tipo), a instrução  do analfabeto, a reorientação das belas artes de trato com os ideais cristãos, etc.

Ele promove a retidão  entre os que lideram e os que são submissos, tanto nas tarefas, quanto na indústria e negócio. Enquanto faz tudo isso, testemunha do Evangelho de Jesus ao próximo.

Que esse “fermento” do domínio de Jesus  nos corações, vidas e domínios  humanos já tem cumprido uma saudável influência em milhares de pessoas, e que essa autoridade está ainda ativa, é claro a todos quantos têm olhos para ver.

Tudo o que se tem de realizar  é comparar as requisitos  – por exemplo, a como estão prisioneiros de guerra, de mulheres, de proletários, dos não privilegiados – em nações onde a influência do cristianismo é alta, com nações onde o cristianismo não faz parte da vida da sociedade.

Conclusão

O fermento representa o desenvolvimento do Reino de Deus dentro de nós. Assim, esse crescimento deve gerar em nós atitudes dignas de cidadãos desse Reino.

Não há como viver à margem, sem fazer nada.

O crescimento natural do Reino de Cristo dentro de nós, influência tudo o que somos e a forma como vivemos.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here